Fechar

logo
logo

Fechar

Secretário cita grupos prioritários que serão vacinados após os idosos

Da Redação. Publicado em 6 de abril de 2021 às 14:11.

Foto: Paraibaonline

Foto: Paraibaonline

O secretário de Saúde do Estado, Geraldo Medeiros, informou que os próximos grupos prioritários a serem imunizados contra a Covid-19 na Paraíba, após os idosos até 60 anos, serão os doentes crônicos e os profissionais da força de segurança. Ele listou algumas das doenças consideradas crônicas e que comprometem a imunidade das pessoas.

– Iniciaremos os paraibanos abaixo de 60 anos que têm fatores de comorbidade, que são as doenças cardiovasculares, obesidade, doença neurológica crônica, doença renal crônica, doenças pulmonares crônicas e qualquer doença, depressão, qualquer tipo de doença que deixe a imunidade baixa – salientou.

De acordo com Geraldo, os profissionais de segurança foram incluídos na próxima etapa da vacinação por determinação do Ministério da Saúde.

Ele destacou que cerca de 10 mil profissionais da segurança serão vacinados na Paraíba, mas a determinação é de que, inicialmente, 6% das doses enviadas sejam destinadas ao grupo, o que corresponde a 796 doses que devem ser enviadas nas próximas remessas.

– A deliberação não foi do governo do Estado, mas do Ministério da Saúde. São 6% das doses destinadas à segurança, totalizando aí esse quantitativo de quase 800 doses – colocou.

Ainda de acordo com o secretário, uma reunião por videoconferência vai acontecer nesta terça-feira (6) entre os governadores do Nordeste e a Anvisa para tentar acelerar o aval de captação e uso emergencial da vacina russa Sputnik V. Segundo alguns ensaios clínicos, a vacina possui 94% de eficácia contra a Covid-19.

Ele disse, em entrevista à Rádio Correio FM, que a Paraíba ainda não assinou a aquisição da Sputnik V porque está aguardando o aval do Governo Federal. Também citou que o Ministério anunciou a compra de mais de 500 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 ainda este ano.

– A Paraíba sempre procurou nortear a vacinação com as remessas do Ministério da Saúde, que anunciou a aquisição de mais de 500 milhões de doses da vacina até o final do ano. Se essa previsão for concretizada, não haverá necessidade dos estados adquirirem vacinas – pontuou.

arremate
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube