Fechar

logo
logo

Fechar

Arimatéa Souza

sábado, 29/01/2022

O ´cavalo de pau´ de Romero

Na linha de frente

Recorde-se uma Nota da edição de ontem de APARTE: Foco. Chamo a atenção dos leitores. O prefeito Bruno Cunha Lima anunciou que faz questão de participar da reunião do Conselho Municipal de Transporte Público para tratar da tarifa de ônibus em Campina Grande.

Tudo ao vivo

A referida reunião ocorreu de forma prolongada, com transmissão aberta para o público, via internet, e com a emblemática ausência da representação do Sitrans (empresas de ônibus), que – em tese – é a parte mais interessada quando está em pauta a questão tarifária.

Baixar a tarifa

A proposta do Poder Público municipal foi (para os usuários) positivamente surpreendente: redução de 13 centavos no preço atual da ´passagem´ – R$ 3,90.

Subtração

A ´engenharia financeira´ é simples: na atualização da planilha técnica o Poder Público retirou do custo a gratuidade das passagens para pessoas com algum tipo de deficiência.

Ajuste contábil

A PMCG passa a arcar (diretamente) com esse custo, por intermédio da contabilização dos subsídios que foram e estão sendo oferecidos ao sistema de transporte, como forma de assegurar a sua continuidade nesse período atípico e pandêmico.

Fatia ínfima

O prefeito Bruno apontou um dado relevante para a alteração nos cálculos tarifários: das 17 milhões de passagens comercializadas na cidade no ano passado, apenas 5% fizeram uso do bônus bancado pela PMCG, via subsídios.

Operacionalidade

O bônus – que representaria a contrapartida do subsídio oferecido – duplica o crédito feito pelos usuários.

Ou seja, quem coloca (por exemplo) 20 reais de crédito, ganha outros 20.

Temporários

Recorde-se que esses créditos não são cumulativos e são extintos, caso não utilizados no período de tempo pré-fixado.

Desproporção

Dito de outro jeito: as empresas só retribuíram em serviço efetivo 5% dos valores recebidos em forma de subsídios.

Deliberação

O Conselho de Transporte campinense foi novamente convocado para esta segunda-feira, quando votará a redução tarifária sugerida pelo prefeito.

Sinal dos tempos

Com esta decisão administrativa, as pessoas com deficiência serão transformadas em ´passageiros vip´, que passarão a ser cortejados, uma vez que a utilização dos ônibus por esse segmento será sinônimo de elevação da receita das empresas.

´Correndo o trecho´

O senador Veneziano Vital (MDB) registrou, ontem, contatos políticos com o deputado estadual Anderson Monteiro (PSC), o pai do parlamentar, ex-deputado Arnaldo Monteiro, e o também ex-deputado André Gadelha,

Retrovisor

No começo desta semana, APARTE sinalizou que “vai aumentar a pressão palaciana sobre um ex-prefeito paraibano…”

Sinuosidade

O (aparente) término da fase de aproximação do ex-prefeito campinense Romero Rodrigues (PSD) com o governador João Azevedo (Cidadania) ocorreu de forma tão inexplicável quanto foi o desabrochar deste ´flerte´.

Bumerangue

Em vídeo postado em suas redes sociais, ontem, Romero colocou (aparentemente) um ponto final em sua hesitação e anunciou que apoiará a candidatura a governador do deputado Pedro Cunha Lima (PSDB).

Retalhos

Para melhor contextualização e entendimento do leitor é importante reproduzir trechos dessa fala, gravada (presumivelmente) na granja onde reside atualmente o ex-prefeito.

Voz das ruas

“Depois de ouvir o sentimento de Campina Grande, e de paraibanos espalhados por esta Paraíba interna, tomei a decisão de apoiar a pré-candidatura a governador do deputado Pedro, com a certeza de que fará uma gestão extraordinária. Não minha visão, ele reúne as melhores condições.

Voluntário

“(Pedro), Conte com este soldado, que mesmo sem mandato e sem força política, está com muita vontade de ajudar.

Despedida?

“Agradeço também ao ministro Gilberto Kassab, por ter me confiado a gestão do partido no Estado”.

Som…

O pronunciamento, detidamente escutado, faz lembrar o Evangelho de Mateus: “Antes mesmo que o galo cante três vezes tu me negarás”.

… Ambiente

Durante a fala de Romero – renegando a composição com o governador –, escuta-se em, pelo menos, três ocasiões o cantar de um galo.

Reativas

Depuradas ´ao pé da letra´, as declarações de Romero indicam que ele está se desligando do PSD, até porque o seu gesto obrigatoriamente impõe algum tipo de reação da cúpula partidária, que acolheu e referendou a composição partidária com João, que não partiu – sublinhe-se – da própria cúpula.

´Dominó´

Por outro lado, certamente as relações de Romero ficam ´fraturadas´ com o partido Progressista, porque um dos pilares da pré-candidatura do deputado Aguinaldo Ribeiro ao Senado era o apoio e o envolvimento de Romero na região de Campina Grande.

Pouco provável

A menos que o PP também opte – o que não está no horizonte – por redefinir a sua estratégia eleitoral no estado.

Esperado

“Vejo com muita alegria, e para mim não é surpresa. Eu sempre acreditei e defendi a união das oposições”, acentuou o prefeito Bruno com a propagação do vídeo.

