Fechar

logo

Fechar

Ailton Elisiário: Vacinação não é solução

Ailton Elisiário. Publicado em 9 de março de 2021 às 9:01

Os países iniciaram a vacinação de suas populações, começando pelas pessoas mais idosas, que como as que trabalham no setor de saúde pública, encontram-se em áreas de riscos maiores. Correta a estratégia, porém ela não permite que as demais pessoas continuem se comportando como a pandemia esteja por isto necessariamente controlada.

Pelo mundo inteiro já foram distribuídas mais de 260 milhões de doses de vacinas, mas ainda está longe de se alcançar o controle da pandemia. A Organização Mundial da Saúde (OMS) anuncia que levaremos ainda um ano para falar em fim da pandemia. Não há, portanto, previsão de que ela se acabe neste ano de 2021.

O que a OMS projeta é se chegar ao fim deste ano com um cenário de superação da fase mais aguda da doença. E isto requer que as medidas de controle sejam continuadas, tais como o distanciamento social, o uso de máscaras e álcool gel, o impedimento de aglomerações humanas, dentre outras.

O aumento do número de casos e de mortes está patente. Nos últimos 2 meses (janeiro e fevereiro), o número de contaminações em todo o mundo aumentou 7%, atingindo 2,6 milhões de pessoas. No Brasil, a elevação foi de 18% em apenas uma semana, com aumento de 11% em mortes.

Não se pode permitir relaxamento no comportamento da sociedade frente a pandemia, sob pena de se permitir a aceleração na propagação do vírus. As pessoas estão cansadas, o estresse toma conta das pessoas, os governos adotam ações para minimizar os impactos econômicos e sociais, mas ainda é melhor prevenir que remediar.
Mesmo com as vacinas, as pessoas devem permanecer adotando as medidas de segurança. 80% de todas as vacinas estão em apenas 10 países, informa a OMS.

Portanto, a vacina não é a solução, mas é parte da solução. Daí, ser preciso que as pessoas continuem se cuidando, se comportando responsavelmente e os governos aplicando testes e acelerando a vacinação.

Desde o início da pandemia até a data de 8 de março já pereceram 2.593.230 pessoas em todo o mundo. No Brasil foram 265.500. Na Paraíba 4.679. (Estes dados são da OMS). No mundo até 7 de março já receberam todas as doses da vacina 66,70 milhões de pessoas, correspondente a 0,9% da população mundial. No Brasil, 2,69 milhões, que correspondem a 1,3% da população nacional. (Estes dados são da Our World Data).

O mundo não está no momento de permitir a suspensão das medidas de controle, quiçá seu afrouxamento. Este momento só poderá ocorrer quando os números estiverem efetivamente controlados. Temos, pois, de educar nossos semelhantes pela persuasão e até mesmo pela aplicação de multas, notadamente aos responsáveis por organizarem eventos que reúnem excessivo número de participantes.

Share this page to Telegram

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Ailton Elisiário
Ailton Elisiário

O autor é economista, advogado, professor da Universidade Estadual da Paraíba e membro da Academia de Letras de Campina Grande.

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube