Fechar

logo
logo

Fechar

Arimatéa Souza

quinta-feira, 23/09/2021

Sem “coronelismo”

Boa notícia

O chefe de gabinete do governador da Paraíba (e presidente estadual do Cidadania), Ronaldo Guerra, avança no processo de recuperação das sequelas da Covid-19.

Ele está em São Paulo e foi ´extubado´ nesta terça-feira.

Da ´batina´…

As instalações do antigo (e lendário) Colégio Redentorista em Campina Grande (bairro Bodocongó) foram alugadas pela congregação religiosa.

… Para o ´quepe´

No local, será implantada uma unidade do Colégio Cívico-Militar Expedicionários do Brasil.

O detalhe

Já teve início o processo de inscrições para a seleção dos alunos para os níveis fundamental e médio.

Sem contestação

A Executiva Nacional do Democratas aprovou, anteontem, por unanimidade, a fusão com o PSL.

TRE-PB

Horácio Ferreira de Melo Júnior, do 2º Tribunal do Júri da Comarca de Campina Grande, e Francilucy Rejane de Sousa Mota Brandão, do 2º Tribunal do Júri de João Pessoa, foram escolhidos ontem pelo Pleno do Tribunal de Justiça para integrarem o Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, nas vagas de Juiz Membro Suplente.

O detalhe

Serão substituídos, por conta do término do biênio, os juízes Almir Carneiro da Fonseca Filho e Sivanildo Torres Ferreira.

´Morrer…

O Governo da Paraíba solicitou ao governo federal a cessão da área do antigo CAIC (escola), localizada no bairro ´Malvinas´ em Campina Grande.

… Pra germinar´

Conforme avaliação técnica, a melhor alternativa é derrubar as atuais instalações – que estão abandonadas há muitos anos – e erguer um novo colégio no local.

O detalhe

A sigla CAIC significa ´Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente´.

Esses espaços foram criados pelo governo Fernando Collor (1989) e não tiveram sequenciamento (e manutenção adequada) nos governos posteriores.

Refratário

João Azevedo, normalmente, é avesso a se aprofundar nas questões políticas nas entrevistas que concede constantemente à imprensa.

Sem restrições

Na sua passagem ontem por Campina Grande, o governador saiu dessa postura e abordou prolongadamente assuntos políticos, a partir do questionamento deste colunista sobre a especulada ´terceira via´ na sucessão presidencial e o seu relacionamento atual com o senador Veneziano Vital (MDB).

Extrato

O resumo do ´evangelho político´ de João é o que você lerá (resumidamente) a seguir.

´Terceira via´

“O tempo conspira contra o surgimento de uma terceira via na sucessão presidencial (alternativa à polarização que se desenha entre o presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Lula).

Polarização

“E não é só uma questão de tempo. É uma conjuntura que o Brasil vive hoje, e que os extremos estão nessa discussão.

Segregação

“O presidente da República está fazendo um isolamento por conta de posições radicais e da compreensão que ele faz. O próprio discurso na ONU (anteontem) vai nessa direção, ao negar tudo o que os outros países e a ciência estão pregando.

Indução

“Bolsonaro tenta apresentar o fato de não ter se vacinado como uma vitória, como se fosse um troféu. Na verdade, é o contrário. É uma demonstração de insensibilidade e de que sua postura leva milhares de brasileiros a não se vacinarem por conta disso. E essas pessoas poderão pegar a doença, sem vacina, e ir a óbito.

Transição

“Isso leva a uma condição de quase inviabilização de uma terceira via. Entretanto, nós estamos dentro – e no meio – do processo de mudança nas regras partidárias.

Depuração

“Esse cenário de partidos que temos hoje, mais de 35 partidos, não teremos mais isso até o fim do ano por conta das exigências que teremos (da legislação).

Enxugamento

“Na virada do ano, teremos apenas 10 ou 12 partidos (no país). Os demais terão processos de fusão ou de incorporação, em busca da sobrevivência desses pequenos partidos, que não terão condições montar chapas.

À vontade

“Me filiei ao Cidadania, e o único compromisso que assumi com o presidente (do partido) Roberto Freire foi fazer com que o partido crescesse no estado. O Cidadania não tinha um único prefeito eleito no estado. E nós tivemos condições, com um trabalho muito grande, de levar o Cidadania a ser um dos mais importantes partidos (…) E eu me sinto extremamente confortável no partido.

Composições

“É claro que qualquer processo de fusão ou de incorporação que possa ser pensado pelo Cidadania, isso será discutido em nível nacional.

Nitidez

“O quadro eleitoral só ficará claro ao final do mês. Estabelecidas as regras, nós vamos ter condições de sentar com cada partido e saber qual realmente tem condições de montar uma chapa para disputar, porque se trata de sobrevivência.

Caminho natural

“O partido que não tiver condições de montar uma chapa, ele procurará fazer uma fusão com outro. Isso será uma coisa natural. Por isso eu estou dizendo que dos 35 partidos que temos, não duvido que viremos de ano com pouco mais de 10 (…) Muita coisa vai mudar.

Vice será…

“Nenhuma campanha na Paraíba passa ao largo de Campina Grande. A cidade está sempre na discussão. Mas eu não faço a análise de que geograficamente as coisas têm que acontecer dessa forma.

… De Campina?

“Não é uma questão geográfica. Nós temos que entender que uma chapa majoritária (é algo) que possa agregar mais, que possa levar a uma vitória daquilo que estamos defendendo enquanto projeto. É isso que nós vamos ter que pesar na hora.

Presença

“Agora, estar presente ou não estar presente não é o mais importante. O mais importante é estar na construção, e Campina estará na construção, sem sombra de dúvidas, desse novo projeto.

Veneziano está…

“As coisas não são com essa simplicidade que as pessoas tratam. Evidente que temos um projeto que deverá seguir. Eu não tenho dúvida nenhuma de que seguiremos juntos na construção desse projeto que estamos implantando na Paraíba.

… Distante?

“Logicamente que cada presidente de partido defende os interesses do seu partido. É uma coisa que é natural. E qualquer defesa de um partido, muitas vezes é tomada pela imprensa como uma reação contrária a outro partido.

Sem imposição

“Eu não faço política fazendo intervenção em partido. Eu não faço política pressionando partidos que estejam na base para seguir exatamente aquilo que eu achar que deve ser seguido.

Liberdade

“Eu faço política dando a devida autonomia e independência aos partidos, em respeito aos partidos.

Tradição do “triturador”

Ainda o governador: “A política sempre foi feita na Paraíba com uma visão de coronelismo muito grande. De que o líder, ele tritura e passa por cima de todo mundo para atingir os seus objetivos.

“Eu não faço política dessa forma. Política tem que se sentar, conversar, para identificar os melhores caminhos. É assim que eu faço política”.

O partido Patriota está dando uma ´cambalhota´ em nível nacional...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube