Fechar

Fechar

Como a Inteligência Artificial afetará o emprego?

Fernando Soares. Publicado em 22 de outubro de 2017 às 11:13

Por Fernando Soares

Este tema vem sendo pautado pelo presidente da Associação Comercial de Campina Grande, Marcos Procópio, chamando a atenção da sociedade para a revolução tecnologia em curso que mudará o comportamento do emprego no futuro não muito distante.

Apesar da importância do tema, infelizmente, nada se ouve sobre o assunto entre legisladores e gestores públicos brasileiros, pouco se fala nas empresas, e em grande parcela da academia o assunto ainda está restrito a poucos pesquisadores de ciência da computação.

Enquanto isso, a cada dia se ouve mais e mais sobre a Inteligência Artificial e seus impactos na sociedade, nos empregos e nas funções. Vale ressaltar, que até recentemente a Inteligência Artificial era apenas uma promessa de estudiosos da ciência da computação.

Mas, agora, a Inteligência Artificial deixou de ser uma promessa para ser uma realidade e rapidamente vem se tornando uma tecnologia fundamental em áreas tão diversas como veículos autônomos e negociações financeiras.

Alguns afirmam que a IA não vai afetar significativamente os empregos, enquanto outros afirmam o contrário. Embora não tenhamos ainda provas definitivas, aqui e ali já aparecem estudos e pesquisas que mostram que sim, a Inteligência Artificial vai afetar uma série de profissões, e o que vai variar é o grau deste impacto.

Alguns exemplos brasileiros

No Brasil, uma empresa de TI especializada em soluções para o segmento jurídico, a Tikal Tech, buscou na inteligência artificial uma forma para automatizar tarefas que tomam muito do tempo de advogados.  

Batizado de ELI, sigla para Enhanced Legal Inteligence ou Inteligência Legal Melhorada, trata-se de um sistema inteligente criado para dar maior produtividade e escala aos profissionais. “Um assistente personalizado, dedicado a otimizar processos e garantir ao profissional tempo para atenção ao cliente e dedicação ao trabalho intelectual, ativos valiosos e que não podem ser automatizados”, resume a companhia sobre a vocação do que reivindica ser o “primeiro robô advogado do Brasil”.

A brasileira Totvs, maior empresa de software da América Latina, lançou nesta terça-feira a Carol, plataforma de inteligência artificial e dados que promete eficiência e automatização para os clientes das companhias clientes. A função principal da assistente é analisar e organizar dados para auxiliar na gestão de empresas.

Seguindo a tendência dos nomes femininos para assistentes de inteligência virtual, a Carol é uma espécie de Siri ou Coltrana, mas cujos esforços são voltados ao entendimento do comportamento de clientes, e não de um único usuário. Também à exemplo desses robôs, a Carol usa reconhecimento de linguagem natural para “conversar” com seus usuários.

Na ultima semana, a empresa de tecnologia catarinense DB1 Global Software anunciou que planeja lançar, em 2018, seu primeiro robô ‘assistente’, que pode executar tarefas do dia a dia como um assistente pessoal, recepcionista ou tradutor e até mesmo gerenciar equipes. De pequeno porte, o Tinbot fala português, reconhece o que as pessoas dizem, inclusive expressões, além de gestos. No lançamento, o robô vai custar R$ 10 mil.

A Associação Comercial e Empresarial de Campina Grande tem convidado representantes da sociedade, principalmente as entidades representativas de trabalhadores e de empresários, para discutir o tema, dentro do movimento TODOS PELO EMPREGO

 

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Fernando Soares

* Jornalista com atuação em assessoria de imprensa empresarial.

falecom@fhc.com.br

Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube