Quantcast

Fechar

logo

Fechar

Roberto Cavalcanti: Ideologia cega! (2)

Roberto Cavalcanti. Publicado em 12 de agosto de 2019 às 18:08

Em 30 de março de 2017, escrevi neste mesmo local sobre um tema que, lamentavelmente, continua atualizado. Transcrevo parte do que disse.

“A longevidade tem algumas vantagens. Uma delas é o aprendizado sobre tolerância. O tempo – com todas as experiências que proporciona e a paciência que impõe – exerce uma pedagogia realmente efetiva. Ensina, por exemplo, o sujeito a respeitar as individualidades, as crenças particulares e as peculiaridades (tão distintas) desse animal complexo e estranho que é o homem. Um aprendizado que passa pela consciência plena de que a verdade é relativa. Não tenho a menor dúvida que uma das principais ferramentas de sobrevivência da humanidade – o que nos trouxe quase sãos e salvos até aqui – é a flexibilidade. Você deve estar perguntando: onde a tolerância, mais a relatividade das coisas e a flexão das ideias encontram com a cegueira anunciada no topo? Sem elas, a convivência ideológica seria uma missão impossível. Não estou – claro – incluindo os alienados no debate (pois esses devem ficar onde originalmente vivem: à margem da prosa, da poesia e da história). Refiro-me especificamente aqueles que exercem de forma consciente suas ideias políticas neste instante brasileiro tão delicado”.

Atentem que tudo que está escrito acima tem quase dois anos e meio. Será que nada mudou no Brasil?

Infelizmente, continuamos nos digladiando dentro de uma política de que devemos, sempre e ao máximo possível, atrapalhar o nosso País.

Nada vale para tirar o povo brasileiro de suas atuais dificuldades. Temos que ler e ouvir, todo o tempo, mensagens de desconstrução. Nada é positivo, tudo tem que ser desacreditado, destruído.

Cotidianamente, de forma ininterrupta, somos sombreados pela apologia do mal. Assistimos a uma batalha para que nada de bom se materialize. Tudo que é feito de certo ou errado, cai em uma vala comum.

O pequeno incidente é potencializado, a grande decisão é intencionalmente escondida. O bom senso nos ensina que a radicalização leva à destruição. Queremos realmente inviabilizar o nosso País?

As reformas, para serem aprovadas, são transformadas em verdadeiros partos fórceps. Todos temos consciência de que o Brasil depende delas para se recuperar.

As necessidades óbvias, reconhecidas por todos, quando postas em debate logo surgem os caçadores de destaques na mídia.

Desde o meu tempo no Senado, os entrevistados e realçados no noticiário foram sempre os do contra. Se houvesse o tempero da ideologia, tanto melhor.

É hora de darmos um basta. Vamos todos, juntos, torcer pelo Brasil. Sabemos o caminho a percorrer, temos consciência do que é certo ou errado. Não podemos aplaudir os que torcem pelo quanto pior, melhor.

Prego a tolerância que enriquece, porém, lamentavelmente, assisto à intolerância presente como a grande vitoriosa. Ideologia cega, já dizia eu em 2017.

Share this page to Telegram

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Roberto Cavalcanti
Roberto Cavalcanti

Empresário e diretor da CNI.

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube