Fechar

logo

Fechar

Mário Tourinho: Ainda sobre a “dica” de Gonzaga para andarmos de bicicleta

Mário Tourinho. Publicado em 19 de abril de 2021 às 21:59

Devo reiterar que a bem intencionada “dica” de Gonzaga Rodrigues para que a população pessoense ande de bicicleta ou a pé é, realmente, de difícil aplicabilidade… para não dizer inaplicável em uma “cidade de 365 dias de sol” e na qual prevalece uma temperatura em torno dos 25º, além de ter, em vários de seus caminhos, ladeiras bem íngremes!

Já dissera que a “Cidade das Bicicletas” é Amsterdam/Holanda. Lá “tem mais bicicletas do que pessoas”: são mais de 1 milhão de bicicletas para uma população um pouco maior que 800 mil habitantes. Quanto à temperatura média é de 10º.

Nas ciclo-faixas e ciclovias há, esquina a esquina, semáforos para controle do trânsito… trânsito das bicicletas!

Lembro que Gonzaga Rodrigues observou que neste tempo de pandemia estaria ocorrendo “cenas de contágios em massa nas  estações de embarque e desembarque do transporte urbano”, isto em função do “aglomerado imprevidente a querer passarem 10 numa porta para 1” e com “falas e queixas respirando por uma boca só”.

E eu deixara de enfatizar que a providência cabível é uma ampla campanha de conscientização para que se evite conversar e até atender telefone neste ambiente. Os ônibus, aqui e alhures (até nas cidades bem estruturadas) sempre circulam com suas lotações normais e bem lotados nos horários de pique.

Dia desses, ouvindo a Rádio Bandnews em programa matinal com a participação do jornalista Eduardo Barão, este dizia que pegara um ônibus, lá  em Nova Iorque, que estava bem lotado e nele haviam algumas pessoas inescrupulosamente sem máscaras! Repito: ele dizia que o ônibus “estava bem lotado”.

Quer dizer: o transporte coletivo é assim, aqui e no resto do mundo… em alguns horários circula até semi-vazios… nos horários de pique circula com lotação total!

Mas, de modo específico em relação ao transporte coletivo urbano de João Pessoa, precisamos todos bem o avaliar, portanto o compar com o de outras cidades brasileiras: – aqui, há anos, está em patamar melhor do que em muitas das outras capitais, não significando querer dizer que tudo se encontre adequado.

Mas, não se pode, por uma falha ou outra, fazer apontamentos  contra o setor empresarial como que “só pensa em lucro”. Não! Não é assim! O setor empresarial pensa, e deve pensar, na sustentabilidade do serviço dentro dos padrões de satisfação à comunidade. E esta sustentabilidade tem a ver com o “como pagar a conta”.

Por isto, é de difícil aplicabilidade, também, a “dica” de Gonzaga Rodrigues para que “a população ande de bicicleta ou a pé, deixando  os ônibus só para os idosos e pessoas com dificuldade de locomoção”. Quem pagaria a conta?!…

Share this page to Telegram

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Mário Tourinho
Mário Tourinho

Administrador, membro da Academia Paraibana de Ciência da Administração (APCA), ex-diretor institucional do Conselho Federal de Administração, ex-presidente do Conselho Regional de Administração, pós-graduado em planejamento operativo, diretor executivo do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de João Pessoa de 1993 a 2016.

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube