Fechar

Fechar

Desejo do caos

Ailton Elisiário. Publicado em 6 de dezembro de 2016.

ailton_elisiario

Por Ailton Elisiário (*)

A crise política e econômica em que se encontra o país se vê alimentada por pessoas que desejam ver o caos. Uma atitude atualmente toma conta das cabeças desses brasileiros, notadamente daqueles formadores de opinião e que ocupam posições de relevância. São os que pugnam pelo “quanto pior, melhor.” Há que se estabelecer um verdadeiro caos na economia, na política e na sociedade.

Não parece que o bom senso possa ocupar um lugar de aceitação por todos, posto que o país vive um maniqueísmo exagerado, onde de um lado está o grupo do bem e do outro lado está o grupo do mal. E pior, parece que não há nenhuma disposição de qualquer dos lados para se dar um ponto final nessa situação.

Afirma-se que o governo atual é ilegítimo porque não foi eleito pelo povo, quando se sabe que o vice-presidente recebe os mesmos votos do presidente na eleição e que o sucede legalmente. Querem o impedimento do atual presidente sem fortes razões que justifiquem isto, apenas com o propósito de desestabilização política. Na linha sucessória os presidentes das casas legislativas respondem processos judiciais que os afastam do cargo de presidente da República.

No âmbito do judiciário tudo fazem para detonar a Operação Lava Jato. Maus políticos deturpam os projetos de iniciativa popular para se safarem dos crimes cometidos pela anistia descabida. Juízes e promotores se veem ameaçados de praticarem crimes de responsabilidade por incorreta interpretação da lei. Querem naufragar o combate ao crime de corrupção à semelhança do ocorrido com a máfia italiana.

O povo, porém, está atento, em permanente alerta contra todos que se anteponham aos seus legítimos interesses. De volta às ruas em apoio ao combate à corrupção, há que se levantar contra a eleição ou reeleição de políticos fichas-sujas sem condescendência. A corrupção é crime hediondo, pelos efeitos ilimitadamente desastrosos que provoca em toda a sociedade.

A corrupção não se foi com a derrocada do projeto petista de poder. Ela permanece no seio da classe política, em muitos dos membros de tantos outros partidos, mancomunados com tantos empresários. Ela continua, pois, sendo o pivô dessa malversação do dinheiro público, alimentando a ganância virulenta. Por isto, o desejo do caos encontra nessas pessoas o caminho de sua realização.

(*) Professor, membro da ALCG

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Ailton Elisiário

O autor é economista, advogado, professor da Universidade Estadual da Paraíba e membro da Academia de Letras de Campina Grande.

falecom@fhc.com.br

Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube