ELIMINATÓRIAS

Tite ignora histórico e prevê jogo leal contra a Colômbia

02/09/2017 às 10:05

Fonte: Da Redação com Gazeta Net

foto: Divulgação

Incentivador do jogo limpo – a ponto de apontar a conduta profissional como uma das justificativas para convocar o zagueiro Rodrigo Caio, do São Paulo –, o técnico Tite não está preocupado em acalmar os jogadores da Seleção Brasileira às vésperas de mais uma partida contra a Colômbia. Os últimos confrontos entre as duas seleções foram marcados por confusões.

“Não tem essa de violência. É competitividade leal, como foi contra o Equador. As pessoas confundem. Existem lances competitivos normais, de briga pelo alto, de cabeceio. É característica de jogo”, minimizou Tite.

Recentemente, no entanto, os jogadores do Brasil não consideraram alguns enfrentamentos com colombianos como “lances competitivos normais”. Foi uma joelhada de Zúñiga que tirou Neymar dos dois últimos jogos – vexatórios, contra Alemanha e Holanda – da Copa do Mundo de 2014.

Meses depois, no reencontro entre Brasil e Colômbia, em um amistoso nos Estados Unidos, Cuadrado acabou expulso por mais uma falta dura sobre Neymar. No ano seguinte, na Copa América, foi o astro brasileiro quem protagonizou um tumulto no final do jogo e levou o cartão vermelho, assim como Bacca. Acabou punido pela Conmebol e perdeu o restante do torneio e o princípio das Eliminatórias para a Copa do Mundo.

Houve reclamação de falta de espírito olímpico até nos Jogos do Rio de Janeiro, no ano passado. Em Itaquera, a Seleção Brasileira avançou às semifinais com uma vitória por 2 a 0 sobre a Colômbia e outra vez se queixou da postura do time adversário, que teve seis jogadores punidos com o cartão amarelo e protestou contra uma entrada dura de Neymar.

Sob o comando de Tite, porém, Brasil e Colômbia se uniram em janeiro para disputar o “Jogo da Amizade” no Engenhão. O amistoso teve vitória brasileira por 1 a 0 e serviu para homenagear as vítimas do trágico acidente com o avião que levava a Chapecoense à primeira partida da decisão da última Copa Sul-Americana, em Medellín.

Desta vez, o novo duelo entre brasileiros e colombianos confrontará as duas melhores campanhas das Eliminatórias. O time de Tite, que derrotou o rival por 2 a 1 no primeiro turno, na Arena da Amazônia, já não pode mais ser alcançado, com os seus 36 pontos. A vice-líder soma 25, seguida de perto por Uruguai (24), Chile (23) e Argentina (23).

Para Tite, a partida de terça-feira, em Barranquilla, servirá para fazer novos ajustes na equipe já classificada para a Copa do Mundo de 2018. O técnico tem priorizado os testes táticos na Seleção Brasileira, com poucas novidades entre os seus convocados.

“Gosto de usar o termo oportunidade, e não teste. Teste é para quem não tem competência confirmada. Se está na Seleção, você já tem o carimbo de grande atleta. Mas eu queria ter mais tempo para oportunizá-los, para, por exemplo, ver o Luan flutuar em campo. Temos pouco tempo, então vamos consolidar o que estamos fazendo”, indicou Tite.

Veja também

Comentários

Simple Share Buttons