Elizabeth Marinheiro: Tessituras

Elizabeth Marinheiro. Publicado em 9 de maio de 2021 às 12:13

Estas tessituras não pretendem nenhum Estudo Crítico de largo espectro. Contrariamente, nossos considerandos literários são breves, com o ritmo do ao de leve. Frutos, portanto, de nossa paixão pela Literatura.

Nossos registros caracterizam-se pela variedade. Poderão ser repetitivos ou inovadores e raramente perdem o sotaque lírico. Mesmo mantendo o sentimento do mundo, não procuramos buscar o sentido do mistério… A paixão pelas circunstancias não anula o timbre lírico, a gaiatice e/ou humor.

As chamadas irreverentes, associadas à desintegração das palavras, são nossa convicção de que a literatura inútil comunga com a beleza dos atos comuns oferecidos pelo cotidiano… O clima do sortilégio encontra-se na ambiguidade da linguagem e jamais nas conotações do azar.

Tanto adotamos a galhofa, com respeito a intencionalidade social e humana, mas receio mergulhar no caos das angustias humanas. Será que o literário já deu conta dessas angústias?…

Frente ao humor do “anjo torto”, sentimos o destino desinsofrido de Dante na porta do inferno: “Invidiosa d’ogni altra sorte” ou “Lasciate ogni speranza, voi q’entrati”.

Céus! Preferimos entrar nas portas do Santuário de Nossa Senhora Aparecida e celebrar o sempre e os nossos dias. De lá festejamos a função mítica de Campina Grande. Nossa terra que, não raro, volta-se para a dor coletiva e para a miséria humana. Não pertencemos ao “mundo caduco”, até porque fugimos do analítico para não desembarcar no desencanto…

A L C G

Somos autora do Projeto “MEMÓRIA DE CAMPINA GRANDE”, que em suas reuniões na FACMA e no auditório da FIEP/Gestão Buega Gadelha, apresentou vários painéis em torno de grandes personalidades campinenses.

Foram sessões muito prestigiadas e, até hoje, muita gente lamenta a ausência da I Seccional PEN da Paraíba por culpa da “pandemônia” mortífera. Naquelas extraordinárias reuniões foram tematizadas as Memórias do Prof. Severino Loureiro, do jornalista Ramalho Filho, do Senador Argemiro de Figueiredo, do Jornalista Epitácio Soares, do Prof. Williams Téjo e vários outros nomes que a Memória não me traz agora.

Cumpre-me, portanto, congratular-me com o Presidente da ALCG que, com apoio da TV UEPB, vem desenvolvendo um Projeto Online, objetivando não permitir que campinenses morram duas vezes: a morte física e a morte pelo “CAOS DO ESQUECIMENTO”. Feliz expressão do Presidente Josemir Camilo!

Impulsionando o trabalho, com competência e simplicidade, o Acadêmico Elfigênio Moura. Parabéns a todos que integram a equipe acadêmica.

PERMITAM-ME OS ABRAÇOS

Coraçãomente vão para Alexandrina Formiga; Lara Sales; Liana Pinto; Marilza Nepomuceno; Ninfa Macedo; Lilia Cordeiro; Lenita Siqueira; Lau Aguiar; Albanita Guerra; Luciano Wanderley; Luciano Maracajá; Rossana Pinto; Ligia Loureiro; Socorro Guedes; Doita e Monica Agra; Salete Matias; Jacy Cruz Lira.

SALVE!

Um abração para todas as mães campinenses e pessoenses. Salve!

Share this page to Telegram

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Elizabeth Marinheiro
Elizabeth Marinheiro

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube