Fechar

logo

Fechar

Elizabeth Marinheiro: Tessituras

Elizabeth Marinheiro. Publicado em 5 de abril de 2020 às 7:21

Já com significativa produção plural, o Escritor/Jurista THÉLIO Q. FARIAS surge, com sua Fortuna Crítica I. Digo número 01 porque, decerto, outras surgirão.

E Do Tempo Não Cessa A Caminhada”, obra lançada e sugerindo que a viagem, através das Letras, não cessará. Sem dúvida.

Trata-se de um livro, cujos Ensaios críticos – brilhantes e verticais – traçam preciosa semântica. E como acentua o Escritor José Mário Silva Branco: “Thélio Fárias atinge o agudo senso investigativo de que se vale na cartografia dos conteúdos de que acerca, pendores louváveis inerentes a que quem persegue, com invulgar perícia e singular destreza, os signos da objetividade e da exatidão, tudo revestido com o imprescindível adorno da qualidade” (p.p. 81-82). Concordo com você, Mário!

Além do seu verticalismo. Discurso de Posse na APL, sobre o qual já escrevi, Thélio evoca a memória nesta Fortuna Crítica, ou seja, um verdadeiro histórico sobre a APL: a Diretoria; Patrono, Fundador, Segundo ocupante e Atual titular das 40 cadeiras acadêmicas. Claro, um sério trabalho!

Com Ecléa Bosi, posso reviver em suas, salas, pessoas maneiras de pensar como resquícios de outras épocas.

Com o mestre Roland Barthes, o fluxo da memória é lastreada por ângulos da vida que resistiram durante muito tempo e culminam com nossa alteridade, tornando algo do que fomos.

Nos seus estudos sobre o Barroco, Ferreira Gullar sugere o olhar enquanto vertigem.

Aprendi com o Professor Benedito Nunes que o olhar tem seus desdobramentos, isto é, pode ser um ouvir, um lembrar…

É por aqui que acolho a Fortuna Crítica de Thélio: o memorialista “vê-se olhando”. E o faz sem subjetivismos narcísicos pois soube conjugar olhar e memória.

Sua memória fixou saberes do Outro!

Seu olhar cruzou a História, configurando focos e direções alados!

Nesse iluminado encontro, Thélio expulsou a visão dualista.

FACMA

Estamos desenvolvendo uma campanha em prol da aquisição do Sistema de Som, do Teatro da FACMA, violenta e integralmente roubado à noite, quando não havia vigia. Até agora não recebemos apoio da secretária de cultura. Além dos inúmeros prejuízos causados pela gestão da ex-presidente, outro tipo de maldade. Também não recebemos nenhuma resposta ao ofício que remetemos à presidência da Câmara Municipal, bem antes da pandemia.

Mas, Deus abre janelas quando portas se fecham. Por este viés, já recebemos o extraordinário apoio das queridas amigas Lucie Mayer Motta e Giovanna Sales Leal.

Também merecemos a adesão de outros generosos corações: Dra. Salete Alencar; Profa. Creusolita Agra; Olguinha Amorim; Dra Valéria Xavier; Sra. Mônica Mangueira; Escritra Conceição Araújo; Profa. Hilma Loureiro; Sra. Laudicéia Aguiar; Dra. Divanira Arcoverde; Dra. Fátima Coutinho; duas diaristas minhas (Galeana e Claudinha); o Sr. Sidney Reis; Dra. Rossana Pinto; Maria Scart; Profa. Ninfa M. Batista; Profa. Salete Matias; Profa. Adnalva Macena; Prof. José Mário; Prof. Vanderley Brito.

Nas próximas TESSITURAS, confiamos em Deus, que outras adesões surgirão, bem como a participação do Poder Público, das Empresas, das Universidades/Colégios/Escolas, enfim daqueles que ainda não sabem que a FACMA é a mais antiga Instituição Artistíco-Cultural de Campina Grande e 2020 ainda não lhe foi possível iniciar a PAUTA CINQUENTENÁRIA.

Esperamos, também, que o Grupo PEN CLUBE de Campina Grande, tão bem conduzido pelo talento de Lourdinha Ramalho, faça uma ciranda de amigas/amigos em função do CINQUENTENÁRIO FACMA, até porque, após a eleição da nova Diretoria, a I Seccional PEN da Paraíba funcionará na sua sede. Confiamos, querida Oradora!

POÉTICA

“Crescer dói,: incomoda, pesa, lateja, dá queimação, formigamentos, pontadas. Atropela-nos com dúvidas e escolhas que ‘encolhem e esticam’ nossas vidas em espaços incomuns” MAYVONNE MORAIS (em seu belíssimo livro Retalhos Poéticos/provocações. p. 11)

AO MEU LEITOR

S.O.S. Compre umas Revistas/PEN, ao preço de “vinte contos” cada exemplar. É só tocar o fone pra mim e eu mando deixar em sua casa. Ficarei com a gratidão.

Share this page to Telegram

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Elizabeth Marinheiro
Elizabeth Marinheiro

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube