Fechar

logo

Fechar

Alexandre Moura: Segurança Cibernética e o Senai

Alexandre Moura. Publicado em 26 de março de 2021 às 8:32

Conforme informações da “Agência de Notícias CNI”, a “Academia SENAI de Segurança Cibernética” teve as primeiras turmas sendo capacitadas no curso prático de simulação de defesa e ataque, hacker. O curso utiliza um simulador “que permite o treinamento avançado dos alunos, divididos em dois times, um de ataque e outro de defesa cibernética”.

As aulas são totalmente a distância (online) e as inscrições para preenchimento das vagas, estão permanentemente abertas na “Loja Digital Mundo SENAI”.

A primeira turma “foi formada por policiais civis e militares, das agências de inteligência do Ceará que integram o Subsistema Estadual de Inteligência de Segurança Pública.”

Para participar do treinamento, os candidatos devem ser profissionais das áreas de segurança de dados, de redes e de telecomunicações, com capacitação/conhecimento anterior em TI (Tecnologia da Informação).

Excelente ideia do SENAI, neste momento que os sistemas de informática dos órgãos públicos e das empresas brasileiras, estão cada vez mais vulneráveis a ataques dos “criminosos digitais”.

Laboratório de “Nível 4”

Desde o ano passado especialistas brasileiros estão discutindo e planejando, “a implantação de um laboratório de Nível de Biossegurança 4” no país. A pandemia mostrou a necessidade do Brasil, contar com esse tipo de equipamento que poucos países possuem.

O futuro LNMCB – Laboratório Nacional de Máxima Contenção Biológica, terá seu projeto finalizado até o final do ano, quando será apresentado à “CREDEN – Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional” juntamente com documentação tratando de uma “Política Nacional de Biossegurança e Bioproteção”.

Participam do projeto, dentre outras entidades, os Ministérios da Justiça e Segurança Pública, das Relações Exteriores, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, da Saúde, e o da Ciência, Tecnologia e Inovações.

O objetivo, segundo o Ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, é ter uma “infraestrutura capaz de estudar, conter vírus e oferecer vacinas para nossa população e para ajudar no esforço mundial de combate a essa ou outras pandemias, que poderão surgir no futuro”.

INCODAY 2021

A edição 2021 do INCODAY (International Cooperation Day) acontecerá na cidade de Goiânia, capital do estado de Goiás. O evento que é anual, acontece em cidades diferentes (a edição 2020, foi realizada na cidade de Campina Grande, Paraíba, e outras edições foram realizadas em São Paulo, Belo Horizonte, Recife e Campinas – SP), sempre no mês de dezembro.

O INCODAY é uma promoção da BRAFIP (Associação Brasileira de Fomento a Inovação em Plataformas Tecnológicas) e finaliza a “Chamada de Ideias BRAFIP”, um convite público internacional para submissão de Ideias e Projetos para PD&I Colaborativa (Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação de forma Colaborativa), envolvendo diversas Empresas, Universidades, Startups e Centros de Pesquisa, do Brasil e de outros países.

Mais informações sobre o evento podem ser obtidas no portal da BRAFIP, no endereço: www.brafip.org.br

Mais Um!

Após o lançamento, com sucesso, do satélite “Amazonas 1” de uma base espacial da Índia, o Brasil colocou em órbita, em poucas semanas, mais um satélite desenvolvido no país. Trata-se do “NanoSatC-Br2”, que foi ao espaço através de um foguete russo Soyuz-2, lançado “do Cosmódromo de Baikonur, localizado na República do Cazaquistão”.

O “NanoSatC-Br2” é o segundo nanossatélite (termo que define um satélite artificial, com uma massa menor do que 10 kg) científico universitário brasileiro, desenvolvido através do “Programa Nanossatélites”, que consiste em uma parceria entre a AEB – Agência Espacial Brasileira, o INPE – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (ambas instituições vinculadas ao MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações) e a UFSM – Universidade Federal de Santa Maria, do Rio Grande do Sul.

Segundo técnicos do MCTI, este programa “é voltado para a integração e formação de professores universitários, alunos de graduação e pós-graduação, pesquisadores e tecnólogos em projetos de pesquisa espacial e áreas afins, promovendo desta  forma, a capacitação de uma nova geração de profissionais e pesquisadores deste segmento técnico e econômico.”

Share this page to Telegram

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Alexandre Moura
Alexandre Moura

Engenheiro Eletrônico, MBA em Software Business e Comércio Eletrônico, Diretor da Light Infocon Tecnologia S/A e Diretor de Relações Internacionais da BRAFIP - Associação Brasileira de Fomento à Inovação em Plataformas Tecnológicas.

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube