Fechar

logo

Fechar

Elizabeth Marinheiro: Tessituras

Elizabeth Marinheiro. Publicado em 6 de setembro de 2020 às 10:00

Setembro! Primavera de alegrias e insuperável dor!

Mas, ao ouvir as conversas dos jardineiros refazendo, felizes, o meu jardim, recebo a primavera setembrina com Louvores a Deus Santo, a Deus Forte, a Deus Imortal.

É quando recorro ao papel branco para narrar momentos primaveris. Não a conhecia. Tive o prazer de ser, a ela, apresentada por minha queridíssima amiga Estelita Cardoso.

Imediatamente, percebi sua naturalidade, seu carisma, seu riso largo. Tornamo-nos amigas.

Ela passou a frequentar, com seu apaixonado esposo, aos eventos da FACMA e aos Atos da I Seccional PEN da Paraíba. Aliás, ela costuma frequentar e contribuir com tudo que levanta Campina Grande. É caritativa daquelas que “dão com uma mão e esconde com a outra”. Difícil pessoas com esta postura espiritual.

Em momento difícil de sua vida fui visitá-la, com João, em sua residência. Ela encontrava-se recolhida porém seu atencioso esposo, mesmo abatido, nos recebeu. Saímos, dali, muito tristes.

O tempo passa. Com esta atemporidade, ela começou a reaparecer nas festas campinenses e logo me chamava pra sua mesa. Tínhamos, ela, seu esposo e outras amigas, conversas animadas e saudáveis. Ríamos muito.

Jamais encontrei um casal mais apaixonado. Juntos, criaram uma Fundação destinada aos ricos e aos carentes. Mantinha cursos em várias áreas, priorizando-se o ballet. Inclusive, brinda o público campinense com espetáculos anuais de altíssimo nível, no Teatro Municipal.

Esposa amorosa, mãe exemplar, tendo Nasa como anjo da guarda. Embora tenha perdido seu esposo, DEUS lhe concede forças para reinventar seu próprio viver. Para ela Deus é Maior!

LAUDICÉIA AGUIAR: “sentimento do mundo”, Caridade escondida, chic, elegante, bonita e, sobretudo, Generosa.

BOAS LEITURAS

ROSELIS BATISTAR = “Convite ao Devaneio”.

JOSÉ MÁRIO DA SILVA = “Reconciliação”.

LOURDES RAMALHO = “Fogo-Fátuo”.

SERGIO DE CASTRO PINTO = “O leitor que escreve”.

MICHEL QUOIST = “Poemas para Rezar”.

POÉTICA

“O mundo, em guerra, não permite abraços,

Mas, nos rostos da rua, há os mesmos traços”. REYNALDO VALINHO ALVAREZ (in “Galope do Tempo”. p,102).

ABRAÇOS

Exclusivos para o querido casal ELVIRA/BUEGA GADELHA. E também para toda equipe/FIEP. Que os abraços cheguem ao 6º andar.

Share this page to Telegram

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Elizabeth Marinheiro
Elizabeth Marinheiro

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube