...

Campina Grande - PB

Porque é preciso ouvir Ivan Lins

07/12/2017 às 20:51

Fonte: Da Redação

Por Ribamildo Bezerra

O que une uma nação se não o melhor espelho sobre si mesma?! O trabalho de Ivan Guimarães Lins, ou melhor, Ivan Lins. Em quase meio século de jornada, este músico autodidata nunca teve o mínimo pudor de se mostrar um ufanista, um romântico, um esperançoso. Enquanto composições como ‘Madalena’, ‘Abre Alas’ ‘Amor ao meu País”,  mostram o multifacetamento de um artista plural, sua condição como cidadão em um país, dividido, fragmentado pela desesperança, continua a ser singular.

A grande alquimia deste ex-engenheiro químico se dá em mesclar a sonoridade dos quatro cantos do mundo e misturá-la em um talento único, em um filtro necessário para os nossos ouvidos, nossos anseios, nossas lacunas. A poesia de Ivan e de dar nó em pingo de éter. Uma música que tem filtro próprio de um brasilidade, que os tempos de hoje insistem em apagar, mas que se trata de uma sensibilidade resistente, a vencer incompreensões desde quando o bom do IVAN era ser do  MAU – Movimento Artístico Universitário , e que nos anos 70 fez bonito no Festival Internacional da Canção com a música “O Amor é o Meu País”. Por achar que, em plena ditadura, uma cantiga de amor a um país soava como um aceno aos militares no poder, um voto, apenas um inconsequente voto, não fez deste trabalho o vitorioso daquele festival.

Ivan Lins, entre ilustres parceiros como Vitor Martins e Rafael Alterio, nunca teve vergonha de ‘mostrar como se goza’. Aliás, em um dos ousados momentos onde a poesia abriu alas para a sexualidade feminina nesta nação, pois na ‘vitoriosa’ carreira, nunca teve pudor de tomar como diretriz o seu coração, apaixonado, romântico e esperançoso.

A cada show seu, no atual panorama brasileiro ‘Somos Todos Iguais Esta Noite’, acaba sendo um ‘Abre Alas’ para que a ‘Bandeira do Divino’-sentimento de esperança – nos faça enxergar que somos em essência muito mais próximos culturalmente falando, do que qualquer ‘Noite’ a eclipsar com rancor e indiferença o orgulho de ser brasileiro.

Os vários Grammys, como reconhecimento internacional, na carreira de IVAN, apenas reafirmam o quanto sua linguagem é universal, sem nunca ter deixado de ser tupiniquim.

É preciso que nossos filhos ouçam IVAN LINS, para que seus corações identifiquem as vozes que nunca se perderam com o tempo, de João do Valle a Elis Regina. É obrigatório que os nossos filhos saibam quem é      IVAN LINS para que entendam que ‘ Depois dos Temporais’ é preciso ‘Começar de Novo’ por que a gente merece ser FELIZ.

IVAN LINS, minha eterna cachaça conservada na poesia

Veja também

Comentários

Simple Share Buttons