...

Campina Grande - PB

Tempos Difíceis…

06/03/2018 às 21:50

Fonte: Da Redação

À falta de temas, quando da última reunião do Comitê dos 70, seus frequentadores se debruçaram sobre a conjuntura nacional, obtendo consenso a opinião de que o Brasil estaria mergulhado em uma difícil crise social, econômica e política.

Tal resultado se impôs pelas evidências da pratica sistemática da corrupção, em setores da Nação dominados pelos interesses particulares num atentado aos cânones da Ética e do Direito.

Um dos membros do Comité, então interrompeu o expositor e afirmou que, em termos de subversão de valores morais e éticos nada pode se comparar à Revolução de 64, na Paraíba, quando dois Prefeitos de Campina Grande, Newton Rique e Ronaldo Cunha Lima, foram sumariamente cassados, graças ao poderio da Casa de Pedra, no Rio de Janeiro.

Não só tal absurdo fora perpetrado: Professores universitários, servidores públicos, humildes, foram perseguidos e receberam o anátema de Revanchistas da Revolução para serem compulsoriamente aposentados, e intimados a responderem a processos no SNI.

A FURN, Fundação Universidade Regional do Nordeste, depois da destituição injusta do seu Reitor, Edvaldo de Souza do Ò, e afastamento de todos os seus Diretores, transformou-se no Quartel General do SNI para onde acorriam seus Agentes a receberem delações fabricadas para justificarem os atos arbitrários que adviriam inelutavelmente.

Nessa oportunidade, o Comité dos 70 foi unânime em exaltar dois homens públicos da Paraíba, Ernani Sátiro e João Agripino, ex-governadores, quando do AI-5, que não se submeteram aos excessos do arbítrio, no Estado, reagindo com altivez e autoridade aos desmandos dos Quartéis.

Para se livrar das ordens emanadas pelo SNI, exigindo a demissão de auxiliares do seu Governo, Ernani Sátiro foi ao Quarto Exército, em Recife, e pediu ao Comandante para ter acesso aos processos de afastamento de auxiliares seus, no que foi atendido, confirmando que a única imputação era de revanchismo, o que o levou a afirmar que todos os processos deveriam ser arquivados.

Evaldo Gonçalves é da APL e do IHGP

Veja também

Comentários

Simple Share Buttons