...

Campina Grande - PB

Informação e Alimentação

30/09/2016 às 8:17

Fonte: Da Redação

alexandre_moura1

Por Alexandre J. Beltrão Moura (*)

O grande desafio dos executivos e das pessoas de uma forma geral, na atualidade é tratar da enorme quantidade de informação que é disponibilizada a cada hora.

É necessário separar o que é importante e relevante, principalmente para os negócios, do que não é. Ou seja, separar o “joio do trigo”, pois boa parte da informação que recebemos diariamente, mais atrapalha que ajuda na formação de opinião e na tomada de decisões.

Abordando este tema, existe uma vasta literatura, boa parte na língua inglesa, mas já com publicações em português.

Um livro bem interessante tem como título: “Dieta da Informação”, (do original em inglês: “The Information Diet – A case for conscious consumption”) de autoria do americano Clay Johnson, que compara “informação com alimentação” e os cuidados que devemos ter com a “obesidade mental” pelo excesso de “comida” (informação).

É um livro bem interessante e serve para uma boa reflexão sobre a “era da informação” que estamos vivendo.

Prêmio Internacional

Em recente congresso internacional na área de telecomunicações (“19th International Conference on OFDM and Frequency Domain Techniques 2016”), realizado na cidade de Essen, Alemanha, um grupo de quatro pesquisadores brasileiros, docentes de engenharia elétrica, da Universidade de Brasília (UnB) e da Universidade Federal do Ceará (UFCE), receberam um premio pela criação de “um método de baixa complexidade para implementação de receptores de telecomunicação sem fio”.

A solução proposta pelos brasileiros tem várias aplicações dentre elas, na telefonia celular, pois permite que “os sistemas atuais suportem mais usuários transmitindo maior quantidade de dados, sem prejudicar a qualidade do serviço”. Excelente!

Robôs Chineses

Depois do aeroporto da cidade de Genebra, na Suíça, chegou à vez dos aeroportos da China utilizarem robôs.

O primeiro aeroporto a utilizar os “guardiões automatizados”, segundo a terminologia utilizada pela imprensa chinesa, é o da cidade de “Shenzhen”, vizinha da conhecida metrópole “Hong Kong”.

A ideia é utilizar os robôs para “patrulhar um dos terminais do complexo aeroportuário da cidade”.  Segundo matéria publicada pelo jornal chinês “Diário do Povo”, os robôs chamados de “Anbot” (do chinês “an” que significa segurança e “bot” do termo em inglês “robot”), possuem “uma câmera de alta definição capaz de fazer imagens dos viajantes para serem analisadas pela central de policia local”.

Além da câmera, “Anbot” é dotado de “um braço mecânico capaz de soltar descargas elétricas para render potenciais infratores”. Ou seja, ele pode “agir” como um policial real.

O custo do equipamento é bem interessante, cerca de R$ 50 mil por unidade.

Parceria

A parceria entre a CNI – Confederação Nacional de Indústria e a Apex-Brasil (Agencia de promoção das Exportações do Governo Federal) para ampliar a atuação de pequenas e médias empresas no exterior gerou negócios da ordem de US$ 277 milhões, 50% acima da meta traçada.

Segundo os técnicos da Apex-Brasil, de 2015 até este mês, foram atendidas 894 empresas em 30 ações internacionais, em vários países.

Segundo os dados levantados, as exportações atingiram 127 países e demonstram, claramente, o potencial exportador das empresas brasileiras e a importância da atuação internacional na retomada do crescimento da economia brasileira.

(*) Engenheiro Eletrônico, Presidente da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado da Paraíba.

Veja também

Comentários

Simple Share Buttons