Alexandre Moura: Cancelado

Alexandre Moura. Publicado em 21 de fevereiro de 2020 às 11:26

A emergência mundial de saúde, causada pelo surto de “Corona vírus” (nomeado pela OMS – Organização Mundial de Saúde de “COVID 19”), já começa a impactar a economia mundial. Exemplo da indústria de eletroeletrônicos (especialmente os fabricantes de TVs, impressoras, smartphones e computadores), em nível global (Brasil incluído), começou a registrar falta de componentes e insumos – que são fabricados na China e utilizados em fábricas instaladas em diversos países – causando a diminuição da produção.

Por outro lado, no segmento de eventos e turismo, o impacto já é sentido com mais intensidade, com empresas aéreas e rede hoteleira cancelando passagens e reservas.

Por exemplo, a edição deste ano do “WMC – World Mobile Congress” (Congresso Mundial de Tecnologia Móvel), principal evento, em nível mundial, sobre telefonia móvel (celular), que aconteceria na cidade de Barcelona, Espanha, entre os dias 24 e 27 deste mês, foi cancelada. Gerando um prejuízo estimado em R$ 2,5 bilhões! 

Sem contar passagens aéreas, negócios que deixaram de ser fechados e os gastos dos participantes nas lojas, atrações turísticas e restaurantes de Barcelona, durante os quatro dias do evento.

Cancelado (II)

O evento anual deveria atrair cerca de 100 mil visitantes de dezenas de países (Brasil inclusive), gerando 14 mil empregos temporários, sendo muito importante para economia da Catalunha (região onde se localiza Barcelona). Organizado pela “GSMA” (Global System for Mobile Communications), entidade que reúne os principais fabricantes mundiais de smartphones e provedores de tecnologia móvel, como Sony, LG, Apple, Cisco, AT&T, Nvidia, Ericsson, Huawei, Samsung, Motorola, Nokia e Intel, tomou a decisão de cancelar o Congresso pelo risco à saúde dos participantes e também, pelo cancelamento da presença de várias caravanas de empresários.

É a primeira vez em 33 anos de existência do WMC que o evento é cancelado e os organizadores avisaram ainda, que “outra edição neste ano em outra data, não será possível”.

Outros eventos internacionais, ligados ao segmento de TI (Tecnologia da Informação) estão sendo cancelados.

Resumindo, o prejuízo é imenso!

“Nuvem” Insegura

A “Computação em Nuvem” (do inglês, cloud computing) – que explicando de forma simplista é um servidor (computador) remoto “localizado em algum lugar do mundo” e acessado via Internet – é hoje muito comum e um recurso relativamente barato, disponível sob demanda, especialmente para armazenamento de dados.

Mas é preciso ter cuidado, pois existem riscos quando se usa uma “nuvem” para armazenar informações. Por exemplo, a empresa americana “Palo Alto Networks”, especializada em segurança no ambiente da Internet, divulgou recentemente, um relatório sobre “insegurança na armazenagem de informações na nuvem, onde foram encontrados diversos bancos de dados totalmente sem criptografia”.

Ou seja, bancos de dados que armazenam milhões de dados, totalmente abertos e desprotegidos, uma verdadeira “mina de ouro” para hackers.

O documento é resultado de levantamento realizado pela “equipe de inteligência de ameaças da Palo Alto”, denominada de “Unit 42”. 

“Nuvem” Insegura (II)

Estes riscos (bancos de dados sem proteção) são preocupantes visto que, em poucos meses, entrará em vigor no Brasil a LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados e as empresas devem ficar atentas para a possibilidade de vazamentos dos dados pessoais de seus clientes e fornecedores, caso estejam “armazenados na nuvem”, em muitos casos (na maioria) inclusive, em computadores localizados em outros países.

Pelo relatório da “Unit 42”, “43% dos bancos de dados disponíveis para uso na nuvem, não são criptografados” e a criptografia é um requisito básico para a segurança das informações guardadas nestes servidores.

Todo cuidado quando for contratar este tipo de serviço, verificando todos os detalhes relacionados à proteção e não ficar somente focado no quesito “custo”. Afinal, o “barato pode acabar saindo muito caro” em época de “legislação draconiana”, como é o caso da nossa LGPD.

Share this page to Telegram

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Alexandre Moura
Alexandre Moura

Engenheiro Eletrônico, MBA em Software Business e Comércio Eletrônico, Diretor da Light Infocon Tecnologia S/A e Diretor de Relações Internacionais da BRAFIP - Associação Brasileira de Fomento à Inovação em Plataformas Tecnológicas.

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube