Fechar

logo

Fechar

Coluna de Estevam Fernandes: Alma Leve

Estevam Fernandes. Publicado em 22 de março de 2020 às 17:45

Algumas pessoas têm a alma pesada. Não somente pesada, mais aprisionada também. Colocam muito peso dentro de si, alguns além do que podem suportar e, com isso, transformam a existência em uma experiência sombria, repleta de desencontros e tensões desnecessárias. São vidas soterradas dentro de si mesmas.

Várias são as pedras que bloqueiam as estradas da nossa vida, e a grande maioria delas nós mesmos é que teremos que removê-las, pois, algumas foram colocadas por nós. Tirar as pedras que impedem o trânsito da nossa felicidade, pode significar o início de uma nova trajetória de vida. É a existência desejando respirar a liberdade!

Muitos esperam de Deus um milagre que venha desbloquear suas vidas. Todavia, não se dão conta que o poder da mudança começa dentro de cada um de nós. Geralmente, não percebemos que as ações de Deus sobre nossa existência não são todas, necessariamente, sobrenaturais. O agir de Deus não dispensa, também, nossa participação e, muitas vezes, será exatamente a partir de nossa iniciativa que Ele realizará algo novo. 

O Criador nos dotou de força e criatividade para vivermos para além dos obstáculos. Tirando pedras, e não vivendo por elas soterradas. Esta foi a grande lição que Jesus deu quando ressuscitou a Lázaro, segundo a narrativa bíblica. Ele poderia ter feito o milagre sozinho, mas ordenou a todos: Tirai a pedra! Só assim o milagre aconteceu. 

Uma pedra muito pesada que permitimos sobre nós é a do medo. Quantas pessoas há que vivem soterradas pelo medo, e por isso mesmo, têm uma vida sem perspectivas, sem ousadia, sem a esperança de algo melhor. O medo sepulta os sonhos, Viver com medo é morrer a cada dia como um fraco, atemorizado por fantasmas que ele mesmo criou; correndo de inimigos que são gigantes só na sua imaginação. O medo paralisa a vida e nos faz menor do que realmente somos.

Uma outra pedra que se constitui como um grande obstáculo para o viver pleno é o orgulho. Todo orgulhoso vive preso dentro de si. É alguém limitado pela sua própria arrogância e, distanciando-se da humildade, perde amigos, carinho e amor. Com o passar do tempo, ele fará uma triste constatação não valeu a pena viver sem amigos.

O orgulhoso cria muralhas ao redor de si, constrói os muros da sua própria solidão, pois, via de regra, quem escolheu a companhia do orgulho para viver, termina a vida sozinho; e o que fez do orgulho a sua bandeira de vida, chora, muito cedo, as lágrimas da desilusão. O orgulho é a arma dos que têm um espírito pobre, dos que pensam que são imortais.

Uma terceira pedra que precisa ser removida é a pedra da incredulidade. Toda racionalidade humana termina com a própria finitude do homem. A ciência, o conhecimento e o intelecto não nos bastam diante das grandes crises existenciais. Viver soterrado pela incredulidade é fechar-se para a dimensão espiritual da vida, e sobretudo, através dos caminhos da fé,contemplar a beleza da obra de Deus. Sem fé, a vida é apenas um momento biológico; por meio da fé, ela eterniza-se como uma dádiva divina.

Uma outra pedra que precisamos destruir, é a pedra da pressa. A vida é construída no dia a dia. Ela é uma jornada longa que exige paciência e perseverança. Alguém que vive escravo da pressa, vai soterrando virtudes indispensáveis à vida como a esperança e a prudência. Geralmente, a pressa produz inconsequência e frustração. Saber esperar, é entender a lógica da vida: plantar hoje para colher amanhã, pois para tudo há um tempo determinado. Na vida, nada melhor que um dia atrás do outro.

Share this page to Telegram

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Estevam Fernandes
Estevam Fernandes

Sociólogo, filósofo e pastor da 1ª Igreja Batista de João Pessoa.

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube