Quantcast

Fechar

logo

Fechar

Coluna de Jurani Clementino: A voz do Brasil

Jurani Clementino. Publicado em 19 de maio de 2019 às 12:42

Todas as noites, antes de dormir, meus avós paternos ficavam na calçada, até certa hora, e a gente se juntava a eles por algum tempo e depois se recolhia. Dentro de casa, na sala de visitas, um aparelho de radio permanecia sempre ligado. Quando dava sete da noite, uma musiquinha se repetia e logo em seguida o locutor dizia: em Brasília dezenove horas. A emissora de rádio podia estar veiculando o que fosse, entrava em cadeia nacional para transmitir, diariamente, aquele programa noticioso. Minha avó gostava de escutar porque era por ali que ela ficava informada sobre as notícias que aconteciam no Brasil e no mundo. Programa, com uma hora de duração, era dividido em três partes. Os primeiros vinte minutos com jornalismo informativo e os quarenta minutos restantes com informações do Senado e da Câmara dos Deputados. Eu dormia logo após o início do programa. Aquilo era meio que um sonífero pra mim. E se repetia dia após dia, de segunda a sexta-feira.

Hoje, passado todo esse tempo, tornei-me jornalista e professor de radiojornalismo e tenho que explicar para os meus alunos um pouco sobre a história do programa A Voz do Brasil. A juventude, em sua avassaladora maioria, desconhece, não experimentou e sequer sabe qual é a sensação de ouvir o rádio coletivamente. Naturalmente que eles nunca mandaram cartas para os programas musicais, também não fantasiaram os seus profissionais, imaginando a partir da voz, como eles seriam pessoalmente etc. A magia do rádio não atingiu em cheio essa molecada que hoje entra na universidade. Então, os que ainda lembram algo semelhante, dizem que ouviram alguém falar.

Mas voltando aquele programa jornalístico das sete da noite. Criado em 1935 pelo governo de Getúlio Vargas, e inicialmente chamado de “Programa Nacional” depois de “A Hora do Brasil” e finalmente a “Voz do Brasil”, nasceu com o objetivo de divulgar as ações do governo. No ar há mais de oitenta anos, A Voz do Brasil é o programa mais antigo do rádio. Por força de uma lei, assinada no ano passado, pelo então presidente Michel Temer, o horário de exibição do programa foi flexibilizado, podendo ser veiculado entre as sete e às dez horas da noitel.

E pra finalizar, algumas curiosidades sobre o programa de rádio que embalou as minhas noites sertanejas: a Voz do Brasil entrou para o Guiness Book, em 1995, como o programa de rádio mais antigo do Brasil. É considerado também o mais antigo programa de rádio do Hemisfério Sul. Por muitos anos, a Voz do Brasil iniciou-se com a frase “Em Brasília, dezenove horas”, hoje substituída para “Sete da noite em Brasília”. O tema inicial do programa é a ópera “O Guarani”, de Carlos Gomes. Nos últimos anos a música recebeu novas versões, em ritmo de samba, choro, capoeira, entre outros. Ontem a noite, enquanto me dirigia para o trabalho, sintonizei o rádio do carro na Voz do Brasil. Na mesma hora recomendei aos meus alunos, que estão produzindo um rádiojornal, para que ouvissem o programa. Seria, no mínimo, didático.

Share this page to Telegram

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Jurani Clementino
Jurani Clementino

Jornalista, Doutor em Ciências Sociais, Escritor e Professor Universitário. Autor de: Forró no Sítio (Crônicas, 2018) e Zé Clementino: o ´matuto que devolveu o trono ao rei. (biografia, 2013).

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube