Fechar

Fechar

Tessituras

Elizabeth Marinheiro. Publicado em 7 de abril de 2018.

Existe no ar uma enorme vontade de ser escritor… Multiplicam-se as publicações de poesia, crônicas, ficção e, sobretudo biografias…

Realmente, nada mais democrática que a Crítica Literária. Entretanto, é impossível concordar com aquilo que jamais será LITERATURA. Nunca!

Para nossa surpresa, recebi um livro, aparentemente simples, mas muito bem escrito. Livro que deve ser inserido naquela interioridade que não atrofia as funções da memória.O Coração cor de Rosa” remete para uma Presidente que, voltada para as loucuras de um sonho, não se deixou levar para certos slogans do “novo”.

O prefácio do Engenheiro Helder de França Costa enfatiza um coração cheio de amor e caridade. Com seu estilo conciso e isento do “piegas”, Helder demonstra que as ondulações da  memória vão e voltam, fixando saberes e afetividade.

Para Tamar Araújo Celino a autora Nilce França Costa”… a doce Nilce, postura retilínea, espiríto vertical, leal, magnânima, contemporizadora e semeadora de paz, amiga solidária de todas as horas”(p. 06). Concordamos, literalmente!

Depois de sua breve biografia, Nilce inícia seus “Poemas e textos” permeados de lirismo e suas “Cartas”, cuja fé perceptiva, explicitam uma alquimia passado/presente.

Nossa breve leitura afirma o Memorialismo recorrente no livro. Um memorialismo isento de estereopatia, confirmando focos e direções do existir.

“Sinto a cabeça VIRAR” (p. 13). Realmente, Nilce, a cabeça gira nos cruzamentos das contigências, da História, do pessoal e do público.

E gira também para que seu olhar inquieto saiba comungar o vidente e o visível. “Roda mundo, roda peão/ nas cordas do meu coração”. E do seu coração, Nilce, emerge nosso mundo instável e deslizante.

HOMENAGEADAS PEN/2018

A reabertura pública da I Seccional PEN da Paraíba, em 26/03 p/p. foi abençoada. Inclusive, vibrei com a presença de  amadas vinte-e-seis ex-alunas(os). Seus nomes permanecerão no meu mais sincero reconhecimento.

Hoje, transcrevo um dos belos momentos: a saudação de nossa Oradora Oficial, LOURDINHA RAMALHO às homenageadas/2018:

“Senhoras e senhores:

Sejam todos bem vindos à primeira reunião de 2018, do Pen Club do Brasil, Seccional da Paraíba, numa tarde noite de festa!

Uma sociedade se faz de pessoas de e do bem que proporcionam crescimento à comunidade e a si mesma.

As homenagens que hoje vamos prestar falam dessas pessoas que, de alguma forma, acrescentaram crescimento à cidade e aos seus cidadãos.

Profa. Dra. Auxiliadora Bezerra – o seu saber foi multiplicado centenas ou milhares de vezes, nos ensinamentos em sala de aula, em seminários, congressos e, até mesmo, em reuniões familiares e de amigos. Profa. da UFCG, coordenadora de curso e núcleo fez do ensinamento a sua grande missão.

Dra. Adriana Melo – foram a sua coragem e determinação que lhe fez descobrir o vínculo existente entre portadoras do zikavirus e a mal formação dos bebes gerados por essas portadoras. Foi a sua crença no ser humano que lhe deu a teimosia necessária para continuar as pesquisas. Aplaudida no Brasil e no mundo – num congresso mundial em 2017, na Áustria, foi aplaudida de pé pelos participantes – todos médicos e cientistas – ao terminar sua explanação sobre o assunto. Com dificuldades, mantém o IPESQ, onde as crianças portadoras de microcefalia tem tratamento de primeiro mundo.

Sra. Carminha Diniz – sempre disposta a ajudar os mais necessitados, traz no rosto, além da beleza, a serenidade de quem escolheu o caminho do bem para trilhar. O seu trabalho social e o seu envolvimento na comunidade a faz merecedora dessa homenagem.

Jornalista Laisa Grizi seu rosto bonito invade nossas casas todos os dias, seja nas ruas, sendo repórter, seja na apresentação do JPB. A seriedade da informação não tira o seu sorriso nos momentos de descontração, quando entrevista moradores das ruas com problemas ou artistas no São João.

Sra. Leda Figueiredo – a ACF faz parte da sua história desde sempre. Cuidando dos outros, com a ajuda de Maria do Carmo, ou Bebé, como carinhosamente chama sua filha, sempre está disponível para ajudar. Dona de um humor, muitas vezes irónico, não se nega a participar dos movimentos sociais da cidade.

Prof. Lucie Mayer Motta – achou pouco ensinar a língua portuguesa e transformou o idioma francês numa disciplina fácil de ser estudada e mostrou toda a ludicidade da Cidade Luz aos seus alunos. Participa ativamente dos grupos de voluntariado da cidade.

Sra. Maria Helena Araujo – participante ativa dos gupos de trabalhos voluntários da cidade, viu a sua vida se transformar depois de um problema de saúde. Pegou esse limão e o transformou em limonada, com coragem, garra e determinação, desafiando a medicina para continuar a sorrir a ajudar aos outros.

Sra. Marília Almeida – dona de olhos de esmeraldas e de um sorriso cativante, sempre se envolveu com a comunidade campinense, seja ao lado de Maurício, seja ao lado das pessoas que lhe cercam e lhe admiram, transformando sua vida num bem servir ao próximo.

Sra. Mércia Gouveia – ensinou esta cidade a ser gentil e dar flores! Suas mãos vivem perfumadas … se envolve em todos os trabalhos sociais em Campina e tem sempre uma palavra de carinho para cada um que tem o prazer de conviver.”

E ao meu leitor, todo meu carinho.

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Elizabeth Marinheiro

falecom@fhc.com.br

Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube