Diocese de Campina Grande lança livro que resgata sua criação

Da Redação com Pascom

Publicado em 22/06/2022 às 23:19

Valorize o jornalismo profissional e compartilhe informação de qualidade!
Foto: Pascom/CG

Foto: Pascom/CG

Uma noite que ficará marcada na história da Diocese de Campina Grande.  Nesta terça-feira, 21 de junho, o Auditório Dom Anselmo Pietrülla, que porta o nome do nosso primeiro bispo diocesano, foi o palco do lançamento do primeiro de três volumes bibliográficos que contarão a História da Diocese de Campina Grande. 

No dia do padroeiro dos seminaristas, o auditório do Seminário acolheu a solenidade de lançamento do livro, que foi prestigiada por padres, seminaristas, religiosos e muitos agentes de pastoral advindos de todas as paróquias da Diocese. 

O ato solene iniciou-se com a apresentação do Grupo Encanto Arte Sacra (Catedral), que abrilhantou ainda mais a noite.

O primeiro volume do livro intitula-se: “Uma escrita histórica sobre a Diocese de Campina Grande: da criação ao Concílio Vaticano II”. E, como aponta o título, faz um percurso histórico, através de pesquisas acuradas de uma equipe de padres historiadores, dos primórdios de nossa Diocese, em 1949, narrando os fatos que se sucederam até a época do Concílio Vaticano II, entre os anos de 1962 e 1965.

O bispo Dom Dulcênio Fontes de Matos abriu solenemente a noite com um discurso bastante enriquecedor, enaltecendo a história e todas as pessoas que fazem parte dessa história ora publicada em seu primeiro volume. 

Ele lembrou que essa caminhada é antiga e remonta ao século XVII, e “foi o desdobramento daquelas primeiras sementes do evangelho plantadas no chão deste Planalto da Borborema pelos capelães jesuítas e franciscanos que aqui vieram no século XVII”.

Dom Dulcênio, que redigiu o prefácio desse primeiro volume, disse estar feliz pelo lançamento do livro e recordou o valoroso trabalho dos padres que se dedicaram na escrita da obra. 

O bispo frisou que ler a história da Diocese é “sempre uma oportunidade para mergulhar na consciência de um passado vivido, lançando compreensão e luz ao presente, no sentido de que somos outra vez desafiados a edificar a obra do Senhor”.

Por fim, o bispo destacou a importância da leitura da obra por parte dos agentes de pastoral da Diocese; que leiam e se inspirem nas letras do livro para discernir os caminhos da missão que o futuro aponta.

“Revisitando as origens de nossa Diocese, e identificando o nosso ser-igreja com a história aí narrada, teremos ainda mais forças para colaborarmos na obra da evangelização que em nosso tempo presente pede de todos – bispo, sacerdotes, diáconos, agentes leigos, paróquias, comunidades e famílias – renovado ardor e a firme decisão de servir”, discorreu Dom Dulcênio.

O padre Luciano Guedes, pároco da Catedral e vigário geral da Diocese, como coordenador do livro, também proferiu palavras de estímulo à leitura, recordando a significação que o escrito tem para a Diocese. 

Foto: Pascom/CG

Foto: Pascom/CG

Ele recordou a primeira obra de história eclesiástica do advogado Boulanger de Uchôa e fez a ligação com a equipe de padres que se dedica ao trabalho de redação atual da História da Diocese.

Para o padre Luciano, “este mergulho na história de nossa Igreja diocesana não significou apenas um simples retorno ao seu passado, mas quis, sobretudo, comunicar-se com o seu tempo vivido, estabelecendo com este tempo o diálogo e a interação, para ser um serviço que nos ajude a construir no presente esta Igreja que tanto amamos”. 

Ainda segundo o vigário geral, foi preponderante o auxílio e o estímulo dados pelo dispo diocesano. 

O padre Fabiano Melo, em suas palavras, deu chaves de compreensão da leitura do livro e fez um resgate histórico de como se deu o processo de elaboração. 

E assinalou que a intenção do trabalho não é um apanhado geral da história diocesana, mas uma escrita dentre tantas: “Trazemos uma escrita, ou seja, um pouco do que poderíamos explorar dentro de todo o corpo dos acontecimentos históricos ao longo do percurso traçado por essa instituição na cidade de Campina Grande”.

O padre ainda apontou do que tratam todos os capítulos presentes no Volume ora lançado e convidou os leitores a ter um olhar especial para o que ele chamou de “despoeiramento de nossos arquivos”. 

Padre Fabiano conclui fazendo um convite: “Contemplemos as salmodias históricas dos nossos autores, para que, ao olhar nossa história, possamos ter um sentimento de gratidão de tanto tempo vivido”.

Para marcar simbolicamente o lançamento do livro, Dom Dulcênio fez a entrega de exemplares ao padre Tobias Glêriston – representando os padres e diáconos; ao seminarista José Claudino – representando os seminaristas e religiosos (as); e à Professora Rosa de Lourdes – representando todos os leigos. 

Ainda fizeram uso da palavra o Reitor do Seminário, Padre Leandro Márcio, e o diretor do Centro de Estudos do Seminário, padre João Jorge. 

A cerimônia foi encerrada com o canto da Salve Regina.

Colunistas

2021 - ParaibaOnline - Rainha Publicidade e Propaganda Ltda - Todos os direitos reservados.

BeeCube