Fechar

logo

Fechar

Tessituras

Elizabeth Marinheiro. Publicado em 20 de outubro de 2018 às 13:30

Parabéns para Tulenka. Que Deus a abençoe, sempre! E a livre de todo mal. Amém, minha filha.

DE UM LANÇAMENTO

O piso da entrada, exótico; mas, indicando o acontecimento daquela tarde-noite marcante. Uma bacia com sangue ficcional era palco de célebre artista (CHICO OLIVEIRA) com a trágica performance de um prisioneiro. Tudo conotava o lançamento de “Vidas Aprisionadas/Relatos de uma prática educativa”, da autora DRA. MARIA SALETE van der POEL.

Salete, educadora consagrada, dispensa comentários, até porque Felix Araújo Filho e Mirna Maracajá se houveram com brilhantismo em suas apresentações.

Entretanto, um fragmento do texto do Dr. Timothy D. Ireland, me parece, focar Salete como eu a considero, desde o tempo em que FIGUEIREDO AGRA deslocou-se de Campina para a capital, a fim de ouvir a Defesa de Tese da autora. Ele voltou encantado, com Salete.

Eis o fragmento: “Salete não deixa dúvida de que ela defende os oprimidos, as pessoas que nunca tiveram a oportunidade de realizar o mínimo do seu potencial humano. Os presos denunciaram a cadeia como o cemitério dos vivos”. Nada mais coerente, digo eu…

Felix Araújo Filho, com sua caracteristica síntese, falou um improviso seguro e significativo.

Já a linda e talentosa Mirna Maracajá, pronunciou um discurso escrito: autêntico Poema Político-Social. Dela, irei transcrevendo alguns trechos, nestas “Tessituras”, embora me seja difícil a escolha de um deles.

Aqui, uma das escolhas: “Mas, existe uma Salete. Existem muitas Saletes. Haverão de existir, sempre, Saletes. Haveremos de dizer ”Marielle Franco: presente”! Salete Van der Poel: presente!

Obrigada, Salete, por não se curvar aos podres poderes, que fazem do morrer e matar de fome, gestos tão banais(Caetano). Obrigada por parir mais este livro e nos presentear com ele nesse momento de tantas crueldades e abalos à democracia. O seu livro nos injeta ânimo e coragem. Resistiremos, de pé, com dignidade, porque sempre poderemos reaprender a sonhar. Vamos ao bom combate, de livro na mão e amor no coração.

LEITURAS IMPORTANTES

  • De Daniel Blume, “RESPOSTA AO TERNO”. Poemas com perfeita literariedade, comugando o liríco-satírico com uma visão do mundo contemporâneo

“Saudade de uma saudade

como chaga que chega

a ser física” (p. 72)

  • De João Batista de Brito, “SIGNO E IMAGEM EM CASTRO PINTO”. Com elaboradíssima apresentação do Prof. Dr. Neroaldo Pontes de Azevedo, esta obra do João, ancorada, com absoluta pertinência, nas mais atuais Teorias da Literatura, conduz os leitores a conhecer, verticalmente, a Poética de Sergio de Castro Pinto, poeta nacional. Parabéns, João!
  • Após uma série de bons livros de Poesia, MAGNA CELI (UFPB) resolveu publicar “Saudade, um lugar dentro de mim”. Realmente se trata da narrativa memorialista, evidenciando uma estrutura substantiva, que provoca o “prazer do texto” defendido pelo inesquecível mestre ROLANDO BARTHES.

E ao meu leitor, minha saudade. Também…

Share this page to Telegram

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Elizabeth Marinheiro
Elizabeth Marinheiro

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube