Fechar

logo

Fechar

Elizabeth Marinheiro: Tessituras

Elizabeth Marinheiro. Publicado em 21 de fevereiro de 2021 às 7:50

Vários escritores ancoram seus textos em paráfrases e intertextualidades, a exemplo do genial Paulo Leminski.

Longe do talento do Paulo, tentaremos fazer de “Pedra de Sono” um noturno com sonhos e pesadelos. Primando pelas oposições, o Poeta abre e fecha os rios, a fim de descobrir não só o brilho dos peixes, mas também uma mulher habitando as ostras.

Se esquecermos da Quaresma, lembraremos um auto de natal onde a vida emerge “severinamente”. Já alpendres de engenhos encantam canaviais animados por sons de patativas. A propensão geométrica, marcando sua obra, oferece uma composição de traçado-síntese sem deixar de aplaudir os toreadores de Madri e as bailadoras andaluzas.

Por aqui, estar no mundo pode ser o galo que precisa de outros galos ou arquiteta abrindo portas que nos brindam a felicidade. Por consequência, o autor não procura o caroço de damasco (Roland Barthes) porque encontra na pedra um modelo de educação.

Descendo ao deserto, Anfião, tendo recebido a lira de Apolo, elaborou a mais perfeita psicologia da composição, o que lhe foi possível confirmar:

            “Saio do meu poema

            como quem lava as mãos

 ASSIS COSTA – VALDO TOMÉ

 O Jornal, o Rádio, os meios de Comunicação em geral estão, cada vez mais, ressentidos com a sucessão de perdas dolorosas.

Alegre, comunicativo, generoso, o colega/amigo ASSIS COSTA foi um corajoso batalhador e deixa um elenco de benefícios em favor de Campina Grande.

Lamento muito, caríssimo Assis, você não ter esperado para ler um dos seus textos constantes em minha futura autobiográfia. Mas, você lerá estrelas luzindo no infinito.

Receba, amigão, “a luz que não se apaga”.

E como se não bastasse, acabo de saber da passagem do querido VALDO TOMÉ, um líder da conjuntura nacional. Um campinense que trocou esta terra por Brasília para melhor servir ao Brasil.

Apegado ao governador/senador/Poeta Ronaldo Cunha Lima, somou aos seus próprios méritos, a Ética-Cunha Lima.

Já não terei o prazer de ler seus comentários sobre minhas tessituras dominicais.

Que Deus o receba na Eterna Glória, verdadeiro amigo, Valdo Tomé!

 FRASES? SIM

Não sou do estresse, integro o grupo do Strass. Lourdinha Ramalho.

Para mim é um prazer meu hábito de brindar amigas sinceros Laudicéia Aguiar.

A vida, sem minha casa cheia de amigas(os), perderia uma grande porção de minha alegria. Bêri Pedrosa.

Licores, capuccinos, tortas são um gesto carinhoso e despojado de receber minhas clientes. Mônica Mangueira.

Não saberia curtir a Vida sem as músicas do antigamente Marilena/Aluizio (Divina Culinária).

DOS ABRAÇOS

Como é salutar querer Bem!

Abraços para Isis Pedrosa, Salete Alencar, Alexandrina Formiga, Salete Carolino, Aurinha B. de Fonseca, Divanira Arcoverde, Célia Farias, Elvira Gadelha, Fátima Coutinho, Padre Zévanildo e Irmã Joana.

AO MEU LEITOR

Rogai a Deus, Santa Mãe, para que as vacinas apareçam

Share this page to Telegram

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Elizabeth Marinheiro
Elizabeth Marinheiro

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube