Política

Bolsonaro se ressente da falta de liberdade de expressão ao receber títulos em JP

Da Redação de João Pessoa (Hacéldama Borba)
Publicado em 12 de abril de 2024 às 21:10

bolsonaro ex-presidente

Foto: Lula Marques/ Agência Brasil.

Continua depois da publicidade

O ex-presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), recebeu na tarde sexta-feira (12), na Assembleia Legislativa da Paraíba em sessão conjunta com a Câmara Municipal de João Pessoa os título de cidadão paraibano e pessoense, propostos, respectivamente, pelo deputado Wallber Virgolino e pelo vereador Carlão,ambos do PL.

Ao fazer o discurso de agradecimento pela honraria recebida, o presidente disse que para um ex -presidente era muito gratificante e que se existia alguma possibilidade de receber os títulos é porque alguma coisa tinha ficado no passado.

Em um discurso entrecortado, o ex-presidente destacou a sua trajetória política e disse que lamentava o que aconteceu em Brasília, se referindo às pessoas que ainda estavam presas por conta do 8 de janeiro, mas sem citar o fato, que segundo ele, foi cometido injustiças para com essas pessoas

Bolsonaro também se referiu sobre a polêmica gerada em relação às vacinas contra a Covid-19 no período da pandemia, quando foi acusado de não ter comprado as doses em tempo hábil ou por ter se negado a tomar a vacina e por isso recebeu a pecha de negacionista, reafirmando de que não há ainda a eficácia do medicamento.

“Eu nem vou discutir aqui sobre vacinas. Se eu falar eu posso ser preso. Hoje,você não tem liberdade de expressão e não é só eu porque nem direitos políticos eu tenho porque cometi o crime de me reunir com embaixadores, mas não me reuni com traficantes do morro do alemão”, ironizou.

Disse ainda em tom de ironia que ficou inelegível por ter se reunido com um empresário que que veste terno verde e amarelo (Luciano Hang, dono da rede Havan), que paga mais de R$ 3 bilhões por ano de impostos para o Brasil, no evento do dia 7 de setembro.

“Eu não recebi a dama do tráfico no Ministério da Justiça. A minha eleição foi um aborto da natureza. Deus me deu uma segunda vida e os médicos me disseram que eu sou um milagre se referindo á facada que levou durante a campanha). Chegamos à presidência, montei um ministério sem interferência política quando todos diziam que ia dar merda”,lembrou

Bolsonaro disse ainda que enquanto esteve na presidência do Brasil, o país voltou a ter as cores verde e amarelo não só durante a copa do mundo.

“Voltamos a ter amor ao cantar o hino nacional, ao hastear a bandeira, vimos o legítimo direito da defesa funcionar, facilitei o armamento e caiu em 30% o número de mortes no Brasil. O pix acabou os assaltos nos caixas eletrônicos,acabou o roubo de fertilizantes nos campo. Vocês não viram o MST funcionar no meu governo” destacou,

Lembrou ainda que a Bolsa Família pagava em média R$180,00 e passou para R$ 600,00 governo dele com responsabilidade fiscal porque não havia roubalheira.

“Fizemos o máximo que se podia fazer com dois anos de pandemia”, lembrou o período, acrescentando novamente em seu discurso, que não podia mais falar sobre o que aconteceu porque podia ser preso e que não tinha mais liberdade de expressão.

“Eu não posso mais discutir os assuntos”, bradou Bolsonaro.

Valorize o jornalismo profissional e compartilhe informação de qualidade!

ParaibaOnline

© 2003 - 2024 - ParaibaOnline - Rainha Publicidade e Propaganda Ltda - Todos os direitos reservados.