Fechar

logo

Fechar

Elizabeth Marinheiro: TESSITURAS

Elizabeth Marinheiro. Publicado em 8 de novembro de 2020 às 8:44

Ao ser empossada primeira mulher-presidente da Academia Paraibana de Letras/APL, a Escritora Ângela Bezerra de Castro elaborou seu primeiro Projeto: e edição de uma obra sobre todos os ex-Presidentes da APL. Um Projeto idealista, sem interesses financeiros, como tudo que Ângela cria e faz.

Sabendo ela que ingressei naquela Instituição por convite do mestre Afonso Pereira e por meio de eleição (não de aclamação, vigente naquela época) confiou-me o perfil de um Cidadão plural: AFONSO PEREIRA.

Fiquei muito feliz porque convivi com o casal Cremilde/Afonso Pereira: conversávamos muito e minha admiração por eles crescia, razão pela qual ainda cultivo seus ensinamentos que emergiam dos diálogos informais. 

Inclusive, não lembro se almocei ou jantei com o casal, em apartamento na praia. Uma beleza!

Deixando outros comentários para o “oportunamente”, meu prazer complicou-se pela falta de fontes bibliográficas… Recorri então, a Ângela que assegurou enviar-me alguns materiais. Aproximando-se minha viagem pra fora da Paraíba, irei afirmar a Ângela a urgência desses dados bibliográficos. Ela não me faltará.

SEMPRE ARIANO

Conhecido mundialmente como Dramaturgo consagrado e pouquíssimo conhecido como autor de “O Romance d’a Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-volta”.

Nestes tempos em que os 50 anos do “Armorial” são comemorados, eu revisito minha Tese em torno “D’A Pedra” e suas 365 páginas.

Ariano do “Altar iluminado”. Do depoimento palimpséstico. Das aulas-espetáculo. Do barquinho conduzindo-o à UFPE através das águas do Capibaribe. De Quaderna, do Cavaleiro Branco, dos famosos violeiros. Da Estética Onírica, Social, do Olhar descentralizado. Do fantástico-Maravilhoso. Da casa histórica com sua maravilhosa esposa ZÉLIA e seus filhos.

Ariano, Imortal brasileiro rompendo dogmas e padrões!

Ariano, que me fez personagem de sua profunda Obra de Arte: “ROMANCE de DOM PANTERO NO PALCO DOS PESCADORES”.

Sem “finalmente” revisito Ariano me dizendo: “…se fosse comentar tudo o que você me sugeriu de bom, terminaria eu próprio fazendo uma tese; e bastariam as observações que você fez interpretando o livro como “uma viagem sem ponto de partida, nem ponto de chegada”, uma “trajetória labiríntica”, que leva os personagens e o leitor para “depois da vida, depois da morte” – “enfim, a vida transfigurada pelo homem e com o homem em seu centro”, para justificar todo o seu trabalho de interpretação” ARIANO SUASSUNA (in “A Intertextualidade das Formas Simples”, p.183).

ABRAÇOS

Tenho tentado minha convivência com amigas e amigos por meio destes Abraços. Hoje, eles vão para Gustavo Ramalho. Salete Carolino, Fátima Coutinho, Carminha Diniz, Liliane Almeida, Vera Lucena, Lourdinha Araújo, Salete Matias e Ninfa Macedo.

AO MEU LEITOR

Rezemos pela alma do “LOURO JOSÉ” e por muita força espiritual pra ANA MARIA BRAGA.

AO MAESTRO CAVALCANTI

A você, Maestro competente

A você, Cidadão integro

A você, Símbolo da Generosidade

A você, Maestro Cavalcanti, grandeza campinense.

Share this page to Telegram

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Elizabeth Marinheiro
Elizabeth Marinheiro

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube