Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

sábado, 28/11/2020

´Esgoto´ humano

´Toma que é teu´

O presidente Jair Bolsonaro buscou, esta semana, transferir para os Estados a responsabilidade sobre eventual cobrança dos usuários pela água distribuída a partir da transposição do Rio São Francisco.

Segundo ele, os governos estaduais beneficiados pela obra deveriam ter assumido a operação, o que ainda não foi feito.

Terceirizar

Reportagem recente do jornal Folha de São Paulo noticiou que uma alternativa estudada pela União é repassar a atividade à iniciativa privada.

Gênese

“Desde a concepção do projeto, em 2005, ficou acordado que os Estados assumiriam os custos da operação e manutenção da transposição, o que já deveria ter acontecido. Apesar de termos atendido a todos os pedidos dos governadores na negociação em curso, até hoje os Estados não assumiram a operação”, disse Bolsonaro nas redes sociais.

Tarifada

“O governo Jair Bolsonaro nada cobra pela água que chega a esses Estados. Os governos de Pernambuco e Paraíba, por sua vez, cobram dos usuários uma tarifa pelo consumo dessa água que recebem de graça do governo federal”, acrescentou o presidente.

Lacunas

Salta à vista na equipe de transição escalada a ´quatro mãos´ pelos prefeitos Bruno Cunha Lima (eleito) e Romero Rodrigues a inexistência de assessores focados nas áreas de Finanças e Saúde.

Régua

Na Paraíba, o Podemos elegeu cinco prefeitos, uma vice-prefeita e 40 vereadores.

Unir forças

Bruno Cunha Lima está estimulando as entidades filantrópicas de Campina Grande para que criem uma espécie de Associação que possa aglutiná-las, como forma de ampliar a representatividade do segmento.

Estreantes

Antes que o comércio divulgue os resultados da ´mais virtual´ de todas as versões da campanha anual de promoções (Black Friday), é importante ressaltar um número incensado pela pandemia da Covid-19: este ano (números até outubro) 7 milhões e 300 mil brasileiros fizeram o seu ´batismo´ nas compras via internet.

Profusão

Na outra ponta (também até outubro), o país registrou o ingresso de pouco mais de 150 mil novas lojas no ´mercado online´.

´Paredão´

Mas em pleno festival de promoções, o IBGE divulgou ontem a atualização do desemprego no país, um recordo negativo, diga-se de passagem: 14 milhões e 100 mil pessoas estavam em setembro à procura de um posto de trabalho.

´Eu e as…

“Não mudei o meu perfil ideológico. Foi uma opção partidária por conta da conjuntura atual”.

… Circunstâncias´

A contextualização foi feita pelo advogado criminalista Anderson Almeida, um antigo militante do PCdoB que foi eleito vereador pelo Podemos (legenda de centro-direita) no último dia 15 em Campina Grande.

Deslocado

Sem meias palavras, ele admitiu que “na política nacional, não estou afinado com o meu partido”.

Filtro

Ao desdobrar esse seu posicionamento controverso, o novo edil ponderou que “o meu posicionamento é para melhorar a vida do povo. A ideologia não pode interferir”.

Carta branca

Segundo as suas palavras, ele desfruta no Podemos da garantia do ”livre pensar e agir”, e que vai lastrear o seu mandato “na justiça social e na cidadania”, atestando em seguida que “há uma grande distorção social” em Campina Grande.

“Nos recantos de Campina ainda se padece de fome”, grifou.

´Tratorada´

Em entrevista à Rádio Caturité FM (104.1), Anderson reconheceu que “a oposição foi esmagada nas urnas”, e só elegeu um vereador (Olímpio Oliveira, do PSL) do atual bloco oposicionista na ´Casa de Félix Araújo´.

“É hora de, literalmente, juntarmos os cacos”, emendou.

Em bloco

“O papel da oposição é totalmente democrático e fundamental”, sublinhou o novo parlamentar, que revelou a expectativa (e as conversações) para que os seis vereadores eleitos pela oposição “caminhem juntos” na legislatura por começar.

A voz…

APARTE está recolhendo dos seus leitores a resposta para a pergunta: ´Que música gostaria de ter composto?´

… Do coração

A indicação de hoje é do jornalista Anchieta Araújo, diretor de jornalismo da TV Itararé e que atua também na Caturité FM: Tocando em frente, de Almir Sater.

Uma ´canja´

“Ando devagar porque já tive pressa/ E levo esse sorriso/ Porque já chorei demais/ Hoje me sinto mais forte/ Mais feliz, quem sabe/ Só levo a certeza/ De que muito pouco sei/ Ou nada sei…”

Serviço

Veja a interpretação da música aqui.

Na ´linha da…

Está chegando ao fim, de forma melancólica, e em desfavor do eleitorado de João Pessoa, o segundo turno da campanha para prefeito.

… Cintura´

Uma campanha rápida e ´abaixo da superfície´, expressão que suaviza o que se observou recorrentemente nas contendas públicas entre Cícero Lucena (PP) e Nilvan Ferreira (MDB).

Rastros

Pelo percurso ficaram amizades tecidas com a métrica de décadas e um sentimento latente de que a cidade pode almejar mais de quem se habilita a governá-la ao longo dos próximos quatro anos.

Apelação

Até em função da reconhecida imprevisibilidade do resultado, faltando cerca de 24 horas para o pleito, o que se observa nos últimos dias, além da recíproca desconstrução dos contendores, é a publicização de propostas populistas e até apelativas, algumas de duvidosa concretização.

Universo paralelo

Fora da ribalta eleitoral propriamente dita, ´mundos paralelos´ se movem. Em alguma medida, esse domingo adubará ou conterá projetos políticos já vislumbrados para 2022, como a reeleição do governador João Azevedo (Cidadania) ou as cogitadas candidaturas ao governo do prefeito Romero Rodrigues (PSD-CG) e da senadora Daniella Ribeiro (PP).

O preço na neutralidade

Remanesce outra incógnita: que lugar estará reservado, no próximo pleito, para os que se omitiram nesse turno decisivo no maior colégio eleitoral do Estado?

A partir das 17 horas deste domingo as respostas começarão a ganhar forma e concretude.

Políticos: 2022 começará na próxima segunda-feira...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube