CPI do Padre Zé não consegue número suficiente para instalação na ALPB

Da Redação de João Pessoa (Hacéldama Borba)

Publicado em 06/12/2023 às 20:52

Valorize o jornalismo profissional e compartilhe informação de qualidade!
Foto: Paraibaonline

Foto: Paraibaonline

O deputado André Gadelha (MDB) informou à imprensa nesta quarta-feira (06), que a CPI do Padre, de sua propositura, que busca investigar o esquema de corrupção na instituição Padre Zé em João Pessoa, cujo crime teria sido cometido pelo ex-diretor-presidente, Padre Egídio de Carvalho Neto, sobretudo, pelo envolvimento de emendas parlamentares, não conseguiu o número suficiente de assinaturas para ser instalada, pelo menos não mais este ano.

Segundo ele, faltam somente duas assinaturas das 12 necessárias, mas alguns parlamentares temem pela a instalação da CPI. Ele disse que vai cobrar do Poder Legislativo um posicionamento. Para o deputado é necessário que a Casa acompanhe todo o processo.

“Se as pessoas não têm nada a dever, nada melhor do que acompanhar porque a operação já foi instalada, o processo já se iniciou, então nós como deputados representantes do povo, que precisamos justificar porque estamos aqui e valorizar o dinheiro público, não custa nada a Assembleia acompanhar todo o trabalho que o Gaeco iniciou junto com o Ministério Público e participar desse processo que chama a atenção do país”, disse.

O deputado espera que não aconteça com o Caso Padre Zé o mesmo que ocorreu com a Operação Calvário, que depois de vários anos, o processo saiu da justiça comum e será julgado como crime eleitoral.

“Os paraibanos viram que as coisas não aconteceram. Estamos falando num volume vultoso, quase o dobro do que foi apurado na Calvário, ou seja, de R$ 140 milhões de reais, que têm que ser apurados e a Assembleia Legislativa precisa demonstrar interesse para que prove aos paraibanos que não tem nada a temer”, destacou.

2021 - ParaibaOnline - Rainha Publicidade e Propaganda Ltda - Todos os direitos reservados.

BeeCube