Fechar

logo
logo

Fechar

Lembranças de músicas francesas

Benedito Antonio Luciano. Publicado em 16 de dezembro de 2021 às 9:26

Em 1970, aos quinze anos, iniciei os estudos no curso científico do Colégio Estadual da Prata. Adolescente, almejava conciliar os estudos com algum trabalho remunerado, pois não me agradava pedir dinheiro ao meu pai para cobrir as necessidades e vaidades típicas de um jovem que começava a enveredar pela vida boêmia e conquistas amorosas.

Foi então que, por intermédio de alguns colegas, soube de um concurso para locutor da Rádio Borborema. No dia e horário marcados, comparecemos à rádio para sermos submetidos ao teste. Não lembro quantos eram os concorrentes. Sei que ficamos num corredor e, um a um, fomos sendo chamados para entrar no estúdio.

Quando chegou a minha vez, entrei tentando não demonstrar o nervosismo. O meu avaliador foi o saudoso locutor Zé Bezerra. Ele entregou um papel para eu ler diante do microfone. No papel estavam escritos o prefixo da rádio (ZYO-7), alguns textos breves, os nomes de algumas músicas e seus respectivos intérpretes.

Caprichei na impostação da voz e na dicção, mas quando me deparei com o título da música “La vie en rose” não soube pronunciá-lo corretamente. Até então, eu nunca tinha estudado francês e sequer escutado a referida música. Fui reprovado. Naquele tempo, o nível de exigência para ser locutor da Rádio Borborema era alto. A reprovação foi justa. Como locutor, eu não tinha o talento do meu primo Geraldo Batista.

Naquela época, os jovens da minha geração estavam acostumados a ouvir muito mais música popular brasileira e músicas originárias da Inglaterra, Estados Unidos e Itália do que música francesa, o que só mudaria com a curiosidade despertada pela música “Je t’aime moi non plus”, composta por Serge Gainsbourg.

Lançada oficialmente em 1969, nas vozes de Serge e de sua esposa, a atriz inglesa Jane Birkin, talvez, o que despertou tanta curiosidade tenha sido a conotação erótica adotada na interpretação de “Je t’aime moi non plus” e o fato de a execução pública dessa música ter sido censurada em vários países, inclusive no Brasil. E como sabemos, jovens gostam de transgredir.

O tempo passou e, graças a influência de alguns colegas, outras composições francesas de caráter popular foram sendo incorporadas ao meu gosto musical, mesmo antes de iniciar os estudos da língua francesa na Aliança Francesa e complementá-los nos cursos de extensão ministrados no Campus II da UFPB (atual UFCG), em Campina Grande-PB.

Neste contexto, de forma aleatória quanto à cronologia, seguem os títulos de algumas dessas composições: “Aranjuez mon amour”; “C`est ma vie”; “Et maintenant”; “Et si tu n’existais pas”; “F…come femme”; “Hymme a l´amour”, “Je ne t’aime plus”; “L’amour est bleu”; “La bohème”; “La derniere valse”; “La mamma”; “La mauvaise réputation”; “La mer”; “La poupée qui fait non”; “Les amoureax des banc publics”; “Les marionnettes”; “Ma vie”; “Ne me quitte pas”; “Paroles, paroles”; “Quand l’amour est mort”; “Que c`est triste Venise”; “Sous quelle étoile suis-je né ?”; “Tous les garçons et las filles”; e “Un homme et une femme”.

Assim, ao rememorar tais músicas, também foi inevitável lembrar de alguns amigos saudosos que as apresentaram para mim. A eles a minha gratidão, pois, como dizia Artur da Távola: “Música é vida interior e quem tem vida interior, jamais padecerá de solidão”.

Campina Grande, 16 de dezembro de 2021.
[email protected]

Valorize o jornalismo profissional e compartilhe informação de qualidade!
Share this page to Telegram

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Benedito Antonio Luciano
Benedito Antonio Luciano

Professor doutor, titular do Departamento de Engenharia Elétrica da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube