Fechar

logo

Fechar

Goleiro do Botafogo-PB espera se vingar do Treze no Clássico Tradição

Da Redação com VozDaTorcida. Publicado em 20 de abril de 2021 às 17:22.

Foto: Ascom/Botafogo

Foto: Ascom/Botafogo

Mais uma vez fundamental em uma vitória do Botafogo-PB, o goleiro Felipe, que defendeu um pênalti na estreia do Paraibano, quer dar o troco no Clássico Tradição, após derrota no Nordestão, para aumentar a confiança da equipe na temporada. O arqueiro não quer que os erros da competição regional se repitam no certame estadual, e fala em ambiente diferente com troca no comando técnico.

Jogador mais experiente do elenco, ao lado do meia Marcos Aurélio, o camisa 1 quer a vitória diante do Treze para que a confiança do elenco siga em alta. Felipe destacou que no início do trabalho de Gerson Gusmão existia a pressão pela primeira vitória na temporada, e que foi aumentada a desconfiança após o empate contra o Confiança-SE.

Mas com os dois últimos bons resultados, as vitórias diante do Santa Cruz e Sousa, o ânimo para trabalhar e o respaldo dos torcedores com o time vêm aumentado, dando mais tranquilidade no dia a dia. É com esse pensamento que ele espera a vitória no clássico, para que o bom momento siga crescendo.

– Quando você vence um clássico, não quer dizer que você é o melhor time do mundo, mas a confiança vai lá em cima, a autoestima dos atletas vai lá para cima, mais confiança ainda no trabalho que está sendo bem feito. Quando você vence o clássico, pode ter certeza que você vai ter uma semana tranquila de trabalho – analisou.

O momento do Belo, como Felipe lembra, é bastante diferente daquela partida em Taguatinga, no Distrito Federal, em que o Treze venceu por 1 a 0.

A equipe pessoense vem agora de três jogos sem sofrer gols, sendo duas vitórias e um empate, garantindo ao torcedor que será uma partida bastante diferente do último encontro, quando teve que jogar com um jogador a menos durante todos os 90 minutos, uma vez que Kaio Wilker foi expulso aos 9 segundos de jogo.

Outro aspecto também difere em relação à aquele 1 de abril é a comissão técnica. A derrota significou a queda de Marcelo Vilar e a chegada de Gérson Gusmão, o que para o camisa 1 trouxe um novo ambiente para a Maravilha do Contorno.

– O momento hoje é totalmente diferente. Viemos de três bons resultados, mudança de comissão. Não querendo falar que o outro trabalho não estava sendo bem feito, mas quando você muda, é normal o ambiente dar uma aliviada, até porque os atletas que não vinham atuando querem mostrar para nova comissão que tem condições de jogar. Você acaba aumentando nível de treinamento, de competitividade dentro do elenco – contou.

A primeira fase do Campeonato Paraibano é ainda mais curta que a da Copa do Nordeste, com sete jogos ao invés de oito. Além de mais partidas, a copa regional tem um nível competitivo muito superior, o que acaba pesando na avaliação do desempenho da equipe pelo goleiro.

Apesar do alto nível de alguns concorrentes, o time da estrela vermelha acabou somando apenas um ponto contra as duas equipes da Série D, como o 4 de Julho e o Galo. São esses erros que Felipe espera que não sejam mais cometidos, tanto no Paraibano, mas principalmente na segunda metade do ano durante a Série C.

– Tivemos uma reformulação muito grande, e sabíamos que teríamos muita dificuldade neste início de temporada. Não justifica os resultados ruins com isso nós tivemos, mas pegamos duas equipes de Série A, duas de Série B, isso acaba pesando muito também por um elenco que foi recém formado. Temos que tirar lições desses erros que cometemos, que sabemos que durante a Série C como no Paraibano não podemos voltar a cometer. Trabalhar, que só o trabalho irá fazer chegarmos os nossos objetivos – concluiu.

Os rivais de João Pessoa e Campina Grande se enfrentam em mais um Clássico Tradição na quarta-feira (21), às 20h, no estádio Almeidão, na capital do estado, pela segunda rodada do Campeonato Paraibano.

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube