Fechar

Fechar

Colunista de O Globo repercute punição do STJD ao Campinense

Da Redação. Publicado em 3 de agosto de 2018 às 7:36.

A Série D do Campeonato Brasileiro continua trazendo péssimas lembranças para os raposeiros. E o Campinense Clube virou pauta nacional durante essa semana.

É que na última terça-feira (31) a Raposa recebeu punição do STJD por ato discriminatório e uso de sinalizadores na partida contra o Brasiliense, caso que ganhou repercussão no blog do jornalista Lauro Jardim, de O Globo.

Foto: Ascom / Campinense

O Rubro-Negro recebeu multa de R$ 2 mil, sendo R$ 1 mil pelos gritos de “bicha” contra o goleiro adversário e R$ 1 mil pelo uso de sinalizadores.

Expulso no segundo tempo da partida contra os candangos, o goleiro reserva Delone também foi julgado e suspenso por um jogo.

A decisão da Segunda Comissão Disciplinar cabe recurso e pode chegar ao Pleno.

O julgamento

No relatório da partida, realizada no dia 25 de junho e vencida pelo Campinense (1 a 0 no tempo normal e 5 a 4 nos pênaltis), o árbitro informou que durante todo o jogo a torcida raposeira gritava em coro a palavra “bicha” toda vez que o goleiro do Brasiliense realizava a reposição da bola e que aos 48 do segundo tempo foram acesos sinalizadores, porém não houve a necessidade de paralisação da partida.

O árbitro informou ainda a expulsão do atleta Delone, camisa 12 do Campinense, por ofender o árbitro assistente nº1.

A Procuradoria denunciou o Campinense nos artigos 243-G e 213, inciso I, e o atleta Delone no artigo 243-F, todos artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD).

Em sessão de julgamentos a Procuradora Natalie Lassance destacou a gravidade dos fatos e pediu a procedência da denúncia e condenação dos denunciados.

Defensor do Campinense, o advogado Isaac Chaficks afirmou que o atleta xinga reclamando e não se dirigindo a arbitragem. O advogado lembra que Delone é primário e pede a desclassificação na conduta de ofensa para conduta contrária à ética e disciplina descrita no artigo 258. Com relação a denúncia ao clube o defensor sustentou.

“Clube foi denunciado por sinalizador, mas o que foi usado é o de fumaça. O próprio árbitro relata na súmula que a partida não foi paralisada devido a fumaça não ter atrapalhado, o que evidencia que era soltador de fumaça e descarta a gravidade. Com relação a suposta discriminação, não há vídeos ou qualquer outra prova que confirme que a infração partiu da torcida do Campinense”, disse o advogado.

Francisco Honório, relator do processo, justificou e anunciou seu voto. “Não entendo que o atleta cometeu ofensa. A infração devida é ao artigo 258, inciso II e aplico uma partida de suspensão. Ao Campinense a súmula deixa claro que houve infração por ato discriminatório e sinalizadores. Aplico R$ 1 mil no artigo 243-G e R$ 1 mil no artigo 213, inciso I, totalizando R$ 2 mil”, concluiu.

O voto do relator foi acompanhado pelos Auditores Felipe Diego, Sônia Frúgoli, Marcelo Vieira e pelo presidente Ivaney Cayres.

Matérias Relacionadas
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube