Fechar

logo

Fechar

Fluminense faz dever de casa e vence o Bahia

Da redação com Folhapress. Publicado em 11 de outubro de 2020 às 19:57.

Foto: Lucas Merçon/Fluminense

Foto: Lucas Merçon/Fluminense

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – O Fluminense fez o dever de casa, venceu o Bahia por 1 a 0 neste domingo (11) no Maracanã e entrou de vez na briga pelas quatro primeiras colocações do Campeonato Brasileiro.

A partida foi pegada e contou com muita polêmica, mas o gol de Nenê foi suficiente para garantir os três pontos para os cariocas.

Com o resultado, o Fluminense chega aos 24 pontos e pula para a 5ª posição – passou o Palmeiras na classificação. O Tricolor volta a campo na quarta-feira, quando enfrentará o líder Atlético-MG, no Mineirão.

O Bahia, por sua vez, segue no meio da tabela com proximidade perigosa com a zona de rebaixamento. O time soma 15 pontos, na 13ª posição, mas tem a mesma pontuação do Botafogo, com um jogo a menos e primeiro time na degola. O Tricolor baiano encara o Goiás, no Serra Dourada na sexta-feira.

OS MELHORES: YAGO E NENÊ
O volante foi uma grata surpresa na partida. Com atuação segura, manteve os atacantes do Bahia sem levar perigo. E ainda teve boas chegadas no ataque. Nenê, por sua vez, chamou a responsabilidade e conseguiu dar mais três pontos para o Fluminense.

OS PIORES: PACHECO E CLAYSON
O peruano foi uma tragédia em campo. Errou praticamente tudo que tentou e não contribuiu em nada – acertou a trave em único lance de lucidez. Pelo lado do Bahia, Clayson correu muito, mas pouco produziu. Perdeu muitas bolas no ataque.

AS POLÊMICAS
O Fluminense reclamou bastante de dois lances de pênalti. No primeiro, nino cabeceou na mão de Juninho e o VAR sequer foi considerou a infração. No segundo tempo, Nenê foi derrubado por Gregore dentro da área. Dessa vez o assistente de vídeo assinalou a infração – o camisa 77 converteu. Comentarista da Globo, Sandro Meira Ricci disse que marcaria as duas penalidades. Mano Menezes, no entanto, foi à loucura com a situação e reclamou barbaridade na beira do gramado.

MANO MENEZES, UM SHOW À PARTE
Sem a torcida, Mano Menezes, técnico do Bahia, foi um show à parte contra o Fluminense. Ele tretou com Odair Hellmannm técnico adversário, deu bronca nos seus comandados e reclamou muito com a arbitragem. Tudo captado pelos microfones da Globo na beira do gramado.

JOGADAS DE PERIGO
Os lances de perigo ficaram restritos na primeira metade da etapa inicial. Com muitos erros de passes e defesa levando melhor sobre o ataque, o primeiro momento de emoção ocorreu somente aos 27min. Gilberto recebeu na intermediária, se livrou da marcação e chutou firme. A bola pegou muita força e tirou tinta da trave de Muriel.

FRED E E NENÊ PARAM EM DOUGLAS
O Fluminense respondeu logo em seguida. Fred e Nenê até então não haviam se encontrado em campo, mas mostraram entrosamento e inteligência na entrada da área. O camisa 9 recebeu cruzamento e dominou para o experiente atacante chutar de primeira para grande defesa de Douglas. Quase!

HUDSON FURA
O Fluminense cresceu na partida e mais uma vez ficou próximo de abrir o placar. Nenê fez longo lançamento para Igor Julião na ponta direita. O lateral se esticou e fez uma acrobacia para dar sequência à jogada. Ele consegue jogar a bola para dentro da área, mas Hudson furou na hora da finalização e desperdiça grande oportunidade.

FLU RECLAMA DE PÊNALTI
No fim do primeiro tempo, o Fluminense se revoltou com a arbitragem. Em cruzamento na área, Nino cabeceou para trás e viu a bola bater na mão de Juninho, que estava de costas para o lance, muito perto do defensor carioca, mas que estava com o braço aberto. O VAR sequer chamou o lance para revisão e foi criticado pelo comentarista da Globo Sandro Meira Ricci, que indicou a marcação da penalidade.

PACHECO ACERTA TRAVE
Muito mal no primeiro tempo, Fernando Pacheco finalmente deu sinal de vida após o intervalo. Após receber pelo lado direito de ataque, ele chutou firme e cruzado. A bola saiu muito forte, mas parou na trave de Douglas, que ficou com o rebote. Quase um belo gol do peruano.

NENÊ ABRE O PLACAR
Sempre ele. Nenê chamou a responsabilidade e abriu o placar para o Fluminense. Ele sofreu o pênalti e foi o responsável por converter a cobrança. O detalhe é que a infração só foi marcada com o auxílio do VAR, já que a a arbitragem inicialmente mandou o lance seguir. De fato, Gregore foi com o ombro nas costas do camisa 77.

BAHIA PRESSIONA, MAS NÃO EMPATA
Na base do coração, o Bahia tentou fazer pressão no Fluminense nos minutos finais. Os cariocas, no entanto, mantiveram boa postura defensiva e seguraram o ímpeto baiano. Nenhum lance de perigo chegou à meta de Muriel.

FLUMINENSE
Muriel, Julião, Nino, Digão e Danilo; Hudson, Dodi e Yago; Nenê (Luiz Henrique), Pacheco (Caio Paulista) e Fred (Felipe Cardoso). Técnico: Odair Hellmann

BAHIA
Douglas; Ernando, Lucas Fonseca, Juninho e Juninho Capixaba; Gregore, Elias e Daniel (Marco Antônio); Rossi (Fressin), Clayson (Elber) e Gilberto (Saldanha). Técnico: Mano Menezes

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: José Mendonça da Silva Junior (PR)
Auxiliares: Bruno Boschilia (PR) e Sidmar dos Santos Meurer (PR)
VAR: Rafael Traci (SC) Cartões amarelo: Danilo Barcelos, Digão (FLU); Daniel, Lucas Fonseca e Marco Antônio (BAH)
Gols: Nenê, aos 26min do segundo tempo

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube