Fechar

Fechar

Esclerose Múltipla

Alexandre Moura. Publicado em 15 de julho de 2016 às 22:25

Por Alexandre J. Beltrão Moura

Um aplicativo (App) para smartphones que visa facilitar a vida de quem tem esclerose múltipla ou mobilidade reduzida, já está disponível. A ideia é receber colaboração de pessoas portadoras de “esclerose múltipla (EM) e/ou com mobilidade reduzida, na criação de uma base de dados sobre acessibilidade de locais públicos no Brasil”. A AME – Associação Amigos Múltiplos pela Esclerose, entidade sem fins lucrativos criada em 2012 com o objetivo de compartilhar informações sobre a EM, é a responsável pelo desenvolvimento do App. O aplicativo facilita e melhora a qualidade de vida dos portadores de EM, por exemplo, na hora de sair, viajar ou ir às compras. O App tem ainda o “Guia do Viajante Esclerosado” e o “Botão de Segurança”. Esta última funcionalidade, serve para casos de emergência, pois permite acionar um familiar por meio de um único toque no celular. O aplicativo, gratuito, está disponível nas lojas virtuais “Apple Store” e “Google Play”. Excelente ideia!

Projetos Parados

A crise financeira do governo federal tem causado paralisia em alguns projetos científicos e tecnológicos, importantes para o futuro do país. São vários projetos parados ou “quase parando”. Na coluna de hoje vou destacar dois. O primeiro tem impacto diretamente na população. Trata-se do uso de “nanotecnologia” para tratamento de câncer. O INCT – Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Nano Biotecnologia, localizado em Brasília, Distrito Federal, está com a pesquisa, que usa este tipo de tecnologia para o desenvolvimento de medicamentos mais eficientes contra o câncer, prejudicada, devido a falta de recursos para compra de animais e material para a cultura de células usadas nos testes. Segundo os pesquisadores, a falta de dinheiro pode fazer regredir a pesquisa em até 10 anos!

Projetos Parados (II)

Já no LNCC – Laboratório Nacional de Computação Científica, localizado na cidade de Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro, o “supercomputador Santos Dumont”, o mais potente computador instalado na América do Sul (ele pode fazer um “quatrilhão” de operações matemáticas por segundo), está parado por falta de recursos para o pagamento da conta de energia elétrica. O supercomputador, que custou R$ 60 milhões, gasta cerca de R$ 500 mil por mês com energia e o LNCC não tem mais como bancar a conta. Segundo os pesquisadores, “sem poder usar o supercomputador, mais de 70 projetos de pesquisa de diversas áreas, estão prejudicados”.

As “100 Mais”

As inscrições para a edição 2016 do evento “100 Open Startups”, já estão abertas. É uma boa oportunidade para qualquer startup (empresa iniciante) brasileira “entrar” em uma rede de conexão que envolve 120 grandes empresas do Brasil. A edição deste ano, tem “20 desafios temáticos propostos pela rede de grandes empresas das mais diversas áreas” (dentre elas a 3M, IBM, Whirpool, Votorantim, Algar, Boticário e Natura). Mais informações de como participar e fazer as inscrições no endereço www.openstartups.org.br. A meta é identificar as 100 startups mais inovadoras do Brasil. As inscrições vão até o próximo dia 15 de agosto Vale a pena participar!

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Alexandre Moura

Engenheiro Eletrônico, MBA em Software Business e Comércio Eletrônico, Diretor da Light Infocon Tecnologia S/A e Presidente da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado da Paraíba.

[email protected]

Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube