...

Campina Grande - PB

Frutas da Caatinga e a EMBRAPA

13/01/2017 às 12:11

Fonte: Da Redação

Uma pesquisa sendo desenvolvida pela unidade da EMBRAPA (voltada para a agroindústria), situada no estado do Rio de Janeiro, em parceria com a “Embrapa Semiárido”, localizada em Pernambuco, pretende agregar valor às fruteiras da área da Caatinga. A ideia é aproveitar o mercado, cada vez maior, de alimentos naturais e orgânicos. Já foram desenvolvidos “três novos produtos com frutas da Caatinga: geleia mista de umbu, cajá e mamão; fruta laminada de umbu e manga; chutney de maracujá do mato e manga”.

As novas tecnologias desenvolvidas, pelos pesquisadores, incluem o processamento para a produção em agroindústrias e ações de manejo dos pomares das fruteiras nativas ameaçadas de extinção.

Um exemplo de agregação de valor é o chutney (que é originário da Índia) e serve como molho em carnes e alimentos salgados, sendo produzido com maracujá do mato e manga.

O novo produto, utilizando frutas da Caatinga como matéria prima, teve boa aceitação pelos consumidores de um supermercado da cidade do Rio de Janeiro. Mais informações sobre a pesquisa no site www.embrapa.br/fale-conosco/sac

Abaixo o Desperdício de Alimentos

Por falar em alimentos, foi lançada recentemente, a “Rede Save Food Brasil” (RSFB) com o objetivo de diminuir os desperdícios de alimentos no país. A RSFB tem o apoio da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO/ONU), Embrapa e outras dezenas de entidades governamentais e da iniciativa privada.

Segundo os organizadores da Rede, a ideia é “atuar em agendas regionais e nacionais baseada em três pilares estratégicos, ligados à governança (alianças institucionais, políticas públicas), comunicação (sensibilização, informação) e tecnologia (pesquisa, inovação)”.

De acordo com dados da ONU, “cerca de um terço dos alimentos produzidos do mundo são desperdiçados ou perdidos, durante o processo de transporte e armazenagem”. Em algumas regiões do Brasil este percentual chega a ser ainda maior. Excelente iniciativa! Mais detalhes sobre o assunto podem ser obtidos no site www.savefoodbrasil.org

“Laura”

Este é o nome de um “Robô” que “consegue identificar pacientes passiveis de desenvolver um quadro de Sepse (infecção generalizada)”.

O equipamento analisa uma serie de informações como “alterações na temperatura e em parâmetros sanguíneos, identificando os quadros de risco e alerta imediatamente a equipe médica, que esta cuidando do doente, por meio de monitores”.

“Laura” tem um software de IA (Inteligência Artificial) que “aprendeu a identificar sinais da doença cruzando normas de protocolos internacionais e os históricos de cerca de 7.000 pacientes” que passaram pelo Hospital Nossa Senhora das Graças, em Curitiba, Paraná.

Nos primeiros testes, utilizando “Laura” foi possível reduzir em até 70% o número de casos de Sepse. Laura era o nome da filha do Analista de Sistemas Jacson Fressato, criador do equipamento, que perdeu a filha em 2010, vitimada por uma infecção generalizada, quando tinha apenas 18 dias de vida.

“Ahead”

Este é o nome do novo programa de aceleração da empresa Startup Farm,uma das maiores companhias de investimentos em empresas startups. Este novo projeto pretende selecionar até 15 startups, de qualquer setor da economia, avaliando a “capacidade de execução da equipe, o grau de inovação do projeto e o impacto que a startup pode trazer para o mercado em que se propõe atuar”.

As inscrições vão até o próximo dia 29 de janeiro e cada empresa pode receber até US$ 700 mil para desenvolver seu projeto de negócio. Mais informações no site aceleracao.startupfarm.com.br

Por Alexandre J. Beltrão Moura

Veja também

Comentários

Simple Share Buttons