Fechar

logo

Fechar

Medicina e Realidade Virtual

Alexandre Moura. Publicado em 20 de julho de 2018 às 9:58

O “Global Impact Challenge Brasil 2018”, competição realizada pela Singularity University (reconhecida como a “comunidade de inovação mais criativa do mundo”), em parceria com a “Escola Concept” de São Paulo, e que tem como objetivo principal “estimular inovações para resolver os maiores desafios do mundo (energia, meio ambiente, alimentos, abrigo, espaço, água, resiliência a desastres, governança, saúde, educação, prosperidade e segurança) usando para isso, tecnologias diferenciadas e inovadoras”, teve como grande vencedor da edição deste ano, uma aplicação de realidade virtual para uso em cursos de medicina.

Denominado de “MedRoom”, o produto “oferece uma estrutura de realidade virtual  aliada a materiais didáticos, para alunos e profissionais da área de saúde treinarem e aperfeiçoarem, procedimentos médicos”.

Através do uso de equipamentos e programas de computador, o MedRoom proporciona imersão virtual dentro do paciente, visualizando todos os órgãos, seu funcionamento e analisando possíveis problemas.

Excelente ideia e inovação! Realmente mereceu o prêmio!

“Ranking” de Universidades da América Latina

Foi publicado recentemente, o levantamento realizado pela revista inglesa THE (Times Higher Education), listando as melhores Universidades da América Latina.

Pelo ranking da revista, a UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, é a melhor da América Latina e outras cinco IES (Instituições de Ensino Superior) brasileiras aparecem entre as dez melhores da região, juntamente com IES do Chile, México e Colômbia.

Das brasileiras, a USP – Universidade de São Paulo ficou em segundo lugar, a UNIFESP – Universidade Federal de São Paulo em quarto, a PUC/RJ – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro em sétimo, a UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais em nono e a UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul é a decima colocada, segundo a o site da “THE”.

O que chamou minha atenção é que, entre as 129 universidades de dez países da América Latina – analisadas pela revista inglesa nesta terceira edição do ranking – não consta nenhuma da Paraíba (foram listadas 43 universidades brasileiras).

Talvez nossas IES locais não tenham participado da pesquisa ou deixado de responder algum questionário, mas seria interessante participar deste tipo de lista, particularmente como marketing institucional, em nível internacional, pois sabemos da qualidade e representatividade da UFCG, UEPB e UFPB no Brasil e no mundo.

Segundo a publicação, os critérios utilizados no levantamento foram: “a qualidade do ensino e da pesquisa, publicações de artigos científicos, transferência de tecnologia ao setor produtivo e perfil internacional das universidades”.

Mais detalhes e a lista completa podem ser vistos no endereço

www.timeshighereducation.com/world-university-rankings/2018/latin-america-university-rankings

Brinquedo de Gente Grande

Uma parceria bem interessante, no segmento de robótica, entre a empresa “Volvo”, fabricante de automóveis da Suécia, e a LEGO, fabricante de brinquedos (os mundialmente conhecidos e tradicionais “blocos de montar”) da Dinamarca, gerou uma “retroescavadeira que não precisa de operadores e é 100% movida a energia elétrica proveniente de um banco de baterias”.

Denominada de “Zeux”, o equipamento contou também, com a participação de crianças, pois a ideia da máquina foi de um grupo de “pequenos inventores” que dentre as soluções sugeridas, especificaram a “posição do braço ajustável da câmera que ajuda a guiar a máquina e que permite contato visual com os humanos”.

A retroescavadeira desenvolvida pela Volvo e pela LEGO, segundo os técnicos das empresas, “pode alcançar lugares que uma máquina tradicional não consegue, devido à tecnologia utilizada que altera o centro de gravidade automaticamente”.

50 milhões

Este é o número de “veículos autônomos que estarão rodando nas ruas” até o final do ano de 2026, segundo um estudo feito pela empresa americana “Jupiter Research”, especializada em pesquisas de mercado e tendências tecnológicas.

O documento, denominado de “Autonomous Vehicles & ADAS: Market Trends 2018-2026” prevê ainda que, destes 50 milhões de veículos autônomos, “mais de 10 milhões estarão nos Estados Unidos e cerca de 15 milhões no Extremo Oriente e na China”.

Os técnicos da Jupitter Research avaliam que “2019 será o ano dos carros autônomos, pois haverá vários lançamentos de veículos em que a atenção total do motorista não será mais necessária”. Vamos ver!

Share this page to Telegram

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Alexandre Moura
Alexandre Moura

Engenheiro Eletrônico, MBA em Software Business e Comércio Eletrônico, Diretor da Light Infocon Tecnologia S/A e Diretor de Relações Internacionais da BRAFIP - Associação Brasileira de Fomento à Inovação em Plataformas Tecnológicas.

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube