Fechar

logo
logo

Fechar

Colunista destaca movimento do PSDB/PB para estancar crise na oposição

Da Redação. Publicado em 1 de agosto de 2021 às 18:29.

Foto: Ascom

Numa semana tumultuada para setores governistas e oposicionistas na Paraíba, o PSDB abreviou o processo de definição de candidatura majoritária e formalizou o apoio à postulação do ex-prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD), como pré-candidato a governador.

Coube ao presidente do PSDB/PB – e até então pré-candidato ao governo – Pedro Cunha Lima (PCL) fazer a comunicação, que foi precedida de algumas reflexões acerca da conjuntura político-administrativa.

O ´tucano´ enfatizou: “O que nos leva a fazer política com paixão é sentir que temos a capacidade de ser instrumento de transformação”.

“É chegada a hora de trazer o governo estadual para o século 21”, adendou.

O deputado criticou os gastos com alimentação atribuídos à estrutura do governador, que teriam superado a R$ 1 milhão durante a pandemia.

Noutra perspectiva, Pedro afirmou que “não é possível que a Câmara Federal custe mais de R$ 6 bilhões por ano” aos cofres públicos.

“Quem mundo doido é este? Que negócio fora do lugar? Vamos ficar para sempre fazendo cara de paisagem?” – indagou.

Ao avançar para a pauta principal da entrevista coletiva, o presidente do PSDB fez o “anúncio consensual e unido” em apoio a Romero Rodrigues.

“Romero vai mostrar o que conseguiu fazer em Campina, com uma administração pública brilhante, apesar de ter o menor FPM (Fundo de Participação dos Municípios) per capita (por pessoa) da Paraíba”, verbalizou Pedro.

Durante a entrevista (após o pronunciamento inicial), Pedro disse que “o nosso sentimento, nossa visão política e o nosso compromisso com o Brasil nos coloca no chamado ´campo da terceira via´, no tocante à sucessão presidencial.

“Mas não faço a oposição do quanto pior, melhor”, ressalvou.

Por fim, o deputado sublinhou que “não podemos deixar que a eleição na Paraíba seja um mero reflexo do que acontecerá no plano nacional”.

“A divergência pode acontecer, acerca da sucessão presidencial (entre PSDB e PSD). Teremos o respeito com a Paraíba para fazer essa diferenciação”, registrou.

A deputada Camila Toscano (PSDB) assinalou que Romero “terá a liberdade de fazer as alianças que achar conveniente”.

O prefeito Bruno Cunha Lima (PSD-CG) acentuou que a iniciativa do PSDB de convergir desde já em favor da candidatura de Romero significa “uma demonstração de maturidade política e de evolução do debate, que não passa pelos interesses individuais ou de um partido, mas pela construção coletiva, feita no dia a dia, que envolve projetos e pessoas”.

“O nosso dever agora é angariar ainda mais apoios e aliados”, prosseguiu Bruno, para realçar o “sentimento de união” no bloco oposicionista.

Ele frisou a importância de intensificar o “diálogo direto com a população”.

Bruno Cunha Lima comentou com os presentes que o Progressistas, “na nossa expectativa, deverá permanecer na oposição, sem mudança de rumo”.

O prefeito campinense, no dia anterior, esteve com o deputado Aguinaldo Ribeiro (PP).

No esperado pronunciamento do ex-senador Cássio, inicialmente ele pontuou que aquele evento visava “dar um passo adiante, um olhar para o futuro, clarear o cenário político de nosso Estado”.
A seguir, um resumo de suas declarações.

“Gesto de grandeza, de desprendimento, deixando uma aspiração e um sonho adiado (disputar o governo da Paraíba).

“Apoio incondicional. A Paraíba terá a oportunidade de conhecer melhor Romero. Os aspectos pessoais de Romero, caracterizados por sua humildade e sua simplicidade. O poder nunca o transformou numa pessoa arrogante nem vaidosa. Pelo contrário, em alguns momentos isto foi usado como critica.

“E por trás desse ser humano adorável tem um gestor extraordinário, eficaz, inteligente, ágil, presente e trabalhador. Romero é, sem dúvida, um dos melhores prefeitos de Campina (…) Um prefeito simplesmente extraordinário.

“Eu fico sempre muito feliz e lisonjeado não só com essas perguntas, mas com as manifestações que eu recebo.

“Romero coordenará esse assunto (eventual candidatura de CCL) e as articulações políticas com as outras forças políticas, (também) com a sociedade e o povo da Paraíba.

“Eu estarei pronto para colaborar, da forma que for necessária e preciso (…) Romero vai construir essa definição. Ele vai comandar a chapa. Romero vai conduzir esse processo.

“A única coisa que não serei nessas eleições é candidato a governador.

“Estamos dando um passo para que as oposições possam se unificar cada vez mais, e possam trazer propostas.

(…candidato ao governo) “Restava sempre uma dúvida na cabeça dos aliados (…) Uma divisão de olhar (…) Já se enfrenta uma máquina poderosa. E essa estrutura não está desmantelada. Está mais viva do que nunca, com as mesmas práticas e condutas (…) Os próximos passos (da oposição) veremos ao seu tempo.

“O governador João Azevedo não disse ainda a que veio.

“Relação justa e respeitosa que vem da convivência com Vital Filho no Senado (…) É possível estabelecer uma relação civilizada e respeitosa com quem não pensa da mesma forma que você (…) Votei e encaminhei favoravelmente a sua indicação para o TCU (Tribunal de Contas da União).

“Veneziano é, acima de tudo, um fidalgo, um homem educado, de fino trato. Querer desdobrar isso na política faz parte das especulações, que são naturais (…) E todo mundo tem o direito de especular.

“Na política, como na vida, há sempre que se observar gestos de reciprocidade”.

Pouco tempo após o evento do PSDB, Romero declarou que “me pronuncio com gratidão ao PSDB e o faço com carinho ao amigo Cássio, a Ruy (Carneiro) e, claro, a Pedro, que retira a sua candidatura e declara apoio ao nosso nome.

“Saberei honrar e dignificar a confiança de cada um e vamos juntos construir uma nova Paraíba”, acrescentou RR.

*com informações da coluna Aparte, assinada pelo jornalista Arimatéa Souza

arremate
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube