Quantcast

Fechar

logo

Fechar

Aprenda

Rafael Holanda. Publicado em 10 de maio de 2019 às 12:37

Aprenda que nem sempre os caminhos que planejamos são os que no final da estrada iremos encontrar. Aprenda que nem sempre a luminosidade do sol que nos acompanha consegue chegar ao alto do cume com a mesma força.

Saiba compreender que nem sempre conseguimos exercer atos de bondade, mesmo diante de um sofrimento que se expõe de forma explicita aos nossos olhos.

Procure entender que as coisas da vida são em sua maioria de forma repetitiva, de tal maneira que as nossas palavras podem voltar com a força de um furacão.

Livre das indiferenças e da passividade que muitas das vezes fazem parte do nosso vocabulário diário, e seja linha de frente, com a bandeira da liberdade em defesa dos pobres e abandonados.

Entenda que a lágrima que provamos diante dos nossos momentos de raiva; podem perfeitamente caberem dentro dos nossos olhos na primeira curva destas decepções.

A tempestade ameaçadora se aproxima, em decorrência da insensibilidade, e da forma pétrea que está nosso coração, e com isto destituindo o templo da nossa verdade.

Lutemos para deter os infortúnios e o soluço que desperta pelos caminhos da vida; rompendo o elo das cadeias que sustentam o pranto e a miséria germinada por as más ações.

Não façamos nos tornar surdos diante de um clamor, e nem cegos diante de um sofrimento crescente e impetuoso, gerando conflitos e mortes entre os irmãos.

Que o mundo compreenda que todos anseiam aprender, que os caminhos são longos, quando na realidade não existe ajuda, mas se um braço de tornar muitos, tudo com certeza serão mais fáceis.

Se os nossos braços se estendessem como as águias no espaço; e nossos pés fossem ligeiros como os dos cavalos, com certeza na vigência de uma dor seriamos muito mais eficazes.

O pior de tudo isto é que geralmente muitos são abandonados pelo caminho, esquecidos e encolhidos pelo frio ardente da solidão, e cobertos apenas com a névoa do extremo abandono.

Muitos se afogam a na angústia, a desolação estende as suas azas cinzentas pelo o horizonte e as expectativas de um amanhã sem igual se perde no silêncio eterno dos bons.

Os homens estão satisfeitos por sentir-se caminhando pelas trevas. Parecem á vontade caminhando ás cegas, pelo simples fato de não quererem vivenciar o que os olhos mostram.

Share this page to Telegram

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Rafael Holanda
Rafael Holanda

* Médico.

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube