Quantcast

Fechar

logo

Fechar

Coluna de Elizabeth Marinheiro: Tessituras

Elizabeth Marinheiro. Publicado em 15 de setembro de 2019 às 10:05

A entrada vai ficando deslumbrada com um artístico bolo, um chapéu simbólico e abaixo a legenda dourada: “Tiro meu chapéu para meu pai LEIDSON FARIAS”. Nada mais legitimo. Também um Cerimonial eficiente e generoso recebia os convidados com especial atenção.

O auditório da OAB local lotado; cadeiras extraordinárias foram, imediatamente, colocadas. Jamais vi tanta gente, com destaque para a Classe Jurídica totalmente presente, em gesto de indiscutível solidariedade. Gesto incomum porque nem todas as classes profissionais adotam essa Ética…

Que se passava? Foi a Posse do Escritor e Advogado THÉLIO FARIAS, recebido pelo Poeta EDMILSON RODRIGUES. Ambos proferiram extraordinários discursos, que merecem bons comentários.

Entretanto, não costumo elaborar análises críticas sem possuir os textos escritos. Mas, posso fazer algumas observações, que não estarão à altura de ambos os Oradores.

Edmilson traçou o perfil de Thélio recorrendo à síntese substantiva, isenta de digressões pleonásticas. Dotado de Conhecimento geral e com olhar poético, Edmilson adotou a narrativa peculiar às grandes Academias de Letras. Mereceu o forte aplauso do Público presente.

Thélio, por sua vez, surpreendeu e foi aplaudido de pé. Ministrou uma aula de acordo com os padrões acadêmicos. Abordou o trabalho do mestre Mauro Luma com profundidade, ou seja, esgotou todas as qualidades de seu ilustre Patrono.

Com idêntica profundidade, mergulhou na vida e obra do inesquecível Dr. EVERARDO LUNA, encanto de minha juventude, juntamente com Margarida (Guida) Luna.

Não entendo do Direito, mas, ao ouvir Thélio dissecando a trajetória de Everardo, até que aprendi alguma coisa. Ocorre que o Discurso de Thélio ancorou-se na polissêmia.

Sabendo que o último sentido não existe, o brilhante Empossado foi além dos sentidos e mergulhou no leque dos contrapontos. Em cosequência, o timbre dialógico de sua Semântica: Arte/História; Biografia/Lirismo; Direito/Justiça comungaram entre si, para que Thélio fizesse Everardo voltar de corpo inteiro!

Isento da planura do superficial, o filho do querido casal Celeide/Leidson Farias, com sintaxe e dicção perfeitas, não se afastou das referências, mas privilegiou a alteridade. Na condição de viajor, abriu-se às autoridades, aos colegas, aos amigos e, sobretudo, aos seus pais, a sua linda esposa e filhos.

Sem dúvida, um discurso-viagem cuja potência conteudística desvelou um mundo que remete ao sujeito e ao objeto.

THÉLIO x EDMILSON: clowns que se afastaram das aventuras estereotipadas para brindar a vida e a emoção!

RESGISTROS

Durante a posse de Thélio tive o prazer de encontrar meu primo Rossando Agra e esposa; os amigos Robson Dutra e João Dantas; o escritor Thomas Bruno.

Também fui apresentado ao Dr. Jairo, Presidente da OAB e à Eleonora Luna, filha de Everardo.

Mereci a carinhosa assistência da amiga Verinha Maia.

Quanto ao requintadissímo buffet basta uma palavra: Perfeito.

AO MEU LEITOR

Grato de repetir: querer bem faz bem a gente.

Share this page to Telegram

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Elizabeth Marinheiro
Elizabeth Marinheiro

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube