Fechar

logo

Fechar

Clássico paulista termina sem vencedor; pior para o Timão

Da redação com Folhapress. Publicado em 7 de outubro de 2020 às 22:06.

Foto: Ivan Storti/Santos FC

Foto: Ivan Storti/Santos FC

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – Santos e Corinthians empataram por 1 a 1 na noite desta quarta (7), na Neo Química Arena, pela 14ª rodada do Brasileirão. Os gols foram marcados por Madson e Danilo Avelar, ambos de cabeça.

Com o resultado, o Santos chegou a 21 pontos e se manteve próximo ao G-4 do torneio nacional. Já o Corinthians foi a 15 e segue perto da zona do rebaixamento.

O Peixe volta a campo neste domingo, às 16h, quando recebe o Grêmio na Vila Belmiro. O Timão vai ao Ceará para enfrentar o Vozão no mesmo dia, às 20h30, no Castelão.

O lateral-direito começou o jogo como um autêntico meia pela direita e foi bem. Criou alguns cruzamentos e apareceu na área para marcar o primeiro gol do jogo. Na segunda etapa, se tornou zagueiro com as alterações de Cuca.

QUEM FOI MAL: JOÃO PAULO
Falhou no gol do Corinthians e deu o empate ao rival no clássico no fim do primeiro tempo. Danilo Avelar, de cabeça, conseguiu ganhar no alto do goleiro santista que tentou socar a bola e marcou para o Timão. João Paulo ainda fez uma boa defesa no fim do jogo para evitar a derrota, mas foi o principal responsável pelo empate.

CRONOLOGIA DO JOGO
O Santos começou em cima e abriu o placar logo aos dez minutos de jogo. Jean Mota cruzou da esquerda e Madson apareceu na pequena área para cabecear para o gol. O terceiro gol do lateral-direito pelo Peixe, todos de cabeça O Corinthians empatou aos 45. Escanteio cobrado, Gil tocou de cabeça para o meio da área e Danilo Avelar ganhou do goleiro João Paulo para empatar o duelo.

SANTOS FAZ DUAS LINHAS DE QUATRO
O técnico Cuca montou o time no 4-4-2, com Jean Mota e Kaio Jorge à frente e uma linha de quatro no meio, com Lucas Braga pela esquerda e Madson pela direita. O time marcou em cima no início e conseguiu abriu o placar, mas não manteve o ritmo e sofreu o empate em uma bobeira do goleiro João Paulo.

CORINTHIANS: DOIS TIMES EM CAMPO
O Corinthians teve duas posturas diferentes no clássico. No primeiro tempo, o time apostou novamente no toque de bola excessivo e priorizando a saída de bola com Cássio e os zagueiros na defesa. No entanto, Cuca encaixou a marcação utilizando a maioria de seus jogadores e levou vantagem. Na segunda etapa, Coelho mexeu com alterações, mas principalmente na estratégia de jogo. Ele colocou Cazares, Boselli e Gustavo Mosquito nas vagas de Luan, Jô e Léo Natel.

Com atletas mais velozes, o time de Coelho passou a jogar mais em velocidade e buscando bolas longas, inclusive, com Cássio. A equipe deixou de ser “morosa” e mostrou mais vontade em campo. Já na reta final, Coelho ainda colocou Camacho e Mateus Vital nas vagas de Roni e Mantuan. O Corinthians continuou mas ofensivo e, com isso, deu mais espaço para contra-ataques ao Santos.

CAZARES ‘PEDE PASSAGEM’
O meia Cazares que voltou do intervalo como uma das novidades de Coelho, teve muito boa atuação no segundo tempo. O camisa 10 armou bem as jogadas do Corinthians. O equatoriano soube tocar de primeira e carregar a bola na “hora certa”. Com ele em campo, o time alvinegro ganha mais velocidade. Cazares “pede passagem” e deve ser titular em breve.

Foto: Ivan Storti/Santos FC

Foto: Ivan Storti/Santos FC

DEZ DESFALQUES NO SANTOS
O Peixe não teve dez jogadores à disposição para o clássico, entre eles os dois mais importantes do time: Marinho e Soteldo. Entre lesionados, suspensos e um atletas que não pode ser inscrito, completaram a lista de desfalques: Vladimir, Lucas Veríssimo, Alison, Carlos Sánchez, Raniel, Arthur Gomes, Renyer e Copete. O técnico Cuca, suspenso, foi outra baixa e foi substituído por Cuquinha.

E BANCO INTEIRO DA BASE
Com tantos problemas, todos os reservas do Peixe no clássico foram Meninos da Vila: o goleiro John, os zagueiros Derick, Alex e Wagner Leonardo, o volante Sandry, os meias Anderson Ceará, Ivonei e Lucas Lourenço, e os atacantes Marcos Leonardo e Tailson.

CORINTHIANS
Cássio, Fagner, Gil, Danilo Avelar, Lucas Piton; Gabriel, Roni (Camacho), Mantuan (Mateus Vital), Luan (Gustavo Mosquito), Léo Natel (Cazares); Jô (Boselli). Técnico interino: Dyego Coelho

SANTOS
João Paulo; Pará, Luan Peres, Luiz Felipe (Marcos Leonardo) e Felipe Jonatan (Wagner Leonardo); Diego Pituca, Jobson e Jean Mota (Tailson); Madson, Lucas Braga (Ivonei) e Kaio Jorge (Lucas Lourenço). Técnico: Cuquinha

Local: Neo Química Arena, em São Paulo
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (Fifa/RJ) e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ)
VAR: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)
Gols: Madson, aos 10 do primeiro tempo; Avelar, aos 45 do primeiro tempo
Amarelos: Lucas Braga, Lucas Lourenço, John e Cuquinha; Roni e Avelar

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube