Fechar

Fechar

Vida no jardim de Academus

Josemir Camilo. Publicado em 24 de novembro de 2017 às 10:07

Por Josemir Camilo de Melo (*)

Numa sexta feira, que não era 13, mas que se tornou um desafio, a Academia de Letras de Campina Grande participou do embate “Imortal Versus Karnal” (de forma Pondé/rada). É que o escritor eleito para a Cadeira de nº 35, Rau Ferreira (nome editorial), marcara o dia 17/11 para sua posse, no caminho da imortalidade. Convites foram enviados, contatos mantidos, auditório cedido pela nobre Associação Comercial, esperávamos os pares. Chegaram os ímpares, também. Ainda bem. Lamentamos a ausência de confrades e confreiras, do pequeno grupo que ainda nos resta e que, naquele momento, estava tendo um crescimento com o novel acadêmico.

Deixamos a coisa correr num misto de cerimonial e espontaneidade, quase à guisa de Esta Noite se Improvisa, de Pirandello, tanto que a sessão que deveria ser só da posse, incluiu uma gentil solicitação da Loja Maçônica “Dogival Costa” Nº 04 – Oriente de Esperança/PB. O protocolo da posse foi quebrado, para a introdução de sua comitiva ao Recinto, a qual, com singeleza e autenticidade, outorgou à Academia o Título de Reconhecimento do Mérito Cultural, pelas mãos do Venerável Mestre Antônio Monteiro Costa Filho. Júbilo!

O que nos cativou foi o público que desceu de Esperança para ouvir o seu cronista e jovem historiador. Sem ele, a cerimônia perderia seu brilho e a ameaça Karnal se completaria. Presente, também, o jovem, ex-prefeito de Esperança, Anderson Monteiro, que deu créditos ao livro enciclopédico/historiográfico de Rau Ferreira: “Banaboé Cariá: Recortes da Historiografia do Município de Esperança”, fazendo-o editar e adotar na rede municipal de ensino. Enquanto as autoridades políticas e culturais de Campina não deram o sinal de sua mercê, a Academia sentiu-se animada com a presença do Secretário de Cultura do Estado, Lau Siqueira. Excelente termômetro para aquilatar o sopro de vida que ainda percorre este virtual (porque tão distante do real acadêmico) Jardim de Academus campinense.

A Academia agradeceu à Loja Maçônica Regeneração Campinense, não só através do confrade Aílton Elisiário, como através do seu representante, na solenidade, ao senhor João Clementino, bem como ao senhor Alveriano Santana, representando a Academia de Letras Maçônicas. Por falar em academias de letras, agradecemos, também a presença do prof. Adriano de Lima, representando a Academia de Letras de Areia. A Furne, nossa ‘hostess’, se fez representar por seu conselheiro, o latinista, Prof. Cícero Agostinho Vieira (como ele mesmo ri do seu nome: três grandes oradores, numa só pessoa!). Representou a UEPB, a profa. Socorro Carvalho, e o prof. Wanderley de Brito, junto com Erik Brito, a Sociedade Paraibana de Arqueologia. A Academia agradeceu ao casal Leidson/Celeide Farias, bem como ao procurador Antônio de Pádua Torres. Contamos, ainda, com a presença de futuros acadêmicos como Paulo Marques Cavalcanti (o homem que vende seus livros na Feira de Parati, de chapéu de couro e ‘borná’) e o poeta José Edmilson Rodrigues (com sua bagagem de oito livros de excelentes poesias e crônicas). Além destes, se fez presente o grande biógrafo de um dos nossos patronos, Rosil Cavalcanti, o escritor Rômulo Nóbrega. Pedimos desculpas por não citar todos os 53 assinantes da ata de posse, que nos deram a honra de suas presenças.

Esta não foi a primeira vez, no ano, nem em nossa administração, que a ALCG se envolveu em manifestações socioculturais, com outras entidades. Desde a gestão de Ailton Elisiário, que introduziu o a Academia no Sítio São João, já fizemos, lá, duas posses de diretorias, em clima festivo. A última delas, nossa posse, a Academia recebeu uma delegação de escritores (as) pernambucano(a)s, de vários empreendimentos culturais e literários, em particular. A atual diretoria vem participando das reuniões da I Seccional PEN Clube da Paraíba, dirigida pela confreira Elizabeth Marinheiro, em mesa redonda conduzida pela Academia, a convite do PEN Clube; participou, em mesa redonda, da FLIBO (Feira Literária de Boqueirão); coordenou (a vice-presidente, Mabel Amorim) a apresentação de Jessier Quirino, na Livraria Nobel, bem como o secretário, Bruno Gaudêncio, tem sido convidado para diversas atividades literárias no Estado. Portanto, há vida, sim, no Jardim de Academus. Mais oxigênio, please!

(*) Professor, historiador, presidente da ALCG

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Josemir Camilo

* PhD em História pela UFPE, professor aposentado da UFPB, membro do Instituto Histórico de Campina Grande.

[email protected]

Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube