Fechar

logo

Fechar

Longe de casa, Treze bate Botafogo-PB e volta a sonhar com classificação

Da redação/Evandro Reis. Publicado em 1 de abril de 2021 às 17:38.

Foto: reprodução

Foto: reprodução

Longe de casa, o Treze conseguiu se recuperar na Copa do Nordeste. E em cima do grande rival Botafogo-PB, no Clásssico Tradição de número 402. Depois de três jogos sem vencer, o Galo venceu o duelo desta quinta-feira por 1 a 0, no Estádio Boca de Jacaré, em Taguatinga-DF.

O gol do time alvinegro foi marcado por João Leonardo aos 34 minutos do segundo tempo. Com o resultado, o Treze subiu para quinta posição, com oito pontos, um a menos que o Sampio Corrêa, que fecha o G-4 do Grupo A. Já o Belo caiu para lanterna do Grupo B, com quatro pontos e se complicou na competição.

Pela sétima rodada, o Galo da Borborema joga domingo contra o Vitória, no Estádio Barradão, em Salvador. Por sua vez, o Belo recebe o Confiança, na segunda-feira, no Almeidão, em João Pessoa.

Com os estádios do governo vetados por conta da Covid-19, os dois times tiveram que se enfrentar em solo brasiliense. E o jogo foi marcado pela expulsão de Kaio Wilke, do Botafogo-PB com menos de um minuto de bolas rolando.

Assim, o time do treinador Marcelinho Paraíba soube tirar proveito da superioridade numérica para buscar a vitória, e seguir com reais chances de classificação para próxima fase do Nordestão.

O JOGO

A bola mal começou a rolar e, aos 20 segundos de jogo, Kaio Wilker deu uma voadora no zagueiro Marlon, atingiu a cabeça do atleta trezeano, e já recebeu cartão vermelho. Desta forma, o Belo teve que atuar o tempo todo com um atleta a menos.

No minuto 3 de jogo, Paulinho fez falta forte em Tsunami e tomou cartão amarelo. O Clássico Tradição começou muito quente no Cerrado.

Antes mesmo dos 10 minutos, Emerson foi substituído no Treze por Wellington Carioca após sentir uma lesão na coxa esquerda.

Com a bola rolando, por outro lado, nada acontecia. Com um a menos, o pragmático time de Vilar não iria se expor para tentar uma pressão ofensiva, e o Treze, que também vem tendo muitas dificuldades na criação, buscava a ligação direta o tempo inteiro, facilitando a vida da retaguarda botafoguense, que não era ameaçada.

A primeira boa investida veio apenas aos 33 minutos. O zagueiro Rômulo, do Treze, sem alternativas de jogada, soltou a bomba pouco mais a frente do círculo central de perna canhota e obrigou o goleiro Felipe a cair no seu canto direito para fazer boa defesa e evitar o gol.

Um minuto mais tarde, Kleiton Domingues cobrou escanteio pela direita e Rômulo mais uma vez cabeceou livre da entrada da área, e a bola passou tirando tinta do poste direito da meta botafoguense.

Aos 42, o Galo chegou a balançar as redes com Paulinho, após sobra da bola chutada por Romeu na trave, mas Esdras Mariano anotou impedimento do atacante galista João Leonardo, no começo do lance, quando tentou dar de letra, e o tento foi anulado.

O Treze tentava pressionar e, aos 44, Kleiton Domingues bateu firme da meia-lua da grande área e Felipe fez grande intervenção, mandando a bola por cima do gol.

Foto: reprodução

Segundo tempo

Tentando aumentar a pressão do fim da primeira etapa, Marcelinho Paraíba voltou com o Treze mais ofensivo, promovendo as entradas de Júlio Ferrari e Sony Anderson nas vagas de Paulinho e Romeu.

O primeiro chute perigoso do Botafogo-PB no jogo saiu aos 11 do segundo tempo. Da meia esquerda, Marcos Aurélio cobrou falta e Jeferson espalmou para frente.

No minuto seguinte, Welton Felipe cruzou da esquerda e Rafael Oliveira, livre na grande área, desviou de pé direito e o arqueiro trezeano foi no seu canto direito para fazer grande defesa e mandar para escanteio. Na cobrança, Samuel, na pequena área, cabeceou livre e o goleiro alvinegro operou um milagre, jogando a bola pela linha de fundo e evitando o gol botafoguense.

Tentando melhorar a criação de jogadas, Ancelmo foi para o jogo no Galo na vaga de Kleiton Domingues aos 15 minutos. Por sua vez, Marcelo Vilar buscava manter a velocidade para puxar as jogadas de contra-ataque e, aos 22 minutos, colocou Roniel no lugar de Welton Felipe.

A rede só balançou no Clássico Tradição aos 34 minutos. Após cruzamento da direita, Marlon cabeceou no gol, Samuel tirou e João Leonardo, na sobra, encheu o pé para estufar a rede do Belo e abrir o placar para o Treze na Boca do Jacaré.

Na desvantagem, o técnico botafoguense, aos 38 minutos, trocou um volante e um atacante por outros jogadores da mesma posição. Deixaram o gramado Rafael Oliveira e Pablo e entraram Sávio e Lagoa.

Aos 41, Marcos Aurélio cobrou falta da direita e Rogério cabeceou para marcar. A rede balançou, mas não valeu, pois o volante foi pego em impedimento por Esdras Mariano.

Ficha Técnica
Treze
Jeferson, Paulinho (Júlio Ferrari), Marlon, Rômulo e Emerson (Welington Carioca); Darlan, Romeu (Sony Anderson), Régis Potiguar e Kleiton Domingues; João Leonardo e Jairinho (Rogerinho). Técnico – Marcelinho Paraíba
Botafogo-PB
Felipe, Rodrigo Ramos, Samuel, Willian Machado e Tsunami (Lucas Gabriel); Rogério, Pablo (Lagoa), Kaio Wilker e Marcos Aurélio; Welton (Roniel) e Rafael Oliveira (Sávio). Técnico – Marcelo Vilar
Gols – João Leonardo (T), aos 34min do 2°T
Cartão amarelo – Marcelinho Paraíba, Paulinho, Wellington Carioca (T), Welton, Pablo (B)
Cartão vermelho – Kaio Wilker (B)
Árbitro – Denis da Silva Ribeiro Serafim (AL)
Assistentes – Esdras Mariano de Lima Albuquerque e Brigida Cirilo Ferreira (AL)

Com informações do Vozdatorcida

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube