Fechar

Fechar

Igreja: pessoas e instituições

Dom Genival Saraiva. Publicado em 3 de fevereiro de 2018.

* Por Dom Genival Saraiva

A Igreja é uma instituição divina com face humana, histórica, geográfica. Ao se falar de Igreja, é muito comum pensar-se, de imediato, no aspecto institucional, na sua organização; todavia, dever-se-ia começar por aquele elemento essencial da sua natureza: as pessoas. Com efeito, o Concílio Vaticano II definiu a Igreja com “povo de Deus”. Que pessoas fazem parte parte desse povo? Os batizados; por conseguinte, leigos, religiosos, ministros ordenados – diáconos, presbíteros, bispos. Essas pessoas, obviamente, vivem numa determinada área geográfica da terra. A catolicidade da Igreja significa que ela tem a missão de anunciar Jesus Cristo a todos os povos, devendo estar presente em todas as nações, por mandado de Jesus. Por isso, ela está organizada para servir o povo de Deus. Certamente, a compreensão do ser e da ação da Igreja contribui para uma participação mais efetiva dos fiéis no anúncio do Evangelho, no cumprimento da sua missão. Teológica e canonicamente, a Diocese é uma “porção do povo de Deus”, como a definiu o Concílio. Dessa maneira, o católico é membro do povo de Deus, vive sua fé num país, numa Diocese que está localizada numa área específica de um continente, de uma nação, de uma região. Para facilitar a compreensão do ser da Igreja, por certo, será útil delimitar o olhar sobre a Igreja e sua organização no Brasil. Os cristãos católicos que vivem no Brasil são parte do povo de Deus que está espalhado pelo orbe terrestre. Eles vivem em 277 “Circunscrições Eclesiásticas”: 44 Arquidioceses, 216 Dioceses, 9 Prelazias, um Ordinariado Militar, Administração Apostólica, 4 Equi/Eparquias, 1 Exarcado, 1 Ordinariado para fiéis do Rito Oriental. Conforme a estatística atual, no Brasil, há 322 Bispos no exercício canônico de sua função e 173 Bispos eméritos.

Esse universo eclesiástico faz parte da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB. Por sinal, a CNBB está entre as primeiras Conferências Episcopais do mundo. O Concílio Vaticano II as instituiu, formalmente, em face de sua finalidade de promover a colegialidade episcopal: “as Conferências Episcopais podem hoje contribuir com múltipla e fecunda força para que este afeto colegial seja levado a uma aplicação concreta.” Na sua estrutura organizacional, a CNBB compreende 18 Regionais – Norte I (Estado do Amazonas), Norte 2 (Estado do Pará), Norte 3 (Estado do Tocantins), Nordeste 1(Estado do Ceará), Nordeste 2 (Estados de Alagoas, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte), Nordeste 3 (Estados da Bahia e Sergipe), Nordeste 4 (Estado do Piauí), Nordeste 5 (Estado do Maranhão), Leste 1 (Estado do Rio de Janeiro) Leste 2 (Estados de Minas Gerais e Espírito Santo), Sul 1 (Estado de São Paulo), Sul 2 (Estado do Paraná), Sul 3 (Estado do Rio Grande do Sul), Sul 4 (Estado de Santa Catarina), Centro Oeste (Estado de Goiás e Distrito Federal) Oeste 1 (Estado de Mato Grosso do Sul) Oeste 2 (Estado do Mato Grosso), Noroeste (Estado de Rondônia). Dessa forma, as Dioceses que estão localizadas nesses Estados pertencem ao seu respectivo Regional. Tomando como exemplo o Regional Nordeste 2, integram-no 21 Arqui/Dioceses: Maceió, Penedo e Palmeira dos Índios (Alagoas), Olinda e Recife, Caruaru, Nazaré, Palmares, Garanhuns, Pesqueira, Floresta, Petrolina, Afogados da Ingazeira, Salgueiro (Pernambuco), Paraíba (João Pessoa), Campina Grande, Guarabira, Patos, Cajazeiras (Paraíba), Natal, Caicó, Mossoró (Rio Grande do Norte).

A Igreja subsiste em sua natureza e missão, mas, em razão de seu caráter institucional, as pessoas passam no tempo, por circunstâncias ou por força do fator tempo. Por isso, no âmbito do Regional Nordeste 2, apenas no período de 2016 a 2018, em relação ao episcopado, registraram-se diversas mudanças, em decorrência da emeritude ou transferência de Bispos. Estado da Paraíba – Cajazeiras: Dom Francisco de Sales Alencar Batista. Arquidiocese da Paraíba: Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz. Campina Grande: Dom Dulcênio Fontes de Matos. Guarabira: Dom Aldemiro Sena dos Santos. Estado de Pernambuco – Nazaré: Dom Francisco de Assis Dantas de Lucena. Petrolina: Dom Francisco Canindé Palhano (nomeado).

Guiada pelo Espírito Santo, a Igreja que Jesus instituiu é una, santa, católica, apostólica. Conhecer a Igreja e ser fiel à Igreja constituem um ato de responsabilidade, um gesto de amor, uma experiência de alegria, um sinal de comunhão.

* Bispo Emérito de Palmares – PE

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Dom Genival Saraiva

*Administrador Apostólico da Arquidiocese da Paraíba

falecom@fhc.com.br

Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube