Fechar

logo

Fechar

A crença sem temor

Rafael Holanda. Publicado em 16 de outubro de 2017 às 8:33

Por Rafael Holanda (*)

Senhor, neste momento em que a maldade se veste com seu melhor manto, e se sente mais forte pela inoperância dos homens, proteja os esquecidos.

Senhor, proteja muitos que se acham desprotegidos do manto da bondade, atingidos por dardos emanados da boca de um poder, que se sente forte por discriminar os fracos.

Senhor alivia os prantos das mazelas que assolam cada mocambo de uma periferia, desprezada pelos homens que juram em mentiras, verdades que não existiam.

Senhor, olha com os olhos da criação e observa que na realidade éramos para ser iguais, mas a descriminação se transforma em pano de fundo para não mostrar a realidade do outro lado.

Não transforme as tuas palavras em justiça cega, para que o povo não pense que foi ludibriado por ensinamentos, que espelham a bela da justiça e a soberania da verdade.

Não queremos que todos sejam santos, mas não aceitamos as benesses imerecidas aos que pela força implantam a arte do sofrimento, arrancando a esperança dos injustiçados.

Não permita que nos ensinem a ser cavalheiros da esperança, apenas orientando o regimento de sedentos por caminhos sem término, e os famintos de conforto nutridos pelo engodo.

Não permita que a lei construa cárceres de cinismo, onde o valor maior é representado pela potencialidade do vil metal e os pobres se afogam na destituída prisão destroçada pela miséria.

Que os massacrados pelo sadismo de uma ética desvairada, possam ser protegidos pelo manto de um porto seguro, encontrando a guarita para sua liberdade sem sofrimento.

Que os mandantes impuros e despidos da vergonha, não atribuam ao povo o peso da culpabilidade e permaneçam a implantar as sementes da corrupção.

O povo por sua capacidade de sobrevivência na adversidade, se transforme em resistência, mansidão a procura das promessas que possam surgir dos céus.

Procuremos trazer para esta terra maravilhosa o exalar do perfume das rosas brancas que encantam a paisagem da vida, acordando valores adormecidos que o tempo esqueceu.

A vida tem mostrado em cada canto, verdadeiros ringues contraditórios, onde o homem aproveita da fraqueza do próximo para se consagrar campeão de uma luta insana.

Não sejamos montanhas de conhecimentos que se perdem na expectativa da eternidade, e sim simples como o amanhecer do dia trazendo a fé e esperança para nossas fraquezas.

(*) Médico

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Rafael Holanda
Rafael Holanda

* Médico.

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube