Fechar

Fechar

Início da Segundinha é marcado por goleadas e suposta irregularidade

Da Redação. Publicado em 24 de setembro de 2018 às 11:27.

Duas goleadas, outro placar elástico e a suposta presença de um jogador inscrito irregularmente, no Internacional de Lucena, marcaram o início da segunda divisão do Campeonato Paraibano 2018 neste domingo (23).

Pelo grupo Litoral o São Paulo Crystal venceu justamente o Inter-PB por 2 a 0, no Carneirão, em Cruz do Espírito Santo, enquanto no Almeidão, em João Pessoa, o Spartax perdeu pelo mesmo placar para o Confiança de Sapé, time que voltou a disputar uma competição profissional após duas décadas.

Na chave Agreste o Sport Lagoa Seca, em casa, não teve dificuldade para fazer 3 a 0 na Queimadense. Por sua vez, no estádio Presidente Vargas, em Campina Grande, comandada por Marcelinho Paraíba, a Perilima atropelou a Picuiense: 6 a 0.

Já pelo grupo Sertão o Sabugy tomou 7 a 2 do Femar e Nacional de Pombal e Esporte de Patos empataram em 1 a 1.

Irregularidade

Fato corriqueiro nas últimas temporadas, o a Segundinha vem enfrentando problemas na regularização de atletas e no cumprimento do regulamento.

Em 2015, muitos times tiveram jogadores não inscritos em campo na primeira rodada. Na temporada seguinte, o Femar chegou à semifinal com todos os jogadores sem registrado no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF. Já em 2017, o Miramar atuou quebrando o regulamento em quatro das seis partidas. Não poderia ser diferente esse ano.

É que, estranhamente, o Internacional de Lucena inscreveu jogadores já registrados no BID com um novo cadastro.

Explique-se que um jogador para atuar pela primeira vez precisa ser cadastrado no BID e inscrito no seu clube. Essa inscrição gera um número, que segue sendo o registro dele no sistema.

O atleta não precisa ser recadastrado para atuar em outro clube e o Inter-PB recadastrou quatro jogadores: Francisco Cleiton Silva Mendes – Cleitinho (com registro 641338 ao invés de 157557); Ednovaldo Ferreira Alves – Dinho (com registro 641147 ao invés de 157793); Humberto Nunes Neto (com registro 641187 ao invés de 460682); Alan Stefano Inácio (com registro 642544 ao invés de 346150).

Tal fato, em si, não tira condição de jogo dos atletas. E não é a primeira vez que se é observado um recadastro assim. Mas, um dos jogadores tem uma situação bem peculiar.

O goleiro Alan Stefano Inácio foi registrado no BID com a grafia alterada, contendo um M no lugar do N (Alam Steffano Inácio). Nomes digitados equivocadamente são raros, mas acontece.

Reprodução: CBF

Entretanto, no BID, o Alan Stefano Inácio, de registro 346150, tem contrato com o Cascavel Clube Recreativo, do Paraná, até dezembro e o Alam Steffano Inácio, de registro 642544, tem contrato com o Internacional-PB. O mesmo jogador tem contrato definitivo (não empréstimo) com dois clubes diferentes.

Reprodução: CBF

Ou seja, o mesmo jogador tem contrato com dois clubes distintos e isso é proibido pela legislação da CBF. O jogador trocou de clube com contrato vigente e não teve a rescisão publicada no BID.

Mesmo que a rescisão tenha existido no papel, não foi publicada no sistema oficial, ferindo o artigo 33 do Regulamento Nacional de Registro e Transferência de Atletas de Futebol.

Alan foi titular na estreia do Internacional de Lucena na Segundinha, na derrota por 2 a 0 contra o São Paulo Crystal.

Seguindo o retrospecto da divisão de acesso do Paraibano, é provável que mais irregularidades sejam encontradas no decorrer da competição.

Matérias Relacionadas
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube