Fechar

logo

Fechar

Alexandre Moura: “BSRIA 2020 – Agenda Estratégica Brasileira para Pesquisa e Inovação”

Alexandre Moura. Publicado em 21 de agosto de 2020 às 8:11

No próximo dia 1º de Setembro, às 11h00 horas (horário de Brasília), a BRAFIP – Associação Brasileira para a Promoção da Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em Cooperação, promove um Webinar com o objetivo de compartilhar os avanços alcançados na elaboração do documento final, referente à “Agenda Estratégica Brasileira para Pesquisa e Inovação – BSRIA 2020” (do inglês: BSRIA “Brazilian Strategic Research Innovation Agenda”, modelo já utilizado em vários países, a exemplo do México, e que é divulgado em todo o mundo, daí a sigla em inglês BSRIA).

Este trabalho vem sendo desenvolvido pela BRAFIP e seus parceiros, desde o primeiro semestre de 2019 com o objetivo de construir, de forma colaborativa, uma proposta de agenda estratégica para acelerar a inovação no Brasil.

O documento está sendo construído por um Comitê Gestor, formado por membros da BRAFIP e convidados, incluindo também, sugestões de dezenas de colaboradores (empresários, pesquisadores, professores, profissionais das mais diversas áreas, membros do governo, etc) de todo o país, recebidas ao longo dos últimos meses.

A participação neste Webinar é a última oportunidade para enviar sugestões, que possam ser avaliadas para inclusão na versão final da BSRIA.

O documento final servirá de “guia” para o Governo, Empresas (de todos os segmentos econômicos) e Academia, com relação à Pesquisa e Inovação. Para participar basta se inscrever (de forma gratuita) no endereço: https://tiny.cc/bsria0109

 Paraná em Segundo

Recentemente, recebi do amigo Engenheiro e Empresário de Curitiba, Kival Weber, que foi Presidente da SOFTEX (Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro) e Secretário de Política de Informática do Governo Federal, um documento mostrando que o “Paraná é o segundo maior polo de tecnologia do país em faturamento”.

O levantamento, denominado “Tech Report 2020”, foi realizado pela “Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia” e é referente ao ano passado, tendo como base “o número de empresas inscritas em fontes de dados públicos como Receita Federal e Juntas Comerciais, das 27 unidades da Federação”.

Pelo estudo, o “Paraná ultrapassou Estados com tradição no setor de tecnologia como Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul”.

As cerca de 20 mil empresas de TI (Tecnologia da Informação) do Estado faturaram, no ano passado, R$ 21,2 bilhões, valor que ficou abaixo apenas de São Paulo, que concentra quase metade das empresas do segmento de TI do Brasil.

Comércio e o WhatsApp

Neste período de distanciamento social e comércio com restrições de funcionamento, em várias cidades brasileiras devido a pandemia, um “aliado” para os empresários manterem seus negócios em funcionamento, tem sido o WhatsApp.

Um estudo realizado pela empresa Accenture em conjunto com o Facebook, mostrou como o aplicativo de mensagens tem sido importante para o e-commerce (comércio eletrônico) brasileiro nestes últimos meses, tanto de produtos quanto de serviços.

Segundo o levantamento da Accenture, nada menos que “83% dos brasileiros utilizam o WhatsApp para fazer suas compras”, desde o início das restrições. Ficando assim, o Brasil juntamente com Chile, em primeiro lugar na América Latina, tendo o Peru (com 77%) e a Colômbia (74%), formando o quarteto dos principais países, que utilizam o WhatsApp para realizar negócios.

Capacete de Ventilação

Desde o início da pandemia do COVID-19 várias empresas, dos mais diversos ramos de atividades, vem trabalhando para, pelo menos, minorar o problema para a população. Uma ótima ideia é um “equipamento, produzido 100% no Brasil e aprovado pela ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, para ser utilizado nas UTIs Aéreas (Unidades de Tratamento Intensivos, disponibilizadas em aviões que transportam enfermos)”.

Denominado de “BRIC – Bolha de Respiração Individual Controlada”, o equipamento, produzido pela empresa de tecnologia “Roboris” (empresa ligada ao Parque Tecnológico de São José dos Campos, São Paulo e fornecedora da EMBRAER – Empresa Brasileira de Aeronáutica), é um “Capacete para VNI – Ventilação Não-Invasiva que pode evitar a intubação de pacientes com dificuldades respiratórias, tendo também, a finalidade de impedir a propagação do vírus e proteger o médico e o paciente durante o voo”.

Atualmente, a BRIC é utilizada em 20 hospitais brasileiros e passa agora, a ser utilizada nos aviões preparados como UTIs Aéreas.

É a tecnologia brasileira ajudando a salvar vidas.

Share this page to Telegram

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Alexandre Moura
Alexandre Moura

Engenheiro Eletrônico, MBA em Software Business e Comércio Eletrônico, Diretor da Light Infocon Tecnologia S/A e Diretor de Relações Internacionais da BRAFIP - Associação Brasileira de Fomento à Inovação em Plataformas Tecnológicas.

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube