...

Campina Grande - PB

FINALMENTE

Campinense e Botafogo-PB decidem Paraibano 2016 em jogo histórico no Amigão

15/06/2016 às 9:50

Fonte: Da Redação

Parecia que esse momento não chegaria, mas o Campeonato Paraibano de 2016 finalmente vai acabar.

Depois de mais de cem dias de bola rolando, com direito a adiamento do início da competição, paralisações por decisões judiciais, regulamento que ressuscitou time eliminado no mata-mata e que fez com que o time de melhor campanha do torneio tivesse desvantagem nas semifinais, entre outras bizarrices, Campinense e Botafogo-PB colocarão um ponto final no estadual desta temporada.

A Raposa está perto de conquistar um bicampeonato que não vem há 36 anos. Coincidentemente, em 1980 o adversário foi o Belo e o palco o Amigão, o mesmo da peleja de logo mais, às 20h30.

Se for campeão com um empate, como lhe garante o regulamento, o Rubro-Negro escreve um feito inédito na sua centenária história: o primeiro título de maneira invicta, honra que os rivais Treze e Bota-PB, e até o Auto Esporte, já têm.

Do lado botafoguense, a torcida se apega ao histórico recente. Em 2014, por exemplo, em pleno Amigão, deu Botafogo-PB, que conquistava naquela oportunidade o bicampeonato.

Nos dois últimos anos, Belo e Raposa dominaram o torneio estadual, sempre ocupando as duas primeiras colocações no certame.

Buscando seu 20º título estadual na história, a Raposa pode até perder por um gol de diferença para ficar no lugar mais alto do pódio.

No primeiro jogo da final, em João Pessoa, disputado no dia 1º de junho, o Campinense venceu por 3 a 2, com dois gols de Adalgiso Pitbull, destaque daquela peleja. Warley, de pênalti, no fim do duelo, ascendeu uma chama de esperança para o torcedor botafoguense acreditar que o título pode ser conquistado na Rainha da Borborema, como aconteceu em 2013 e 2014.

Para a grande decisão, o técnico raposeiro, Francisco Diá, adotou clima de mistério.

Em uma disputa particular com Itamar Schulle, técnico adversário, com quem já vem disputando jogos importantes desde as quartas de finais da Série D de 2015, o rubro-negro costuma colocar o time para cima buscando superar o estilo de jogo defensivo e pragmático de seu rival. Agora com a vantagem no placar, a dúvida é se ele vai seguir com a filosofia, ou se os papéis dos treinadores irão se inverter.

Mesmo sem dar pistas do provável time titular, Diá poderá contar com o retorno de Roger Gaúcho ao Campinense. O meia se machucou na primeira partida da decisão, e foi liberado pelo departamento médico no início dessa semana. Por outro lado, Jussimar, expulso no mesmo jogo, fica de fora, e seu substituto deverá ser Filipe Ramon.

No Botafogo-PB, a missão será espinhosa para erguer seu 28º troféu estadual, já que seu rival não perde por dois gols de diferença jogando em casa desde agosto de 2014.

Porém, neste Paraibano, o time venceu pela vantagem que precisa logo mais no primeiro mata-mata e na semifinal contra o Sousa, e por cinco oportunidades na fase de grupos.

Na Maravilha do Contorno, esta semana imperou a lei do silêncio. Ninguém falou nada, e Itamar Schulle não deu pistas do time que deve escalar. Precisando atacar para conseguir o resultado desejado, o treinador botafoguense terá o retorno do atacante Muller, que desfalcou o time no jogo contra o Remo, no último fim de semana, pela Série C.

O responsável pelo comando da grande decisão será o árbitro carioca Pablo Alves, que contará com os auxílios de Luís Felipe e Sousa Júnior. O quarteto vai ser completado por Clizaldo Luiz.

Escalações

Campinense: Glédson, Negretti, Joécio, Tiago Sala, Danilo; Fernando Pires, Magno, Filipe Ramon, Roger Gaúcho; Raul, Adalgiso Pitbull. Técnico: Francisco Diá.

Botafogo-PB: Michel Alves, Ângelo (João Paulo), Plínio, Marcelo Xavier, Jefferson Recife; Djavan, Val, Pedro Castro (Gedeil), Marcinho; Danielzinho, Muller. Técnico: Itamar Schulle.

Veja também

Comentários

Simple Share Buttons