Fechar

Fechar

Ensinamentos da vida

Rafael Holanda. Publicado em 24 de abril de 2017 às 8:49

Por Rafael Holanda (*)

Enquanto estamos a realizar o caminho das nossas esperanças e pensando no melhor para deixar como exemplos de vida, pelo mundo muitos se perdem na desgraça da miséria e se sucumbi à solidão.

Enquanto as tempestades costumam passar a distância dos nossos olhos, e o barulho dos gritos desesperados são envolvidos por redes que impedem a atuação daqueles que lutam pela paz e vida; os pobres padecem.

Enquanto se silencia a voz dos que são capazes de resolver os problemas, e que apenas observam sem tomarem ações que possam acalmar a dor: o mundo de forma lenta se aprofunda na tristeza.

O desencanto se transforma em bandeira, as lágrimas se juntam para transformarem em rios que desembocam em um mar completo de desilusão, substituindo a força da fé e fazendo com que os homens percam sua crença.

Haveria uma esperança se todos compreendessem que as quedas dos outros podem ser as nossas quedas, que os sofrimentos alheios serão sempre espelhos dos nossos sofrimentos e nossas incertezas.

Enquanto os risos se perpetuam em mansões, enquanto o orgulho faz questão de contemplar o amargo e causticamente sol dos desesperados, os caminhos das disparidades continuam a aumentar.

As sepulturas são cavadas de forma desordenadas, a periferia treme pelo frio e fome: as lágrimas persistem como uma necessidade que tem o pobre sofredor de fazer desta ação um alento a sua dor.

Era tão sublime quando muitos paravam por caminhos e como o samaritano estendia as suas mãos para num ato sublime retirar alguém que pelos sofrimentos viviam em vida a vida que por si já não tinha significado.

O mundo não buscou aprender a arte de que ao dividir tudo se transforma em somação, o mundo gira de tal maneira que os que se postam de joelhos na caminhada deverão permanecer do mesmo lugar.

Tudo haverá de se transformar, pois a ideia do Senhor não foi compactuar da miséria e nem do mal, e sim dos princípios básicos cristãos de que tem algo deve repartir para os que nada possuem.

Quando a roda da vida tiver a necessidade de parar, e sentir que os seus movimentos estão sendo alterados pela própria maldade humana, com certeza as quedas serão maiores do que se pode pensar.

Como as palavras do Mestre: Nada acontecerá de forma definitiva sem que tenha cumprido tudo que foi dito; nada se esconderá enquanto tudo tiver sobre a rígida palavra da verdade.

Não serão os caminhos desencontrados que farão o homem feliz, não será com a solidão que muitos pintarão o seu destino, mas o direito de proporcionar a felicidade de tal maneira que todos sejam felizes.

(*) Médico

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Rafael Holanda

* Médico.

[email protected]

Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube