Fechar

Fechar

Salmos que canto

Rafael Holanda. Publicado em 25 de julho de 2016 às 8:35

RafaelHolanda-nova1Por Rafael Holanda*

Toda minha alegria vem do Senhor; Ele é a luz que ilumina as minhas esperanças e embeleza a minha estrada.

A palavra maior de todos os meus sonhos está diante a minha fé, onde meu coração, templo das virtudes, guarda como verdadeiro, os grandes ensinamentos.

Elevo as minhas mãos aos céus, para que estes dedos que funcionam como a mágica das minhas realizações de médico, sejam abençoados, e façam apenas a bondade.

Que a ternura do Senhor seja o grande travesseiro das minhas noites, após o cansaço do dia, e que os meus sonhos sejam límpidos como a verdade e justiça.

Que a bondade me seja a voz do perdão, que meus olhos sejam usados para visualizar a beleza da vida, e enxergar na dor um instante, capaz de transformar em afeição.

Que ao ouvir a palavra, possa praticá-la na concepção maior de toda esperança, não destoar para ser o melhor, mas dizer razões que nos levem a salvação.

Que ao pobre sofredor, possa dar um pouco de alegria, trazer a dignidade do servir, sem esperar que outros possam elogiar, ou que comentar gestos tão simples.

No longo caminho, eu possa sentir que há pessoas que morrem de fome, outros que sofrem pelo frio do inverno, e os que vivem sem nome, terra ou lar.

Quando eu servir como cidadão nas missões espinhosas da vida, saiba que os sofrimentos de muitos serão maiores sem minha ajuda, e desastrosos sem minha fé.

Eu gostaria de ser a chuva em terra seca, para fazer brotar do solo o alimento que sacia a água que se enche de peixes, a palavra que conforta, e o coração que ama.

Cantando as canções que partem dos nossos corações, tentamos trazer para nós mesmos, a estrutura mágica de consolo para os que vivem na mais triste desilusão.

Buscar por meios de a esperança, ter a honra imerecida de plasmar o amor, e edificar o santuário da harmonia, assim amparando o coração agoniado dos descrentes.

Haverá sempre a harmonia nos textos de nossa pequena história, quando sabemos concluir cada página do cotidiano, quando escrevemos com letras que se fixam como as rochas que se juntam para forma montanhas.

Não creio que os nossos momentos tenham apenas a finalidade da diversão, e de viver sem olhar de lado para encontrar em rostos esquálidos que vivem a miséria absoluta.

Os rios que passam por pontes rígidas são os mesmos que em determinado momento se tornam cheios e são capazes de levar consigo esta mesma ponte que encantava o barulho sereno de suas águas.

Nunca queira ser melhor do que os outros; nunca tente mostrar que sua palavra é capaz de calar a tantos, pois um dia alguém apenas com a presença é capaz de silenciar a sua voz.

Viva na esperança de que a qualquer momento haverá como um sussurro de um vento como uma voz que lhe buscará com a finalidade de prestar as suas contas que superam em muito a sua estrada.

Saiba compreender que o pau que bate em Francisco é o mesmo que atingirá Chico, e que as pedras que são atiradas elas são apenas renovadas e retornam ao seu lugar de origem.

Silencie nas decepções e saiba buscar a arte sublime de perdoar, pois nem sempre programamos um passeio para amanhã, quando em determinado momento a vela da vida não resiste a um simples sopro.

Por fim transforma-nos em batalhadores, a fim de que a claridade do Teu Evangelho seja colocada em nossos corações, e se edifiquem templos de esperança e verdade.

(*) Médico

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Rafael Holanda

* Médico.

[email protected]

Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube