Fechar

logo

Fechar

Mestre Duduta

José Mário. Publicado em 27 de agosto de 2018 às 14:23

De batismo, o seu nome é José Ribeiro. No mundo da arte, notadamente a musical, atende pelo emblemático signo de Duduta, que impõe respeito, aplauso e, mais do que isso, justo reconhecimento ao seu sobrante talento. Portador de uma fala mansa, tradutora da serenidade existencial que lhe matiza a alma, Duduta encarna, sem estereótipos nem performances forjadas, a virtude sublime da humildade.

Ao mesmo tempo em que tem plena consciência da enorme significação do seu trabalho como músico exímio e formador de inúmeras gerações de instrumentistas que nele divisaram um inexcedível inspirador, Duduta não exibe nenhuma afetação, arrogância, antes, comporta-se, com modéstia, nas palavras e nos gestos.

Dir-se-ia um sábio feliz, absolutamente realizado na sua privilegiada condição de pai de família exemplar, sempre em harmonia com os seus violões, bandolins e cavaquinhos, espalhados por toda a sua casa, como uma verdadeira extensão do seu corpo, cartografia exata do seu espírito matizado por um jeito simples e, ao mesmo tempo, profundo, de conviver com o mundo, compreendê-lo, amá-lo e, como diria Alberto Caeiro, poeta heterônimo de Fernando Pessoa, “estar de acordo com ele”, sem aflições excessivas, sem o cultivo de angústias capazes de roubar-lhe a fé em Deus e banir-lhe do coração a esperança, combustível que impulsiona o motor da vida; e sem a qual a existência vira um deserto, sem brilho nem perspectiva.

Mestre Duduta, cidadão campinense, é um artista completo. Em suas mágicas mãos, as cordas de um cavaquinho e de um bandolim, mais do que acordes plenos de lírica melodia, transformam-se em poesia do mais alto quilate. Como dissemos, mais do que um músico competente, mestre Duduta é fonte de inspiração para os que, mirando-se em seu exemplo de rara fidelidade à arte musical, intentam percorrer similar trajetória.

Muitos foram os músicos que fizeram e continuam a fazer, da casa de Duduta uma pousada obrigatória para o lúdico desfrute de momentos deleitosos na presença da música, em suas mais variadas modalidades manifestativas. Artista múltiplo em suas fecundas realizações, mestre Duduta notabilizou-se, sobretudo, no cultivo do extraordinário estilo musical chamado chorinho, do qual, entre nós, com justiça, ele pontifica como um solene e incomparável embaixador, pai da matéria, mestre consagrado de inúmeras gerações que, aos seus pés, aprenderam a fascinante arte-ciência do chorinho, que, mais do que um estilo musical genuinamente brasileiro, constitui-se num verdadeiro estado de espírito somente compreendido e vivenciado pelos que militam em tão iluminado meio.

Em suma: no alto do Bairro do Monte Santo, a casa de mestre Duduta, em cujo interior respira-se uma indisfarçável atmosfera de concórdia, funciona como uma espécie de Faculdade do Chorinho, essa relíquia musical, intérprete fiel do polimórfico sentimento do povo brasileiro. Meritoriamente agraciado pelo Governo da Paraíba com o título de Mestre das Artes, Duduta é um orgulho campinense, um exemplo de honradez e retilínea e apreciável conduta.

Na segunda-feira do dia 30 de janeiro/2012, mercê de Deus, chegou à longeva e abençoada idade de setenta e oito bem vividos anos. Que Deus proteja o menestrel das cordas: Duduta, o mestre consumado na arte de fazer vibrar nas cordas de um bandolim e de um cavaquiinho, mais do que notas musicais, o puro sentimento humano, que brota do mais íntimo do coração, do casulo mais indevassável da alma.

No último dia 25 de julho do ano em curso, quis a Providência divina transportar do tempo para a eternidade o mestre Duduta, impregnando de saudade familiares e amigos do imortal músico campinense. Fica aqui, na republicação deste artigo que ocupou as páginas da imprensa campinense no transato ano de 2012, a minha sincera e saudosa homenagem ao mestre Duduta.

José Mario da Silva é professor da Universidade Federal de Campina Grande e membro da Academia Paraibana de Letras.

Share this page to Telegram

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de José Mário
José Mário

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube