Fechar

Fechar

FPF recebe acusação de desvios e juíza determina quebra de sigilos bancários

Da Redação. Publicado em 29 de março de 2018 às 18:20.

Quando não é com o tepetão do futebol, a crise é na Justiça Comum mesmo. O penúltimo ano de mandato do presidente Amadeu Rodrigues à frente da Federação Paraibana (FPF) tem sido conturbado.

Foto: Reprodução / TV Cabo Branco

No início do mês de março, a 4ª vara de Justiça Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba, em João Pessoa, determinou a quebra do sigilo bancário da entidade que manda no futebol do estado.

A decisão acusa o mandatário da FPF de cometer supostos desvios de recursos. Amadeu também é acusado de improbidade administrativa pela não prestação de contas da entidade, somada ao uso de notas fiscais sem valor real na prestação.

Procurada, a defesa da Federação, que tem o advogado Marcos Souto Maior Filho como diretor jurídico, afirmou não ter sido notificada. Mesmo assim, o jurista diz estar divulgando de maneira espontânea a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico pessoais de Amadeu Rodrigues.

A defesa alega ainda que o cartola nada teme e estará disponível para ajudar a Justiça na resolução do caso.

A decisão de autoria da juíza Carla Mendes Nunes Galdino foi divulgada na quarta-feira (28).

Para facilitar o trabalho da Justiça, conforme a defesa, a Federação encaminhou a documentação necessária à magistrada responsável pelo processo.

O advogado Marcos Souto Maior Filho acredita na inocência de Amadeu. Para justificar a polêmica, argumenta que a briga política com o vice-presidente da FPF, Nosman Barreiro, é a causa motivadora das “acusações infundadas”.

Amadeu e Nosman foram eleitos em dezembro de 2014. Foto: Divulgação

– Quando tomamos conhecimento através da própria imprensa nós juntamos todos os estratos e divulgamos. A decisão foi sobre a Federação e nós apresentamos a completa lisura do nosso trabalho. Respeitamos a decisão judicial da magistrada, que junto com o Ministério Público, infelizmente, foram enganados por Nosman Barreiro, inimigo político de Amadeu. Confiamos no Poder Judiciário. Na realidade Nosman quer fazer palanque partidário com a Federação, mas a verdade sobre essas acusações infundadas serão esclarecidas – declarou a defesa da FPF.

Ainda segundo o advogado, a decisão de Amadeu Rodrigues em abrir espontaneamente seus sigilos mostra que a entidade não tem nada a esconder.

– Não temos nada a esconder e ele não tem nada o que temer. Amadeu já prestou contas dos exercícios de 2015 e 2016, que estão publicados no site da CBF e no Diário Oficial. A Federação não tem caixa preta, é uma entidade privada que só recebe dinheiro da CBF e Liga Nordeste, não existe um único centavo público transitando pelas contas desta entidade – ressaltou Marcos Souto.

A magistrada, no entanto, exige que os extratos bancários do período de janeiro de 2015 até dezembro de 2017 referentes a gestão de Amadeu Rodrigues sejam apresentados.

A defesa do mandatário alegou que todos os documentos estão sendo reunidos para serem encaminhados o quanto antes para que o caso seja elucidado.

Matérias Relacionadas
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube