Fechar

logo
logo

Fechar

Brasil, minha pátria!

Benedito Antonio Luciano. Publicado em 3 de setembro de 2021 às 10:21

Dia 7 de setembro, data comemorativa da Independência do Brasil, sempre me faz lembrar dos grandiosos e emocionantes desfiles cívicos e militares pelas ruas centrais de Campina Grande-PB, dos quais participei como aluno dos cursos Ginasial e Científico no Colégio Estadual da Prata, entre 1966 e 1972.

Naquela época, em Campina Grande não havia tanto barulho de motos e carros. Então, antes do esperado dia do desfile, por morar no Bairro da Bela Vista, relativamente próximo do SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) e do Colégio Estadual da Prata, era possível ouvir, durante os ensaios, o som dos instrumentos de sopro e percussão das bandas marciais desses estabelecimentos de ensino.

Os ensaios e os preparativos eram feitos com muito zelo e havia uma agradável disputa entre os colégios para ver qual seria mais aplaudido.

No dia do desfile, o público se postava nas calçadas, nas sacadas dos prédios e até em galhos de árvores ao longo do trajeto das ruas João Pessoa, Marquês do Herval, Floriano Peixoto, Venâncio Neiva, Maciel Pinheiro, dentre outras.

Foi lembrando desses desfiles e das demonstrações de civismo que me veio à lembrança os livros didáticos da série “Brasil, minha pátria! ”, obras de autoria de Theobaldo Miranda Santos, Professor Catedrático do Instituto de Educação do Rio de Janeiro. Pronto! Estava escolhido o título desta crônica.

Os livros da série “Brasil, minha pátria! ”, publicados pela Livraria Agir Editora, eram destinadas a todas as escolas primárias do Brasil. Esses livros tinham como objetivo associar os temas da literatura infantil com as matérias constantes dos programas oficiais vigentes no início do decênio de 1960.

Para tanto, neles eram abordados, de forma sistemática, articulada e muito bem ilustrada, gêneros literários inspirados no folclore, na história e na tradição brasileira; noções de linguagem, geografia, história do Brasil, ciências naturais, higiene, aritmética, geometria e educação moral e cívica, em consonância com os programas oficiais em vigor naquela época.

No exemplar destinado à primeira série do curso primário que preservo nos meus alfarrábios tem a capa azul ilustrada com a bandeira brasileira em destaque no centro da parte frontal. O conteúdo didático é dividido em 5 tópicos: Histórias infantis; Contos maravilhosos, Lendas brasileiras, Datas nacionais e Matérias escolares.

Nas “Histórias infantis” são transmitidos, no subtexto, valores éticos, morais e cristãos; nos “Contos maravilhosos” a base são as fábulas, dentre elas: “A cigarra e a formiga”, “O lobo e o cordeiro” e “O corvo e a raposa”; nas “Lendas brasileiras” são apresentadas: “O passarinho e a cascata”, “O menino e as cambaxirras”, “A festa de São João”, “História do milho”, “Como nasceu a mandioca” e “As lágrimas e os diamantes”; no tópico “Datas nacionais” destacam-se: o “Descobrimento do Brasil”, “A morte de Tiradentes”, a “Independência do Brasil”, a “Libertação dos escravos”, a Proclamação da República” e o “Dia da Bandeira”; e nas “Matérias escolares” os conteúdos são Geografia, História, Ciências Naturais, Higiene e Matemática.

Theobaldo Miranda Santos (1904-1971) era natural de Campos de Goytacazes-RJ, mas realizou seus estudos em Juiz de Fora-MG. Além da autoria dos livros da série “Brasil, minha pátria! ”, ele foi professor, administrador escolar e um profícuo escritor.

Segundo a Companhia Editora Nacional, Theobaldo Miranda Santos publicou aproximadamente cento e cinquenta obras. Nelas podem ser encontrados livros destinadas aos cursos: Pré-Escolar, Primário (atual Ensino Fundamental, anos iniciais), Admissão ao Ginásio, Ginásio (atual Ensino Fundamental, anos finais), Comercial (Ensino Médio) e Superior; além de outros envolvendo temas como Economia, História Psicologia, Sociologia, Filosofia, Pedagogia, Ciências e Administração escolar.

Neste contexto, pelo conjunto da obra, percebe-se que a contribuição do autor da série “Brasil, minha pátria! ” foi relevante para a história da educação brasileira, sendo merecedor deste reconhecimento.

Campina Grande, 2 de setembro de 2021
[email protected]

Share this page to Telegram

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Benedito Antonio Luciano
Benedito Antonio Luciano

Professor doutor, titular do Departamento de Engenharia Elétrica da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube