...

Campina Grande - PB

Especulação matemática

26/01/2018 às 18:14

Fonte: Da Redação

Foto: Leonardo Silva/ Paraibaonline

Foto: Leonardo Silva/ Paraibaonline

Se bem seja uma ciência exata, pode-se especular um pouco sobre matemática, números, quando se trata da Lava Jato e seus números assustadores e inimagináveis.

Diz-se que somente a ODEBRECHT pagou de propinas entre 2006 e 2014, cerca de R$ 10 bilhões em toda sorte de tenebrosas transações. O preço de construir 5.000 UPAs ou 5.000 creches, quase uma em cada município do Brasil.

Agora um exercício para ajudar a pensar no tamanho do rombo. A ODEBRECHT chegou a faturar num único ano cerca de R$ 100 BILHÕES. Se faturou, em média, 70% disso nos nove anos do período considerado, teria auferido uma receita de pelo menos R$ 630 bilhões. Assim, a propina de R$ 10 bilhões corresponderia a 1,6% do total distribuído pela Diretoria de Operações Estruturadas da companhia.

Mas o prejuízo do Brasil, e consequentemente de nós brasileiros, não se resume a isso, aos R$ 10 bi: é justo considerar que nesse esquema de roubalheira generalizada, também as obras foram superfaturadas. Teoricamente um sobrepreço de 50%, reduziria o preço básico – custos mais lucro – dos contratos a R$ 420 bilhões, e, em consequência, levando o prejuízo para o cidadão para R$ 210 bilhões.

Já pensou essa dinheirama toda aplicada de forma correta, em benefício da população: melhorias na educação, preparando o cidadão para um futuro digno, na saúde, na segurança, em saneamento básico?

Isso é apenas uma parte da contabilidade da operação. É somente uma empreiteira. Quando a Operação Lava Jato for concluída e juntar todas as empresas envolvidas em crimes semelhantes, e é provável que o rombo nunca venha a ser dimensionado, o Brasil vai tremer nas bases.

São obras com preços finais de cinco ou mais vezes os valores originais que tornam o Brasil também campeão mundial nesse vil esporte da roubalheira.

Ademais, não podemos esquecer a absoluta ausência de prioridade e a péssima qualidade de muitas obras, obrigando a reconstrução precoce com graves consequências. E o Brasil está cheio delas.

Complexos petroquímicos que custaram em até oito vezes o preço da licitação e ainda não concluídos, estádios que nunca vão ser usados em sua plenitude, linhas ferroviárias e de metrô inconclusas, aeroportos funcionando precariamente, estradas esburacadas às primeiras chuvas, etc.

Uma ressalva: os números aqui trazidos certamente serão ultrapassados na voragem dessa fogueira que não quer diminuir.

Que são os responsáveis por tudo isso? Os políticos que eu e você elegemos e colocamos à frente dos nossos destinos.

Os verdadeiros ladrões que se locupletaram com nosso dinheiro e ainda tem a cara de pau de dizer, os que tem mandato, que todos os seus atos foram praticados dentro da Lei e aprovados pela Justiça.

Todos os outros, igualmente ladrões, ainda tem a ousadia de procurar mobilizar a população para defender seus interesses escusos e pensando em voltar ao poder.

Diante de tudo isso cabe perguntar: Você ainda tem coragem de votar em algum desses envolvidos na Lava Jato? Se tem é uma questão de fé e essa nunca deve ser discutida. Depois não venha reclamar. Votar em ladrão?

Veja também

Comentários

Simple Share Buttons