´Sermão´

O prefeito campinense foi comedido ao se referir à possibilidade de ´repatriamento´ dos aliados de Romero que se expuseram publicamente ao lado do governador: “Alguns não entenderam que o mundo mudou, que as coisas estão evoluindo e as pessoas exigem seriedade”.

Sem hesitar

Figura mais arranhada, num primeiro momento, por conta da opção de Romero em não consumar a aliança com João Azevedo, a vereadora licenciada e secretária Eva Gouveia (PSD) tratou de prontamente divulgar uma Nota para reiterar o apoio ao governador e apontar os novos rumos partidários.

Individual

“A posição de Romero Rodrigues não implica em um posicionamento partidário”, enfatizou Eva.

Aproximação

Eva acrescentou: “Renovamos publicamente que o PSD tem mantido entendimentos com o governador na perspectiva, inclusive, de filiá-lo aos quadros do Partido Social Democrático”.

Decantação

No ´calor´ da divulgação e propagação do vídeo de Romero, o secretário de Comunicação do Estado, jornalista Nonato Bandeira, buscou relativizar o impacto do ´aborto´ de uma aliança engenhosamente tecida nos últimos meses.

Passos tímidos

“São naturais os posicionamentos políticos no começo do ano. Em nenhum momento, temos que ser justos, o ex-prefeito anunciou apoio à reeleição do governador. Nunca houve convite nem ele (Romero) se insinuou”, verbalizou o titular da Secom/PB.

Convite da cúpula

“O que houve – avançou Nonato na ´Correio FM´ – foi um convite da direção nacional para o governador ingressar no PSD, respaldado pela direção local. E nós achamos bastante interessante a gente avançar nesse processo de composição política e de ampliação dos espaços em todo o Estado”.

Sem tensionar

Ainda segundo o secretário, Romero “é uma liderança importante e merece o nosso respeito, independentemente de sua decisão. Não vamos demonizá-lo. Isto faz parte do jogo democrático. Permanece o respeito mútuo entre o governador e Romero”.

Balsâmico

Nonato opinou ainda que “continuo dizendo que não vejo motivo nenhum para rompimento (com o senador Veneziano, do MDB). Evidente que isso é uma decisão que cabe ao senador”.

Retaguarda

Bandeira revelou que 14 partidos já sinalizaram apoio à reeleição de João Azevedo, que conta, por outro lado, com oito convites de partidos que desejam a sua filiação.

Aval

Nonato destacou que “o trabalho da secretária Eva é muito bom e muito bem feito”.

Espaço…

Na articulação para preservar a coalizão de partidos aliados, João Azevedo decidiu manter com o PCdoB a presidência da Junta Comercial do Estado, que era presidida pelo ex-deputado Simão Almeida, recém falecido.

… Preservado

O Diário Oficial do Estado publicou a designação para a presidência da Junta de Gregória Benário, presidente do partido no Estado.

Perfil

Recorde-se outro arremate de APARTE nesta semana: “O ex-ministro Gilberto Kassab (PSD) é um homem prático e pragmático…”

Desapontado

Kassab é tarimbado na política ao ponto de não se surpreender com posturas e/ou redirecionamentos pessoais.

Mas está chateado com Romero.

Distanciamento

Como é sabedor dos inesperados e das voltas que a política vez por outra consuma, provavelmente ele não fará críticas públicas ao ex-prefeito, mas rapidamente o eliminará do comando partidário na Paraíba, e talvez estimule Romero a procurar outro abrigo partidário.

O tempo não para

Com a mesma velocidade, Kassab buscará consumar o desembarque no PSD de João Azevedo e até mesmo de Aguinaldo Ribeiro.

Na política – ensina sabiamente a experiência – espaços vazios não ficam desocupados por muito tempo.

Bom mote

Azevedo tem até mesmo um bom pretexto para antecipar essa migração.

Anteontem, a Executiva Nacional do PSDB aprovou, por unanimidade, o “avanço do entendimento” com o Cidadania para a formação de uma federação partidária.

Bênção

“A federação é bem-vinda”, saudou o presidente nacional do partido, Bruno Araújo.

Reversão

Inegavelmente, a expectativa (e a torcida) que existiam na base aliada do governador para a chegada de Romero se convertem num grande problema geopolítico para a formação da chapa majoritária.

Epicentro

Com dois potenciais concorrentes com bases eleitorais em Campina – Pedro e Veneziano -, João praticamente fica compelido a buscar um ´novo vice´ na cidade.

Aposta alta

João trocou – figurativamente – um ´pássaro´ que tinha na mão (Veneziano) por outro voando (Romero).

Foi além do provérbio popular, que fala ‘mais vale um pássaro na mão que dois a voar´.

Livre para voar

A pergunta recorrente após o recuo de Romero é a possibilidade de o governador tentar reatar a convivência e a parceria com o MDB de Veneziano.

Até onde se sabe, ainda não houve uma tentativa nessa direção, se é que será tentada.

Na política, muitas vezes, as decisões tomadas, depois de azeitadas, são como a decolagem de um avião de grande porte: não têm volta, não possuem marcha à ré.

“A fila andou”, como canta o carismático cantor baiano Bell Marques.

A política é gasosa. Na Paraíba, mais ainda...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube