Fechar

logo

Fechar

Tessituras

Elizabeth Marinheiro. Publicado em 25 de setembro de 2016 às 10:08

Foto: Ascom

* Por Elizabeth Marinheiro

Setembro traz variadas canções e nisso reside seu colorido. Preto/branco; Azul/verde; Alegria/tristeza.

Da tristeza não quero falar: permaneço atônita com a passagem precoce do inesquecivel Ator Domingos Montangner. Um mistério!!!

Prefiro voltar-me às alegrias setembrinas.

A exemplo, o aniversário de minha amiga Lucie Mayer Motta.

Sobe-se a ladeira inicial do Bairro das Nações e lá está o casarão de Lucie, recebendo seu grupo “As Douradas”.

Com simplicidade ímpar, a aniversariante (dia 23/09) porta-se como excelente anfitriã. Lindas mesas espalham-se pelas salas. Ornatos de florinhas metaforizam a primavera anunciada. Acepipes antecipam um almoço dionisíaco.

Uma recepção sem protagonismos, mas transformei “Bony” no meu cachorrinho querido; ele pertenceu a Lulu, porém, agora, é o principal mimo da Lucie. Recordações!!!

Fiquei cercada por colegas admiráveis: Maria Ângela Galdino com suas abordagens inteligentes; Olguinha Amorim, com temas atuais; Eudinha Braga e sua ética epifânica; Lena Galdino hidratando a felicidade de todas nós.

Por lá tive a contenteza de encontrar Albanita (Ninita) Guerra e sua generosidade implícita. Salete Carolino, lady e liderança. Beth Vasconcelos, amor por Campina. Eliane Ramalho e Telma sempre carinhosas. Geruza Soares e sua beleza angelical. Eneida e Léa distribuindo simpatias. Glória Cunha Lima e sua sobriedade típica. Maud Brasil e Mariza Braga em animado papo. Célia, Suzie e Maria Téjo reanimaram a maravilhosa tarde. Desculpem-me qualquer omissão.

Destaque-se também o anfitrionato de Lamir Motta com todo seu glamour.

Com Olguinha Amorim relembrei ações do Jurista Octávio Amorim. Voltei para casa com um sabor Verasetembrino. Parabéns, Lucie!

LIZANKA.

Nesse vinte-e-dois senti-me presenteada por Deus. É que minha filha Lizanka veio do Rio passá-lo comigo. E só comigo. Tempo integral.

Recordar o passado. Comentar o presente. Cantar parabéns. Um almoço solidário em casa da Comadre Lurdes. Chatear a amiga Celiah of Frariashn. Escolheu modelos e tecidos para a formatura de Maria Eduarda. Tudo são astúcias de Lizanka que, também, não retirou o dedo dos eletrônicos…

GRATIDÃO.

Costumo afirmar que o agradecer jamais será lugar comum.

E, por esta razão, renovo minha gratidão às amigas e aos amigos que me abraçaram, no passado 22, através do face, dos telefonemas e telegramas.

Ao receber tão belas mensagens fiquei muito emocionada, sem esquecer de agradecer a Deus por minha vida e pela vida das amigas e dos amigos.

Com relação ao texto assinado pelo Escritor José Mário Silva Branco e publicado no PARAÍBAONLINE, irei pensar o conteúdo, com qual devo responder ao Poena dedicado por ele ao meu ser e ao meu fazer. Que se “desconte” a hipérbole do Imortal paraibano…

POÉTICA

Já disse algumas vezes que este espaço não tem por objetivo a Crítica Literária propriamente dita. Devo a mim mesma um Ensaio sobre a poesia de LUIS AUGUSTO CASSAS.

O combate ao consumo. O conflito das buscas. O discurso teológico. Humor, ironia, paródia. A dicção popular associada à narrativa erudita. Enfim, o homem dividido é recorrente na temática de Cassas, tornando-o um Poeta “de los dobles”.

Quero revisitá-lo agora:

Somos feito de nós.

Nós na garganta,

Nós no peito,

Nós nas tripas,

Multiplos nós,

Todos nós,

Nós todos.” LUIS AUGUSTO CASSAS(in “O Shopping de Deus & A Alma do negócio”, p. 61).

Ao meu leitor, os nós de nós…

* Professora-doutora, ensaísta, acadêmica e escritora campinense

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Elizabeth Marinheiro
Elizabeth Marinheiro

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube